Indulto Agatha Christie

O Indulto Agatha Christie é um apelido aplicado por círculos católicos tradicionais ao indulto (dentro do Código de Direito Canônico, uma permissão para fazer algo que, de outra forma, seria proibido) aprovado em 1971 pelo Papa Paulo VI para o uso da Missa Tridentina em Inglaterra e País de Gales. A Missa Tridentina fora substituída pela Missa do Vaticano II em 1969-1970 e uma petição foi enviada ao Papa pedindo que fosse permitido o uso da Missa Tridentina por aqueles que desejassem nos países supracitados. Conta-se que o Papa Paulo VI estava lendo silenciosamente a lista de signatários e, de repente, disse: "Ah, Agatha Christie!", assinando a aprovação.[1]

SignatáriosEditar

Os signatários da petição que deu origem ao indulto foram: [1]

Referências

  1. a b Marnau, Alfred. «The 1971 'English' Indult - a Recollection.» (em inglês). Latin Mass Society of England & Wales. Consultado em 2 de março de 2020 
  Este artigo sobre catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.