Abrir menu principal

Internacionalismo é uma corrente política que advoga uma maior cooperação econômica e (ou) política entre nações em prol do benefício mútuo. Partidários da corrente argumentam que as nações poderiam tirar vantagens recíprocas ao focarem políticas de longo prazo que envolvam todo o globo ao invés de políticas individualistas restritas ao cenário nacional. Freqüentemente, é associado à esquerda política[1].

O internacionalismo socialista é o conceito de que a classe trabalhadora é uma só no mundo inteiro e que as divisões em países (brigas entre os burgueses que operam o Estado) não devem ser defendidas pelo povo.

Outro internacionalismo é o do Movimento Humanista, a Nação Humana Universal[2], que seria o resultado de uma convergência na diversidade, em que o mínimo denominador comum serão os direitos humanos, a democracia real e a não-violência.

A organização que representa mais notavelmente o internacionalismo de esquerda teve partidos membros que apoiaram a ocupação da República Dominicana em 1965 e a posterior implantação de uma ditadura militar como foi no caso da Frente de Libertação Nacional da Costa Rica e da Ação Democrática da Venezuela, sendo que o processo foi tão traumático que nem a ditadura haitiana apoiou a campanha e os costariquenhos aboliriam o exército logo depois da guerra. Outro movimento pró-guerra foi do Partido do Trabalho de Barbados na Invasão de Granada na década de 80.[3] A organização também tem apoiado a queda de Nicolás Maduro em 2019[4] e apoiou a primavera Árabe em 2010.[5]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Douet, Marie-José (mai–juin 2009), «Il y a 90 ans : Fondation de la 3ème Internationale», L’Egalité (em francês) (137)  Verifique data em: |data= (ajuda), in «L'Internationale communiste», Gauche révolutionaire (em francês), FR: Comité pour une internationale ouvrière, 8 de julho de 2009 [ligação inativa]
  2. «Nação Humana Universal». 26 de fevereiro de 2005. Consultado em 28 de setembro de 2014 
  3. "Internacional Socialista: contradições e incoerências na sua presença na América Latina e Caribe" In: CUEVA, Agustin. Tempos conservadores. São Paulo: Hucitec, 1989. 272p. ((Problemas contemporaneos)) ISBN 852710072X
  4. Internacional Socialista apoia Guaidó e expulsa partido da Nicarágua
  5. Marxism, the Arab Spring, and Islamic fundamentalism
  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.