Henry Walter Bates

Henry Walter Bates (8 de fevereiro de 1825 - 16 de fevereiro de 1892) foi um naturalista e explorador inglês, famoso por sua viagem à Amazônia, junto com Alfred Russel Wallace. Essa viagem teve o objetivo de recolher material zoológico e botânico para o Museu de História Natural de Londres. [1]

Henry Walter Bates
Henry Walter Bates
Nascimento 8 de fevereiro de 1825
Leicester
Morte 16 de fevereiro de 1892 (67 anos)
Londres
Sepultamento Cemitério de East Finchley
Nacionalidade Inglês Inglaterra
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Irmão(s) Frederick Bates
Ocupação Naturalista
Prêmios
Causa da morte doença respiratória
Ilustração feita por Bates, 1862 Heliconiidae

Permaneceu no Brasil durante onze anos, enviando cerca de 14.712 espécies (8000 delas novas), a maior parte insetos para a Inglaterra. [1]

Após o seu trabalho nas florestas tropicais do Brasil, propôs o mecanismo de Mimetismo batesiano, uma forma de mimetismo em que uma espécie evolui características morfológicas ou outras que a fazem aparentar com outra espécie considerada repugnante pelo predador, concedendo-lhe uma certa protecção contra predação.

Em 1861 casou com Sarah Ann Mason e a partir de 1864 trabalhou como secretário assistente da Royal Geographical Society.

Henry Bates foi parte de um grupo de destacados naturalistas-exploradores que apoiavam a teoria da evolução pela seleção natural , outros membros deste grupo eram J.D. Hooker, Fritz Müller, Richard Spruce e Thomas Henry Huxley.

Bates na Amazônia.

Faleceu, vítima de bronquite.

Referências

  1. a b GASPAR, Lúcia. Viajantes em terras brasileiras - Documentos existentes no acervo da Biblioteca Central Blanche Knopf. Recife: Fundação Joaquim Nabuco 
  Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.