Abrir menu principal

Incidente no Golfo de Omã em maio de 2019

Sabotagem de quatro navios mercantes no Golfo de Omã
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Incidente no Golfo de Omã em junho de 2019.
Incidente no Golfo de Omã em maio de 2019
Golfo de Omã em maio de 2019
Data 12 de maio de 2019
Local Golfo de Omã
Beligerantes
Flag of Iran.svg Irã (alegado pelos Estados Unidos e Arábia Saudita, negado pelo Irã) Navios mercantes operados por empresas sediadas em:
Baixas
4 navios mercantes danificados.

O incidente no Golfo de Omã em maio de 2019 foi um incidente marítimo na costa de Fujairah no Golfo de Omã que resultou em danos a quatro navios mercantes em 12 de maio de 2019. Os navios incluíam dois petroleiros registrados na Arábia Saudita, um petroleiro norueguês e um navio mercantil registrado nos Emirados Árabes Unidos. Os navios foram ancorados nas águas territoriais dos Emirados Árabes Unidos para abastecimento no Porto de Fujairah. O Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos informou que os navios haviam sido submetidos a um "ataque de sabotagem". Os Emirados Árabes Unidos lançaram uma investigação conjunta com os Estados Unidos e a França. A avaliação inicial da investigação, determinou que furos de 1,5 a 3,0 metros perto ou abaixo de todas as linhas de água dos navios foram provavelmente causados ​​por cargas explosivas.[1]

O incidente ocorreu em meio a uma crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irã na região do Golfo Pérsico, levando as autoridades dos Estados Unidos a suspeitar que o Irã esteja por trás do ataque. O governo dos Emirados Árabes Unidos não nomeou nenhum perpetrador, afirmando que o relatório da investigação deve ser finalizado. O governo do Irã pediu uma investigação internacional do incidente, descrevendo-o como uma possível operação de bandeira falsa. Os Estados Unidos acusaram o Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica (EGRI), onde os Estados Unidos designaram como organização terrorista, por serem "diretamente responsáveis" pelos ataques. As descobertas de uma investigação internacional liderada pelos Emirados Árabes Unidos sobre os ataques, afirmaram que uma operação sofisticada e coordenada de mergulhadores de lanchas rápidas utilizava minas para romper o casco dos navios, concluindo que um "ator estatal" é o mais provável culpado.[2][3]

Um incidente quase idêntico ocorreu um mês depois, em 13 de junho de 2019.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «First assessment blames Iran for Middle East ship explosions, official says». Fox News. 13 de maio de 2019. Consultado em 14 de junho de 2019. Cópia arquivada em 17 de maio de 2019 
  2. Roth, Richard (7 de junho de 2019). «Initial findings on Gulf tanker attacks point to a 'state actor' but Iran not mentioned by name». CNN. Consultado em 14 de junho de 2019 
  3. Karam, Joyce (7 de junho de 2019). «'State actor' likely to blame in Fujairah tanker attacks, report says». The National. Consultado em 14 de junho de 2019 
  Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.