Abrir menu principal
Estátua de Hemiunu, no Museu de Pelizaeus, Hildesheim, Alemanha.

Hemiunu (2570 aC) teria sido arquiteto responsável pela Grande Pirâmide de Gizé, no Egito.[1][2] Como vizir, Hemiunu era um dos membros mais importantes da corte do Antigo Egito e responsável por todas as obras reais.

BiografiaEditar

Hemiunu era um filho do príncipe Nefermaat e de sua esposa Itet,[3] um neto de Sneferu e parente de Khufu, o faraó do Império Antigo. Hemiunu tinha três irmãs e muitos irmãos.

Em seu túmulo ele é descrito como um príncipe hereditário, conde, selador do rei do Baixo Egito (jrj-pat HAtj-a xtmw-bjtj) e em uma estátua encontrada em seu serdab (e agora exposto em Hildesheim, Alemanha), Hemiunu recebe os títulos: o filho do rei de seu corpo, o juiz-chefe e vizir, o maior dos cinco da Casa de Thoth(sA nswt n XT=f tAjtj sAb TAtj wr djw pr-DHwtj).[4]

Como vizir, sucedeu Kanefer, que era seu tio, e seu pai, Nefermaat.[5]

TúmuloEditar

O túmulo de Hemiunu fica perto da Pirâmide de Khufu e contém relevos de sua imagem. Algumas pedras de sua mastaba foram gravemente danificadas e foram datadas do período do reino de Khufu.[6] Sua estátua[7] pode ser encontrada no Museu de Pelizaeus, Hildesheim, Alemanha.[3] Esta estátua deve ser emprestada para a abertura do Grande Museu Egípcio, no Cairo.

A estátua foi encontrada no serdab murado da mastaba de Hemiunu pelo arqueólogo Hermann Junker em março de 1912. Ladrões antigos já tinham saqueado a mastaba em busca de itens valiosos e a parede para o serbad tinha um buraco. O ladrão arrancou com força os preciosos olhos incrustados da estátua e outras peças de ouro, no processo o braço direito foi quebrado e a cabeça cortada. A cabeça foi restaurada, usando um relevo de Hemiunu como um guia para o perfil do nariz.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. De Camp, p. 35
  2. Shaw, p. 89
  3. a b Arnold, p. 107
  4. «Archived copy». Consultado em 11 de setembro de 2010. Arquivado do original em 11 de outubro de 2008  page about G 4000, the tomb of Hemiunu
  5. Cambridge, p. 166
  6. Strudwick, p. 157
  7. Tiradritti, p. 13
  8. Egyptian Art in the Age of the Pyramids, Metropolitan Museum of Art (New York, N.Y.)

BibliografiaEditar

  • Dieter Arnold, The Encyclopaedia of Ancient Egyptian Architecture, I.B.Tauris, 2002
  • Nigel C. Strudwick, Texts from the Pyramid, SBL, 2005
  • Cambridge Ancient History by Cambridge University Press, 2000
  • Francesco Tiradritti, Arte egizia, Giunti, 2002
  • Lyon Sprague De Camp, Catherine Crook De Camp, Ancient Ruins and Archaeology, Doubleday, 1964
  • Ian Shaw, The Oxford History of Ancient Egypt, Oxford University Press, 2003

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) arquiteto(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.