Abrir menu principal

Ipixuna é um município brasileiro no interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Pertencente à mesorregião do Sudoeste Amazonense e microrregião de Juruá, seu nome provém do rio Ipixuna, um dos principais afluentes do rio Juruá, com a extensão de cerca de 300 quilômetros.

Município de Ipixuna
"Princesinha do Juruá, Vila Ipixuna, Ilha, Terrinha."
Ipixuna3.jpg

Bandeira de Ipixuna
Brasão de Ipixuna
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 18 de fevereiro de 1955 (64 anos)
Gentílico ipixunense
Lema Ordem e Progresso

Para a glória e grandeza do Brasil.

CEP 69890-000
Prefeito(a) Maria do Socorro de Paula Oliveira (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Ipixuna
Localização de Ipixuna no Amazonas
Ipixuna está localizado em: Brasil
Ipixuna
Localização de Ipixuna no Brasil
07° 03' 03" S 71° 41' 42" O07° 03' 03" S 71° 41' 42" O
Unidade federativa Amazonas
Mesorregião Sudoeste Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Juruá IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Guajará (O); Atalaia do Norte (NO); Benjamin Constant (N); Eirunepé (L) e o estado do Acre (S).
Distância até a capital 1 380 km
Características geográficas
Área 13 565,920 km² [2]
População 27 587 hab. (AM: 29º) –  estimativa populacional - IBGE/2016[3]
Densidade 2,03 hab./km²
Clima tropical, chuvoso e úmido.
Fuso horário UTC-5
Indicadores
IDH-M 0,481 (AM: 59º) – muito baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 106 837 mil IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 4 212,48 IBGE/2013[5]
Página oficial
Prefeitura https://www.facebook.com/prefeituradeipixuna/

https://www.transparenciamunicipalaam.com.br/ipixuna/

Câmara https://www.ipixuna.am.leg.br/

Em 2000, a cidade foi classificada com o quinto pior índice de desenvolvimento humano do Brasil, o que vem motivando várias ações governamentais no intuito de desenvolver a cidade. Em 2016 o município ficou em último lugar no Índice de Desenvolvimento Municipal divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Sua população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era de 27 587 habitantes em 2016.[3]

Índice

TopônimoEditar

"Ipixuna", em língua tupi, significa "água escura"[6], denominação esta dada pelos índios catuquinas, culinas e canamaus ao rio Ipixuna.

HistóriaEditar

Em meados do século XIX deu-se a fixação de estrangeiros no território atual do município. Em 1857, João da Cunha subiu o grande rio, até a foz do Juruá-Mirim. Em 1877 têm-se notícias de geral fixação de cearenses no rio Juruá. Em 1833 ocorreu o povoamento de Riozinho (localizado no centro do atual do município) por Artur Marques de Menezes.

Formação administrativaEditar

Em 19 de dezembro de 1955, pela lei estadual n.º 96, foi criado o município de Ipixuna, desmembrado do município de Eirunepé.

O município de Ipixuna foi constituído pelos subdistritos de Foz do Riozinho, Foz de Ipixuna, Foz do Hudson e parte dos de Foz do Gregório e Canidé, com sede na localidade de Guajará, elevada então à categoria de cidade em 1955.

Em 18 de fevereiro de 1956 deu-se a instalação do novo município, tendo seu primeiro prefeito, Varcy Herculano Barroso, nomeado pelo governo do estado, o Sr. Domingos Barbosa Filho.

Em 5 de junho de 1958, Ipixuna foi enquadrado entre os municípios considerados área de segurança nacional.

Em 10 de dezembro de 1981 foi desmembrado do seu território a área que passou a constituir o município de Canamari/Guajará.

Feriados e FestejosEditar

 Segundo o Art. 20 da Lei Orgânica do Município - São feriados municipais destinados a comemoração da coletividade nas datas fixadas no calendário.

I   -  Dia 18 de fevereiro - data de aniversário do Município;

II  -  Dia 24 de junho -festa tradicional do Município;

III -  Dia 15 de setembro - dia de Nossa Senhora Das Dores, Padroeira do Município;

IV - Dia 04 de outubro - dia de São Francisco das Chagas. Patrono do Município. (Lei Orgânica do Município de Ipixuna,publicado em 28/06/1990:16).

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 07º03'03" sul e a uma longitude 71º41'42" oeste. O município tem 25 362 e possui uma área de 13,630 km² aproximadamente e está localizado no Estado do Amazonas, a margem esquerda do rio Juruá, pertencendo a 4ª sub-região denominada Região do Juruá. Limita-se com 5 municípios do Estado do Amazonas e um do Acre: ao norte - Atalaia do Norte e Benjamim Constant, ao Sul - Tarauacá- AC, a Leste - Eirunepé e a Oeste - Guajará. Quanto aos aspectos físicos, Ipixuna é caracterizado com: relevo constituído por terras de várzeas e terras firmes. As várzeas com suas terras mais baixas alagam durante as enchentes dos rios. As terras firmes ocupam a maior parte do relevo e apresentam terrenos com oscilações. Hidrografia O município é banhado pelo rio Juruá que é um afluente da margem direita do rio Solimões, que ao encontrar com o afluente de nome rio Negro recebe o nome de Amazonas. O rio Juruá nasce nas cordilheiras dos Andes , constitui uma via natural de Transporte , ligando a sede do município as suas localidades e ao vizinho Estado do Acre(Cruzeiro do Sul), aos municípios de Guajará, Eirunepé, Itamarati, Carauari, Juruá e a capital do Estado através do rio Solimões. Os principais afluentes do rio Juruá na área do Município de Ipixuna são: Campinas, Liberdade, Gregório, Riozinho do Penedo, Curu (Mesquita), Porto Rico, (limão), Salva Vida, Santa Rosa, Uanamani, Rio Douro.

ClimaEditar

O clima caracteriza-se por temperaturas elevadas e pela umidade. No verão os dias apresentam -se quentes , no entanto nos meses de maio e junho ocorrem friagens. o período de novembro e março é o mais chuvoso.

InfraestruturaEditar

SaúdeEditar

O município possuía, em 2009, 6 estabelecimentos de saúde, sendo todos estes públicos municipais ou estaduais, entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles havia 5 leitos para internação.[7] Em 2014, 98,5% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[8] Em 2015, foram registrados 441 nascidos vivos, ao mesmo tempo que o índice de mortalidade infantil foi de 15 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[8] No mesmo ano, 29,3% das crianças que nasceram no município eram de mães adolescentes.[9] Cerca de 98,5% das crianças menores de 2 anos de idade foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2014, sendo que 0,4% delas estavam desnutridas.[10]

O município possuía, em 2009, apenas um estabelecimento de saúde especializado em neurocirurgia, obstetrícia, pediatria, psiquiatria e traumato-ortopedia. Dos 6 estabelecimentos de saúde, 5 deles eram sem internação e 1 deles com internação.[7] Até 2015, não havia registros de casos de HIV/AIDS. O número de casos de doenças transmitidas por mosquitos e insetos foi de 16, em 2012, sendo a principal delas a leishmaniose.[11]

TelefoniaEditar

Ipixuna é servido pelo sistema de telefonia fixa através da operadora Oi (antiga TELEMAR). Na área rural e em alguns distritos existem centrais telefônicas. E em dezenas de comunidades rurais existe o sistema público com 1 terminal telefônico.

No sistema móvel (celular), Ipixuna é servido pelas operadoras: VIVO 2G e CLARO 3G.

InternetEditar

O sistema de internet do município é fornecido através da UNONET.

Filhos IlustresEditar

  • Francisco Marcos da Silva Barroso (médico urologista)
  • Max Lucas Martins Rodrigues (Médico Intensivista e Gestor do Pronto Atendimento da UNIMED)

Hino Municipal (letra)Editar

I

No meio de florestas gigantescas

Te ergues pequenina e sobranceira

Oh crescente Cidade de Ipixuna

No rio Juruá na ribanceira.

Estrofe

Eia...Sus oh Ipixuna,

Te acompanha em fados mil

Pois se cresce o teu progresso,

É o progresso do Brasil

             II

Dos municípios todos do amazonas,

O mais distante és tu e no entanto

Pelo constante esforço de teus filhos

Teu desenvolvimento causa espanto.

             III

Teu solo variado e sempre fértil

Vivo esperando o braço empreendedor

Para todos encher de ricos frutos

Pelo dever sublime do labor

             IV

Ninguém impedirá o teu triunfo

Pois teu povo é modesto e varonil

Segue o lema que é ORDEM E PROGRESSO

Para glória e grandeza do Brasil.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. a b «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 12 de setembro de 2016. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  6. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.71
  7. a b Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  8. a b Portal ODM (2012). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  9. Portal ODM (2015). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  10. Portal ODM (2015). «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  11. Portal ODM (2012). «6 - combater a Aids, a malária e outras doenças». Consultado em 13 de dezembro de 2018