Involução (falácia biológica)

O termo involução é empregado, na linguagem coloquial, como um processo oposto ao da evolução dos seres vivos[1]. O conceito popular de involução é o de retrocesso, de perda de qualidades benéficas, como força e inteligência, e de retorno a um estado primitivo.

Essa ideia não é respaldada pelo consenso científico, apesar de estarem surgindo algumas poucas publicações a favor de um contínuo e crescente acúmulo de mutações deleterias nas populações humana e dos seres vivos em geral. [2][3][4][5]

A evolução biológica é um processo contínuo e unidirecional, assim não há "antievolução" ou "involução". Não existem, na teoria evolucionista, parâmetros de excelência de que seres possam se aproximar ou se afastar. Além disso, o retorno a um estágio biológico anterior, na trajetória evolutiva, é um evento praticamente impossível; este princípio é enunciado pela Lei de Dollo.[6] Pode ocorrer a volta de certas caraterísticas abandonadas previamente, conhecida como reversão evolutiva.[7] Mas isso é só uma hipótese. Talvez o que possa ocorrer seria um declínio de qualidade genético-proteica como defende Gerald Crabtree .

A ideia popular de involução pode surgir da noção incorreta de que a evolução tem um propósito derradeiro.

Ver tambémEditar

Referências

  1. De-Evolution
  2. Basener, William F.; Sanford, John C. (junho de 2018). «The fundamental theorem of natural selection with mutations». Journal of Mathematical Biology (7): 1589–1622. ISSN 1432-1416. PMC 5906570 . PMID 29116373. doi:10.1007/s00285-017-1190-x. Consultado em 5 de abril de 2021 
  3. Brewer, Wesley H.; Baumgardner, John R.; Sanford, John C. (10 de abril de 2013). «Using Numerical Simulation to Test the ?Mutation-Count? Hypothesis». WORLD SCIENTIFIC: 298–311. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0012. Consultado em 5 de abril de 2021 
  4. Crevecoeur, Guibert U. (1 de dezembro de 2019). «Entropy growth and information gain in operating organized systems». AIP Advances (12). 125041 páginas. doi:10.1063/1.5128315. Consultado em 5 de abril de 2021 
  5. Fu, Wenqing; O'Connor, Timothy D.; Jun, Goo; Kang, Hyun Min; Abecasis, Goncalo; Leal, Suzanne M.; Gabriel, Stacey; Rieder, Mark J.; Altshuler, David (10 de janeiro de 2013). «Analysis of 6,515 exomes reveals the recent origin of most human protein-coding variants». Nature (7431): 216–220. ISSN 1476-4687. PMC 3676746 . PMID 23201682. doi:10.1038/nature11690. Consultado em 14 de abril de 2021 
  6. Can Evolution Run in Reverse? A Study Says It’s a One-Way Street, The New York Times
  7. "Reverse Evolution" Discovered in Seattle Fish, National Geographic Magazine