Internet - O Filme

filme brasileiro de 2017
(Redirecionado de Internet: O Filme)

Internet - O Filme é um filme de comédia brasileiro dirigido por Fillipo Capuzzi Lapietra e escrito por Rafinha Bastos, Dani Garutti e Mirna Nogueira. Estrelado por diversos youtubers brasileiros, a história é dividida em diferentes partes e, segundo Rafinha, a ideia era retratar como a Internet "mudou a vida da nova geração". A Paris Filmes anunciou o lançamento do filme em 9 de setembro de 2016, lançando também trailers e cartazes. Durante esse período, foi exibido na Comic Con Experience. Internet - O Filme foi lançado nos cinemas em 23 de fevereiro de 2017. Apesar de faturar mais de um milhão de dólares e ser uma das maiores bilheterias do Brasil naquele ano, o filme teve recepção negativa dos críticos, especialmente sobre o enredo e a atuação.

Internet - O Filme
Pôster promocional
 Brasil
2017 •  cor •  90 min 
Direção Fillipo Capuzzi Lapietra
Produção Sandi Adamiu
Márcio Fraccaroli
Rafinha Bastos
Roteiro Rafinha Bastos, Dani Garutti e Mirna Nogueira
Gênero comédia
Companhia(s) produtora(s) Paris Produções
Elo Company
Televisa
Downtown Filmes
Distribuição Paris Filmes
Lançamento 23 de fevereiro de 2017
Idioma português
Receita $1 586 793

EnredoEditar

Uesley (Gustavo Stockler) é um youtuber arrogante e que se importa apenas com a própria popularidade. Ele é o youtuber principal de um evento de influenciadores realizado num hotel. Depois de publicar, em seu canal na plataforma, um beijo entre Mateus (Felipe Castanhari) e Natalia (Patrícia dos Reis), Uesley acidentalmente faz a popularidade da dupla aumentar, ofuscando a sua própria popularidade. Ao mesmo tempo, três amigos fazem uma aposta para que, em troca de uma passagem para Los Angeles, Vepê (Lucas Olioti) seduza Barbarinha (Priscilla Marinho). Duas amigas, Malu (Thaynara Oliveira Gomes) e Fabi (Gabi Lopes), chegam ao hotel sem saber o local da convenção de youtubers. Além disso, há Cesinha Passos (Rafinha Bastos), que deve lidar com a má fama ao mesmo tempo em que convive com Adalgamir (Paulinho Serra), um fã que passa a trabalhar com ele, e também Paulinho (Rafael Lange), profissional de Street Fighter que se fantasia como youtuber e tenta não ser desmascarado.[1]

ElencoEditar

Apresenta-se a seguir o elenco de Internet - O Filme.[2][3]

ProduçãoEditar

 
Além de participar do elenco, Rafinha Bastos também foi um dos produtores e roteiristas do filme

Internet - O Filme foi dirigido por Fillipo Capuzzi Lapietra e produzido por Sandi Adamiu, Márcio Fraccaroli e Rafinha Bastos. Foi produzido executivamente por Renata Rezende, e o roteiro foi escrito por Rafinha Bastos, Dani Garutti e Mirna Nogueira.[2][3] A ideia do filme seria retratar como a Internet "mudou a vida da nova geração". De acordo com Rafinha, esse seria o primeiro filme "com gente de Internet, sobre Internet, para o público da Internet", completando que "É muito mais profundo do que parece pelo título". Similarmente, Felipe Castanhari disse: "Existe uma mensagem importante que a gente quer passar". Segundo Rafinha, para adaptar a Internet para o cinema, a equipe fez variações nos cortes, assemelhando-se às vezes a um vlog. Ele disse, no entanto, que seu foco não era a adaptação, mas sim "fazer histórias legais".[4]

O enredo é dividido em diferentes histórias que se cruzam em algum momento.[5] Segundo Castanhari, uma das referências de Filippo seria Scott Pilgrim contra o Mundo (2010), "um filme de ritmo frenético, com várias histórias que vão se cruzando".[4] Rafinha disse que sua referência foi Relatos Selvagens, filme argentino indicado em 2015 ao Oscar de melhor filme internacional. "Falando assim parece muito arrogante, mas é só pelo formato da história e pelo fato de elas se cruzarem", completou.[5]

Sobre o elenco, ele comentou que não foi possível incluir Lucas Lira, do canal "Invento na Hora" e Luba, do "LubaTV", que estavam interessados em fazer parte do elenco, mas que não se encaixavam mais na trama. Foi possível encaixar outros, como Lucas, do canal "Inutilismo", Nyvi Estephan, do canal de mesmo nome e Gordox, do canal "williangORDOx", mas Rafinha disse que as participações são mínimas. No entanto, essa foi "uma maneira que a gente teve de colocar um pouco mais da galera".[6] Também houveram pessoas que estavam confirmadas para o elenco, mas que mais tarde deixaram-o;[6] esse foi o caso, por exemplo, de Kéfera Buchmann, que deixou o elenco alegando motivos de agenda.[7]

Rafinha disse que, desde o começo da produção, não gostaria de amenizar o que era publicado na Internet e que, se necessário, poderia aumentar a classificação indicativa do filme. Ele completou com um exemplo: "Não dá para eu chamar o Cocielo e não deixar o cara falar palavrões."[4] Apesar disso, ele disse também que, junto com Filippo, gostaria de fazer "ci-ne-ma", e não um vídeo longo para Internet. Assim, eles pediram para que os youtubers do elenco apresentassem "um tom mais baixo" para o filme. Rafinha disse: "Que eles não estivessem escandalosos como eles estão em seus vlogs e no seu trabalho de internet". Ele disse que o filme é todo financiado com dinheiro próprio.[6]

Lançamento e bilheteriaEditar

Em 9 de setembro de 2016, a Paris Filmes confirmou através de seu Twitter oficial o lançamento de Internet - O Filme.[8] O primeiro teaser trailer, com Mr. Catra e Victor Meyniel, foi divulgado treze dias depois.[9] No dia 1 de dezembro, foi anunciado que o filme, que tinha um lançamento programado para 19 de janeiro do ano seguinte,[10] havia sido adiado para 23 de fevereiro. Isto ocorreu para não coincidir com o lançamento de Eu Fico Loko do youtuber Christian Figueiredo, que ocorreria em 12 de janeiro.[11] O filme foi exibido pela primeira vez na Comic Con Experience de 2016, ocorrida entre os dias 1 e 4 de dezembro.[10] Em 13 de dezembro, oito cartazes do filme foram divulgados.[12] Um trailer oficial de maior duração foi divulgado em 5 de janeiro de 2017.[13]

O filme foi lançado em 23 de fevereiro.[1] No feriado de Carnaval, foi o quarto filme mais visto nos cinemas brasileiros, com 106 mil espectadores.[14] Até 12 de março, Internet - O Filme já havia vendido 366 230 ingressos.[15] No total, o filme faturou 1 586 793 dólares,[16] sendo a 11.ª maior bilheteria do cinema brasileiro no ano.[17] Em junho de 2017, Internet - O Filme foi lançado na Netflix,[18] sendo removido do catálogo no dia 1 do mesmo mês três anos depois.[19]

Recepção críticaEditar

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
AdoroCinema      [20]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AdoroCinema      [21]
Almanaque Virtual      [22]
Ccine10      [23]
Cineweb      [24]
Folha de S.Paulo      [25]
Omelete      [26]
Papo de Cinema      [27]

Em geral, Internet - O Filme foi recebido negativamente pelos críticos. Com base em 8 críticas da imprensa, o AdoroCinema deu uma nota média de 1,8 de 5 estrelas.[20] O enredo fragmentado não foi bem recebido. Segundo o Ccine10, algumas das histórias "nunca se cruzam como teoricamente seria o ideal num filme nesse formato. Todas essas micro histórias tem como víeis mostrar a busca pela fama a qualquer custo, mas quase todas acabam servindo apenas como autopromoção dos participantes."[23] O Cineweb comentou que "é louvável o esforço [...] em conseguir alcançar coesão e coerência com tantos personagens e histórias que mal se cruzam."[24] O Omelete foi levemente mais positivo, dizendo que a história era fraca, "mas esconde ali algum cuidado técnico e uma ou outra situações [sic] que geram risos genuínos."[26] O G1 disse que a história é "uma boa síntese do 'espírito' da Internet."[28]

A atuação foi criticada, com diversos críticos atribuindo isso ao fato de que o elenco não é formado por atores profissionais, mas youtubers.[23][26][29] O AdoroCinema comentou que, apesar de alguns youtubers terem boas atuações, vários "surgem de forma apática ou irritante".[21] O G1 disse que "Os youtubers não interpretam eles mesmos — e estão longe de serem bons atores —, mas tentam conquistar o público do cinema com os mesmos artifícios que usam em seus vídeos na internet, cada um ao seu modo. E isso pode dar certo."[28] O personagem Cesinha Passos, atuado por Rafinha Bastos, teve recepção polarizada. Enquanto o Ccine10 disse que a história do personagem é a que mais incomoda,[23] o Cineweb disse que o personagem tem "um pouco mais a oferecer do que os outros".[24] Sobre a atuação de Mr. Catra como Deus na cena pós-créditos, o Ccine10 disse que essa era a melhor do filme,[23] enquanto o AdoroCinema disse que essa era uma das poucas vezes em que o filme se salvava.[21]

Alguns críticos alegaram que Internet - O Filme conta com preconceitos, incluindo homofobia e gordofobia.[24] Sobre isso, o Ccine10 comentou: "O filme tinha tudo para seguir para um caminho interessante e brincar com os estereótipos e fazer piadas mais inteligente [sic], mas tudo acaba indo para o escrachado e até certo ponto ofensivo."[23] Segundo o AdoroCinema, a "quase inexistência de negros no elenco" é algo que chama a atenção.[21]

O Almanaque Virtual disse que Internet - O Filme "nada tem a acrescentar, a não ser a sensação de tempo perdido."[22] O Metrópoles concluiu sua análise dizendo que o filme "despreza o cinema".[29] Diversos críticos comentaram que era questionável se o público que assiste os youtubers também teria interesse em vê-los nos cinemas.[26][27][28] A Folha de S. Paulo terminou sua análise dizendo que o filme é "esquecível".[25] De maneira similar, o G1 disse que o filme "até faz rir (às vezes), mas a gente logo esquece o que achou engraçado."[28] O Papo de Cinema alegou que Rafinha "não [estava] preocupado em fazer um bom filme".[27]

Referências

  1. a b «Internet - O Filme». AdoroCinema. Consultado em 10 de abril de 2021 
  2. a b Créditos de Internet - O Filme (2017).
  3. a b «Créditos de Internet - O Filme». AdoroCinema. Consultado em 10 de abril de 2021 
  4. a b c Carmelo, Bruno (8 de outubro de 2016). «Internet - O Filme vai manter os palavrões do YouTube "sem o ranço da TV", prometem Rafinha Bastos e Felipe Castanhari». AdoroCinema. Consultado em 11 de abril de 2021 
  5. a b Zendron, Mariane (7 de outubro de 2016). «Rafinha diz que "Internet O Filme" será "Relatos Selvagens" brasileiro». Cinema UOL. Consultado em 11 de abril de 2021 
  6. a b c Hermsdorff, Renato (23 de fevereiro de 2017). «Internet – O Filme: Rafinha Bastos conta quem entrou na última hora – e quem ficou de fora do elenco (Entrevista Exclusiva)». AdoroCinema. Consultado em 11 de abril de 2021 
  7. «Kéfera desiste de longa com youtubers e Rafinha Bastos». Veja. 20 de setembro de 2016. Consultado em 11 de abril de 2021 
  8. «YouTubers brasileiros serão os astros de "Internet – O Filme"». Canaltech. 12 de setembro de 2016. Consultado em 11 de abril de 2021 
  9. «Mr. Catra esculacha youtubers no primeiro vídeo de Internet - O Filme». AdoroCinema. Consultado em 10 de abril de 2021 
  10. a b Mendes, Taiani (30 de setembro de 2016). «Internet – O Filme será exibido pela primeira vez na Comic Con Experience 2016». AdoroCinema. Consultado em 13 de abril de 2021 
  11. Zanetti, Laysa (1 de dezembro de 2016). «Internet - O Filme tem lançamento adiado». AdoroCinema. Consultado em 11 de abril de 2021 
  12. Vitor Figueira, João (13 de dezembro de 2016). «Internet - O Filme: Comédia nacional estrelada por youtubers ganha cartazes». AdoroCinema. Consultado em 11 de abril de 2021 
  13. Pratini, Vitória (5 de janeiro de 2017). «Vem ver o primeiro trailer de Internet - O Filme, comédia nacional estrelada por youtubers». AdoroCinema. Consultado em 13 de abril de 2021 
  14. Carmelo, Bruno (2 de março de 2017). «Bilheterias Brasil: A Grande Muralha lidera o ranking durante o Carnaval». AdoroCinema. Consultado em 13 de abril de 2021 
  15. «Bilheteria de Internet - O Filme». AdoroCinema. Consultado em 10 de abril de 2021 
  16. «Internet: O Filme». Box Office Mojo. Consultado em 11 de abril de 2021 
  17. Mendes, Taiani (2 de janeiro de 2018). «Retrospectiva 2017: As 20 maiores bilheterias do cinema brasileiro». AdoroCinema. Consultado em 13 de abril de 2021 
  18. Torres, Rodrigo (26 de maio de 2017). «Estreias de junho de 2017 na Netflix». AdoroCinema. Consultado em 13 de abril de 2021 
  19. «Netflix remove 112 filmes e séries do catálogo em junho». Correio do Povo. 31 de maio de 2020. Consultado em 13 de abril de 2021 
  20. a b «Internet - O Filme: Críticas imprensa». AdoroCinema. Consultado em 22 de maio de 2021 
  21. a b c d Russo, Francisco. «Internet - O Filme: Críticas AdoroCinema». AdoroCinema. Consultado em 12 de abril de 2021 
  22. a b Rodrigues Ferreira Junior, Celso (22 de fevereiro de 2017). «Internet - O Filme». Almanaque Virtual. Consultado em 12 de abril de 2021 
  23. a b c d e f «Internet - O Filme (Crítica)». Ccine10. Consultado em 12 de abril de 2021. Arquivado do original em 21 de abril de 2017 
  24. a b c d «Internet - O filme». Cineweb. Consultado em 12 de abril de 2021 
  25. a b Felitti, Chico (23 de fevereiro de 2017). «Crítica: Fora humoristas, produção com youtubers é esquecível». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de abril de 2021 
  26. a b c d Forlani, Marcelo (24 de fevereiro de 2017). «Internet - O Filme | Crítica». Omelete. Consultado em 12 de abril de 2021 
  27. a b c «Internet: O Filme». Papo de Cinema. Consultado em 12 de abril de 2021 
  28. a b c d «'Internet - O filme' é como vídeo do YouTube de uma hora e meia; G1 já viu». G1. Consultado em 13 de abril de 2021 
  29. a b «Crítica: "Internet – O Filme" quer o seu like, mas despreza o cinema». Metrópoles. 23 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de março de 2017