Ilídio do Amaral
Nome completo Ilídio Melo Peres do Amaral
Nascimento 3 de setembro de 1926
Luanda, Angola colonial
Morte 24 de março de 2017 (90 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Português
Ocupação professor universitário, geógrafo

Ilídio Melo Peres do Amaral (Luanda, 3 de setembro de 1926Lisboa, 24 de março de 2017[1]) foi um geógrafo e professor universitário português. Dedicou grande parte da sua vida aos estudos dos problemas ultramarinos, nomeadamente as regiões tropicais. As suas áreas de estudo preferidas foram geomorfologia, geografia urbana, geografia histórica e geografia política[2].

BiografiaEditar

Nasceu em Luanda, onde frequentou o ensino primário e secundário.

Licenciado e Doutor em Geografia, pela Universidade de Lisboa, em cuja Faculdade de Letras exerceu a docência e alcançou a cátedra em 1969. Foi investigador e director-adjunto do Centro de Estudos Geográficos da mesma universidade, e ainda fundador e director do Centro de Geografia do Instituto de Investigação Científica Tropical durante cerca de 20 anos.

Foi o último Presidente do Instituto de Alta Cultura, entre 1975 e 1976, e Reitor da Universidade de Lisboa entre Novembro de 1977 e Março de 1979. Também foi Reitor da Universidade Internacional.

Foi membro da Academia das Ciências de Lisboa, da Academia Portuguesa de História, da Sociedade de Geografia de Lisboa e da Associação de Geógrafos de Cabo Verde.

Faleceu a 24 de março de 2017, em Lisboa, aos 90 anos de idade.

ObrasEditar

A sua bibliografia conta 447 títulos, destacando-se a história de Angola.

  • São Paulo de Assunção de Luanda (1956);
  • Subsídios para o estudo da evolução da população de Luanda (1959);
  • Distribuição da população branca de Angola [Material cartográfico]: 1950 (1960);
  • Ensaio de um estudo geográfico da rede urbana de Angola (1962);
  • Santiago de Cabo Verde: a terra e os homens (1964);
  • Francisco Tenreiro: 1921-1963 (1964);
  • Johannesburg : do campo mineiro à conurbação (1966);
  • Egas Moniz, o homem, as ideias e a época (1978);
  • Nota preliminar acerca do relevo de Angola entre os rios Zaire e Loge com Orlando Ribeiro e Mariano Feio (2006);
  • Documentos para o ensino : litoral da ilha de Santiago (Cabo Verde), na área da Praia (2009);
  • Descrição da Luanda Oitocentos, vista através de uma planta do ano de 1755 (2010);


Referências

  1. «Morreu o antigo reitor Ilídio do Amaral». Diário de Notícias. 24 de março de 2017. Consultado em 25 de março de 2017 
  2. Moreira, Adriano (2018). Professor Doutor Ilídio do Amaral, Revista Finisterra, vol. 53 n.º 108 (2018)
Precedido por
Maria de Lourdes Belchior Pontes
Presidente do Instituto de Alta Cultura
1975-1976
Sucedido por
Fernando Namora
(como Director do Instituto de Cultura Portuguesa)
Precedido por
Henrique de Barahona Fernandes
Reitor da Universidade de Lisboa
1977-1979
Sucedido por
Raul Rosado Fernandes
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.