Hidroeletricidade

energia elétrica obtida de potencial hidráulico

Hidroeletricidade é a energia elétrica obtida através do aproveitamento da energia potencial gravitacional de água, contida em uma represa elevada. A potência gerada é proporcional à altura da queda de água e à vazão do líquido.

Durante o processo de obtenção, antes de se tornar energia elétrica, esta energia deve ser convertida em energia cinética. O momento desta transformação acontece na passagem da água numa máquina hidráulica, denominada turbina hidráulica.

A energia liberada pela passagem de certa quantidade de água move a turbina, que aciona um gerador elétrico. A queda d'água pode ser natural, como na Usina de Paulo Afonso, ou artificial, criada por uma barragem como na usinas de Tucuruí e Itaipu. A queda também pode ser pequena, como no caso de uma usina maremotriz, que utiliza apenas o desnível das marés.

VantagensEditar

Não requer o uso de combustíveis para a produção de energia, pois converte a energia do potencial gravitacional da água represada nas barragens através de turbinas diretamente para energia elétrica.

O preço não varia. Por não depender de combustíveis, o preço é constante. Para produzir energia hidrelétrica, um país não precisa importar combustível. É uma energia não poluente e renovável, pois não queima nenhum tipo de combustível. A energia elétrica gerada não depende da queima de quaisquer tipos de gases e matérias de partículas, sem criar poluição do ar.

A água das barragens pode ser utilizada para a irrigação de lavouras, melhorando a produtividade agrícola no decorrer do ano, além de prevenir inundações. Nas imediações das barragens a água do reservatório pode ainda ser utilizada para a criação de espaços públicos de lazer e de prática de esportes.

DesvantagensEditar

Em alguns casos ocorre a inundação de grandes áreas, contribuindo para o aumento do efeito estufa, já que árvores submersas podem produzir gases tóxicos, e o deslocamento de populações. A construção das grandes usinas pode ainda tornar-se cara e demorada. Para evitar o problema do impacto ambiental, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) criou a resolução nº 347, de 10 de setembro de 2004, que obriga as construções de usinas hidrelétricas a terem uma compensação ecológica.

Capacidade hidroelétrica mundialEditar

Os dez maiores produtores de energia hidrelétrica em 2020.[1]
País Produção
hidrelétrica
anual (TWh)
Capacidade
instalada (GW)
% da
produção
mundial
% da
geração da
eletricidade
doméstica
  China 1232 352 28.5% 17.2%
  Brasil 389 105  9.0% 64.7%
  Canadá 386 81  8.9% 59.0%
  Estados Unidos 317 103  7.3% 7.1%
  Rússia 193 91  4.5% 17.3%
  Índia 151 49  3.5% 9.6%
  Noruega 140 33  3.2% 95.0%
  Japão 88 50  2.0% 8.4%
  Vietnã 84 18  1.9% 34.9%
  França 71 26  1.6% 12.1%
Capacidade instalada de energia hidrelétrica (MW) [2]
# País 2020
1   China   370 160
2   Brasil 109 318
3   Estados Unidos 103 058
4   Canadá   81 058
5   Rússia   51 811
6   Índia 50 680
7   Japão 50 016
8   Noruega 33 003
9   Turquia   30 984
10   França   25 897
11   Itália 22 448
12   Espanha 20 114
13   Vietnã 18 165
14   Venezuela 16 521
15   Suécia 16 479
16   Suíça 15 571
17   Áustria 15 147
18   Irã 13 233
19   México 12 671
20   Colômbia 12 611
21   Argentina 11 348
22   Alemanha 10 720
23   Paquistão 10 002
24   Paraguai 8 810
25   Austrália 8 528
26   Laos 7 376
27   Portugal 7 262
28   Chile 6 934
29   Romênia 6 684
30   Coréia do Sul 6 506
31   Ucrânia 6 329
32   Malásia   6 275
33   Indonásia 6 210
34   Peru   5 735
35   Nova Zelândia 5 389
36   Tadjiquistão 5 273
37   Equador   5 098

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.