Executivo

(Redirecionado de Homem de negócios)

Executivo, segundo Drucker, são todos aqueles trabalhadores de conhecimento, gerentes ou profissionais que, em virtude de sua posição ou de seu conhecimento, devem tomar decisões no curso normal de seu trabalho que influam no desempenho e nos resultados da empresa como um todo.é a função de quem executa algo nas áreas administrativas e de grande responsabilidade.

A nível empresarial, é o profissional que exerce cargo de liderança. Ou seja, ele dirige uma empresa, fazendo cumprir as diretrizes desta, e promovendo os desenvolvimentos sociais, financeiros e econômicos. é uma pessoa que tem cargo de chefia, e tem como objetivo o lucro, contratação de empregados, e modernização empresarial. Pode ser utilizado de maneira intercambiável com os termos administrador, gerente, vice-presidente, diretor executivo, CEO, ou simplesmente gestor.

Etimologia e significado de executivoEditar

Significado da palavra executivo: designado a, quem executa ou põe em execução. Etimologia de executivo: Originada do latim EXSEQUI, “realização, cumprimento de algo”, formada por EX-, “fora”, mais SEQUI, “seguir, ir atrás, acompanhar”.

HistóriaEditar

Período pré-histórico: ComerciantesEditar

Como um "empresário" pode significar qualquer pessoa na indústria ou no comércio,  empresários existem desde que a indústria e o comércio existem. "Comércio" pode simplesmente significar " comércio ", e o comércio existe através de toda a história registrada . Os primeiros empresários da história da humanidade foram comerciantes ou comerciantes .

Período medieval: ascensão da classe mercanteEditar

Os comerciantes emergiram como uma " classe " na Itália medieval. Entre 1300 e 1500, a contabilidade moderna, a letra de câmbio e a responsabilidade limitada foram inventadas, e assim o mundo viu "os primeiros verdadeiros banqueiros", que certamente são empresários.

Na mesma época, a Europa viu o "surgimento de comerciantes ricos".  Essa "ascensão da classe dos comerciantes" ocorreu quando a Europa "precisou de um intermediário" pela primeira vez, e esses "burgueses" ou " burgueses " foram as pessoas que desempenharam esse papel.

Renascimento ao Iluminismo: ascensão do capitalistaEditar

A Europa se tornou o poder comercial global dominante no século XVI e, à medida que os europeus desenvolviam novas ferramentas para os negócios, novos tipos de pessoas começaram a usá-las. Neste período, a Europa desenvolveu e usou o dinheiro de papel , cheques e sociedades por ações (e suas ações de estoque ).  desenvolvimentos na ciência atuarial levaram ao seguro. Juntas, essas novas ferramentas foram usadas por um novo tipo de empresário, o capitalista . Essas pessoas possuíam ou financiavam negócios como banqueiros , mas não eram comerciantes de mercadorias. Esses capitalistas eram uma força importante no Revolução Industrial .

Período moderno: ascensão do gerenteEditar

O mais novo tipo de empresário é o gerente . Um dos primeiros verdadeiros gerentes foi Robert Owen (1771-1858), um industrial na Escócia.  Ele estudou os "problemas de produtividade e motivação " e foi seguido por Frederick Winslow Taylor, a primeira pessoa que estudou trabalho.  Após a Primeira Guerra Mundial, a administração tornou-se popular devido ao exemplo de Herbert Hoover e da Harvard Business School , que ofereciam diplomas em administração de empresas (administração).

Perfil do executivoEditar

Num mercado onde as qualificações técnicas assemelham-se cada vez mais, estes traços pessoais que não constam no currículo são muito valorizados.

A criatividade e a capacidade de criar soluções estruturadas possíveis e viáveis a partir de situações preexistentes são qualificações bem desejadas. é preciso ser criativo, porém realista. Mais que isso, é preciso criar soluções capazes de envolver os outros e não somente causem a elevação de quem a criou inicialmente. As soluções devem desenvolver-se como redes, com cada um acrescentando a sua contribuição.

Inspirar os outros, fazendo com que as coisas aconteçam através da equipe é outra qualidade bastante apreciada. e seja feito, desenvolve times, consegue mobilizar para um determinado caminho ou objetivo, lidera em vez de somente chefiar e isso só é possível se o executivo tiver reputação e um propósito para a empresa, uma visão que ele persegue e busca realizar, além de uma conduta coerente com isso. Comunicar-se bem tanto por escrito como verbalmente é requisito fundamental. Este executivo também deve ter capacidade de ouvir e entender as pessoas e o que está a sua volta, conseguindo assim montar medidas práticas em função das circunstâncias que o cercam.

Um bom executivoEditar

A atuação de um executivo pode ser avaliada através de dois eixos fundamentais:

  1. Pela entrega de resultados sustentáveis;
  2. Pelo desenvolvimento de pessoal.

Nem sempre uma pessoa mais experiente é o melhor líder. Nem sempre o gerente é o melhor líder. Na verdade, um líder se consolida pelas atitudes e isso não está obrigatoriamente relacionado com a idade ou o cargo.

Apoiar a equipe: o líderes de equipes eficazes sempre apoiam a equipe e traduzem este apoio com postura encorajadora. Eles aceitam o que os outros têm a dizer e não tentam controlar ou manipular os outros. Estão sempre criando oportunidades para os outros expressarem seus pensamentos e conhecimentos, pois assumem que os outros têm ideias e informações úteis. Estimulam pontos de vista divergentes, pois sabem que das diferenças é que surgirá o crescimento e sentem-se livres também para dar novas ideias.

Saber ouvir: saber ouvir é outra característica importantíssima dos líderes eficazes. Eles são ouvintes ativos, prestam atenção e respondem tanto a sentimentos quanto a ideias dos outros. Ouvem sem interromper, fazem perguntas abertas sem julgar ou avaliar e só então resumem e ponderam sobre as ideias e sentimentos dos outros.

Analisar e solucionar problemas: no momento em que as diferenças confrontam-se, o líder eficaz está presente para fazer a atenção concentrar-se no processo de análise e solução do problema e não nas pessoas. Ele auxiliará a negociação específica e direta das diferenças, questionando sua própria posição. Neste espaço aberto para o confronto fará considerações de como a equipe está quanto às relações pessoais, ao andamento dos processos e, quanto ao uso do tempo.

Buscar concordância de todos os membros da equipe: a decisão de consenso às vezes é fundamental. Ela é importante quando o compromisso é necessário, quando as pessoas envolvidas têm que se sentir comprometidas com os objetivos. Por isso, os líderes buscam a concordância de todos os membros da equipe para que uma única decisão seja apoiada. Obter consenso geralmente requer investimento de muito tempo e energia, mas se ele for um valor ou norma da equipe necessariamente terá que ser buscado.

Solicitar e receber feedback: líderes eficazes também solicitam e recebem feedback como uma oportunidade para aprender e melhorar. Ouvem com atenção porque seu comportamento deve ser mudado e evitam ser defensivos: não explicam ou justificam. Pedem ajuda, se adequado, fazem perguntas esclarecedoras e certificam-se de que entenderam as respostas e são honestamente gratos pelo feedback. Quando dão feedback, manifestam a intenção de serem úteis e ajudar. Se não forem solicitados, perguntam antes de dar e tratam apenas do que pode ser mudado. Evitam generalizações e avaliações e descrevem comportamentos específicos, dizendo por que o comportamento é importante para eles e o seu trabalho. Estes líderes sempre se certificam de que foram entendidos e não apenas ouvidos, e encorajam os outros a responderem.

Remuneração dos executivos no BrasilEditar

O salário é uma composição entre salário e benefício. No nível de diretoria, estamos começando a falar em R$ 30 a R$ 40 mil como remuneração fixa mensal, indo até funções que têm R$ 60 mil de remuneração fixa mensal. E sempre numa composição anual de 50-50: 50% de remuneração fixa e 50% de remuneração variável, seja de bônus ou comissão.[carece de fontes?]

A valorização dos salários dos executivos brasileiros já se consolidou como uma tendência no mercado mundial. A remuneração de profissionais de alta gerência vem superando alguns dos principais mercados como Nova Iorque, Paris e Xangai, e cresce em uma média de 10% ao ano.[carece de fontes?] A conclusão é de um levantamento global realizado pela multinacional de recrutamento Robert Walters, que pesquisou a média salarial de 23 países em áreas como marketing, vendas, recursos humanos e finanças.

Ranking mundialEditar

Para essa lista, foram analisados os desempenhos de 1 999 executivos de companhias de 48 países. Esses nomes fizeram parte da lista das 1 200 maiores da consultoria Standard & Poor’s e/ou dos 40 maiores entre os países do BRIC desde 1997.[carece de fontes?] O primeiro colocado da lista, está Steve Jobs, presidente da Apple desde 1997, que aumentou o valor de sua empresa em 150 000 milhões de dólares. Em segundo, o líder da Samsung, Yun Jong-Yong e em seguida o russo Alexei Miller, presidente da Gazprom.[carece de fontes?]

  1. Steve JobsApple
  2. Yun Jong-Yong – Samsung
  3. Alexey Miller – Gazprom
  4. John Chambers – Cisco Systems
  5. John Martin – Gilead Sciences
  6. Jeffrey BezosAmazon.com
  7. Margaret Whitman – eBay
  8. Eric SchmidtGoogle

ReferênciasEditar

  • Exame de 15 de maio de 2003 – pgs. 118 a 124
  • Sampson, Anthony - O homem da companhia: uma história dos executivos / Anthony Sampson – São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
  • Revista Exame, 11 de maio de 2003 (páginas 118 a 124).
  • Bartoli, Jean - Executivo: um Ideal? Uma Religião? / Jean Bartoli – São Paulo, Ideias e Letras, 2005
  • Drucker PF. O melhor de Peter Drucker: o homem. São Paulo (SP):Nobel; 2002.