Abrir menu principal

Cruzeiro do Sul (Acre)

Município brasileiro do estado do Acre

Cruzeiro do Sul é um município brasileiro localizado no interior do estado do Acre. Conhecida como Capital do Juruá, é o mais importante polo turístico e econômico do interior do Acre.

Município de Cruzeiro do Sul
"Cruzeiro"
"Capital do Vale do Juruá"
"Terra dos Náuas"
A ponte da união liga Cruzeiro do Sul ao Segundo distrito e a capital Rio Branco.

A ponte da união liga Cruzeiro do Sul ao Segundo distrito e a capital Rio Branco.
Bandeira de Cruzeiro do Sul
Brasão de Cruzeiro do Sul
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de setembro
Fundação 12 de setembro de 1904 (114 anos)
Emancipação 28 de setembro de 1904 (114 anos)[nota 1]
- da Bolívia
Gentílico cruzeirense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Glória[1]
CEP 69.980-000[2]
Prefeito(a) Ilderlei Cordeiro (MDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Cruzeiro do Sul
Localização de Cruzeiro do Sul no Acre
Cruzeiro do Sul está localizado em: Brasil
Cruzeiro do Sul
Localização de Cruzeiro do Sul no Brasil
07° 37' 51" S 72° 40' 12" O07° 37' 51" S 72° 40' 12" O
Unidade federativa Acre
Região intermediária

Cruzeiro do Sul [3]

Região imediata

Cruzeiro do Sul [3]

Municípios limítrofes Porto Walter, Rodrigues Alves, Tarauacá, Mâncio Lima, Estado do Amazonas e República do Peru
Distância até a capital
Características geográficas
Área 7 924,943 km² (BR: 182º AC: 5º)[5]
Área urbana 24,794 km² (BR: 405º AC: 2º) – est. Embrapa[6]
Distritos 1
População 87 673 hab. (AC: 2º) –  estimativa populacional - IBGE/2018[7]
Densidade 11,06 hab./km²
Altitude 182 m
Clima Equatorial isotérmico Af
Fuso horário UTC-5
Indicadores
IDH-M 0,664 (AC: 2º) – médio PNUD/2010[8]
Gini 0,64 PNUD/2010[8]
PIB R$ 1,088,626,180 mil (AC: 2º) – IBGE/2016[9]
PIB per capita R$ 13 263,80 IBGE/2016[9]
Página oficial
Prefeitura www.cruzeirodosul.ac.gov.br
Câmara www.cruzeirodosul.ac.leg.br

Cruzeiro do Sul é cercada de construções e monumentos que simbolizam e guardam a história do Acre. O município, cujo nome foi inspirado na Constelação "Cruzeiro do Sul", teve sua fundação oficializada em 28 de Setembro de 1904, quando a sede do Departamento do Alto Juruá foi transferida para Cruzeiro do Sul. A área escolhida chamava-se "Centro Brasileiro" e foi adquirida do Sr. Antônio Marques de Menezes pelo governo da União. Era localizado à esquerda do barracão central da casa de farinha e de algumas barracas isoladas.

Índice

TopônimoEditar

Não se sabe, exatamente, de quem foi a ideia de dar o nome à sede da prefeitura do Alto Juruá de Cruzeiro do Sul, mas a denominação é estabelecida no artigo 2° do Decreto e, com certeza, tem por inspiração a constelação do Cruzeiro do Sul.

HistóriaEditar

 
Cruzeiro do Sul em 1909 (Documento sob guarda do Arquivo Nacional).

A região que hoje compreende o município de Cruzeiro do Sul era habitada por tribos indígenas. Os índios que habitavam o vale do Juruá, divididos em 49 tribos, eram do tronco Arawak ou Aruak, e se dividiam em grupos com as suas denominações particulares tais como Ararauas, Catukinas e Curimas. Na época das explorações foram encontradas as tribos dos Náuas, Amahuacas, Jamináuas, Capanáuas e Caxinauás. Ao longo das margens do rio Juruá vivia a tribo dos Náuas, multiplicando-se em tabas, dominando o rio e a selva, no trecho onde está localizado a cidade de Cruzeiro do Sul, até o extremo do extenso Estirão (trecho do rio que corre em linha reta).

Em 1857 ocorre o início das expedições para o Alto Juruá, quando o chefe de índios João da Cunha Correia chegou a foz do rio Juruá-Mirim. Várias expedições foram realizadas, proporcionando o início do povoamento da região. A tribo dos Nauas (os principais dominantes que fez retroceder a expedição do cientista inglês William Chandlesse em 1867) abandonou a localidade a partir de 1870 rumando para o Peru pelos altos rios em função de uma terrível epidemia. Formaram-se seringais como consequência da imigração de nordestinos que, acossados pelo fenômeno das secas, abandonaram os sertões entre 1877 a 1879.

O seringal, já denominado Centro Brasileiro, foi explorado por volta de 1890 e passou a congregar grande número de brasileiros. Em 1896 os primeiros caucheiros peruanos começaram a aparecer. Em 1902, o comissário peruano Carlos Casquez Guadra estabeleceu-se oficialmente à foz do rio Amônea, dando início a uma seqüência de choques entre brasileiros e peruanos. Em 17 de Novembro de 1903, o território do Acre, incorporado ao Brasil pelo Tratado de Petrópolis, foi dividido em três departamentos: Alto Juruá, Alto Purus e Alto Acre, todos independentes entre si e diretamente subordinados ao Governo da União. Cada um dos departamentos era administrado por um Intendente (cargo parecido com o de prefeito atual, só que nomeado pelo Presidente da República, até 1920).

Em 12 de setembro de 1904 o Coronel do Exército Brasileiro Gregório Taumaturgo de Azevedo instalou a sede provisória do município em um local denominado "Invencível", situado na foz do Rio Moa. No dia 28 de setembro de 1904, o Coronel Thaumaturgo, através do Decreto N° 4, autorizava a transferência da sede da Prefeitura para o Seringal Centro Brasileiro, à margem esquerda do Juruá, pois no antigo lugar faltava área suficiente para o desenvolvimento futuro da cidade, além do problema das inundações periódicas, resultantes das enchentes do rio. Na área do Centro Brasileiro, a geografia apresentava muitas colinas (terras livres de inundações), facilitando a implantação da futura cidade de Cruzeiro do Sul, atendendo, ainda, outras considerações de ordem administrativa e comercial.

Cruzeiro do Sul no ano de 1906
Ribeirinhos
Primeiras construções de alvenaria
Construções de madeira
Ponte 17 de Novembro

GeografiaEditar

Localiza-se na região noroeste do estado de Acre, na margem esquerda do rio Juruá, a 648 km por via terrestre da capital do estado Rio Branco, pela rodovia BR-364 e 593 km em linha reta. Suas cordenadas são latitude de 07º37'51" sul e longitude de 72°40'12" oeste.

TerritórioEditar

Cruzeiro do Sul situa-se na Região Geográfica Intermediária de Cruzeiro do Sul e Região Geográfica Imediata de Cruzeiro do Sul.[3]

A área do município é de 7 924,94 km² e a área urbana é de 24,794 km².[5][6]

Faz divisa com o estado do Amazonas (norte); o município de Porto Walter (ao sul); com Tarauacá (a leste) e com os municípios de Mâncio Lima, Rodrigues Alves e com o Peru (a oeste).[10]

HidrografiaEditar

 
Rio Juruá ao atravessar Cruzeiro do Sul.

Cruzeiro do Sul é banhado pelo Rio Juruá, de águas barrentas, navegáveis e piscosas que banha e divide o município em dois distritos. O nome Juruá é de origem indígena, é uma derivação do nome "Yurá", usado pelos indígenas que habitavam suas margens. O rio nasce no Peru e, com 2 410 quilômetros de extensão, é o 43º maior rio do mundo.

Suas águas caudalosas e barrentas tem dois períodos distintos: no inverno, especialmente de dezembro a maio, é a época das enchentes, quando ele invade todas as terras baixas; e o período de verão, de junho a novembro, quando suas águas baixam de tal maneira que os barcos e balsas de maior porte não conseguem chegar a Cruzeiro do Sul. Suas margens, após as vazantes, são utilizadas pelos ribeirinhos ou "barranqueiros" para o plantio de produtos agrícolas como: feijão, milho, batata, melancia e outros.

Há uma grande quantidade de lagos espalhados pelo município, localizados, quase sempre, próximos ao Rio Juruá ou a seus afluentes. O aspecto e a largura que apresentam são semelhantes aos dos cursos d'água que passam nas proximidades. Medem, aproximadamente, 6 km de extensão e são, geralmente, piscosos.

Solo e relevoEditar

O tipo de solo predominante é o podzólico vermelho e amarelo, não possuindo terreno pedregoso. O município conta com um relevo formado por uma série de colinas e uma vegetação predominantemente amazônica.[11]

ClimaEditar

Maiores acumulados de precipitação em 24 horas
registrados em Cruzeiro do Sul por meses (INMET)[12]
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 93,1 mm 22/01/2013 Julho 94,4 mm 09/07/1972
Fevereiro 104 mm 17/02/1971 Agosto 95,3 mm 05/08/1972
Março 160,6 mm 25/03/2005 Setembro 105 mm 01/09/1978
Abril 140,8 mm 03/04/1987 Outubro 103,8 mm 31/10/1974
Maio 98,4 mm 13/05/2001 Novembro 90 mm 13/11/1977
Junho 92,2 mm 30/06/1989 Dezembro 118,2 mm 02/12/2001
Período: 01/01/1961 a 31/12/1962, 06/04/1970 a 31/12/1990 e 01/01/1993 a 31/01/2016

O clima de Cruzeiro do Sul é equatorial (do tipo Af na classificação climática de Köppen-Geiger), quente e úmido,[13] com temperatura média compensada anual em torno dos 25 °C e índice pluviométrico superior a 2 000 milímetros (mm) anuais. A umidade do ar é relativamente elevada, com tempo médio de insolação de aproximadamente 1 340 horas/ano, um dos menores do país.[14]

Entre maio e setembro torna-se mais comum o fenômeno da friagem, registrando temperaturas muito baixas (em torno de 15 °C) para os padrões regionais.[15]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1962, 1970 a 1990 e 1993 a 2016, a menor temperatura registrada em Cruzeiro do Sul foi de 6,2 °C em 27 de junho de 1987,[16] e a maior atingiu 39,9 °C em 22 de maio de 2002.[17]

O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 160,6 mm em 25 de março de 2005.[12] Novembro de 1990, com 480,2 mm, foi o mês de maior precipitação.[18]

Dados climatológicos para Cruzeiro do Sul
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 36,6 36,8 39 38,5 39,9 38 37,2 38,1 39,5 38,7 37,8 38,8 39,9
Temperatura máxima média (°C) 31,5 31,5 31,6 31,5 31 30,9 31,5 32,5 32,8 32,7 32 31,6 31,8
Temperatura média compensada (°C) 25,9 25,7 25,7 25,7 25,1 24,8 24,8 25,5 25,8 26 25,8 25,8 25,6
Temperatura mínima média (°C) 21,3 21,2 21,3 21,1 20,3 19,3 18,6 19,2 20 20,9 21 21,2 20,5
Temperatura mínima recorde (°C) 10,1 10,1 9,8 11,3 6,6 6,2 7,1 6,9 6,8 8,1 9,2 10,3 6,2
Precipitação (mm) 247 258,3 292,6 232,8 155,6 89,7 59,1 76,4 113,2 191 222,2 229,5 2 167,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 17 17 18 15 12 7 6 6 8 13 15 17 151
Umidade relativa compensada (%) 84 84,2 85,1 84,5 83,2 82,6 78,6 77,9 77,8 81,7 83,7 83,9 82,7
Horas de sol 82,4 62,1 74 88,6 120,1 117,5 182,3 162,3 133,1 127,9 103 84,2 1 337,5
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[14] recordes de temperatura: 01/01/1961 a 31/12/1962, 06/04/1970 a 31/12/1990 e 01/01/1993 a 31/01/2016)[16][17]

DemografiaEditar

Cruzeiro do Sul é o segundo município mais populoso do estado, com uma população de 87 673 habitantes de acordo com estimativas de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O município é o segundo mais populoso do estado e o 33º da região Norte do Basil. Apresenta uma densidade populacional de 11,06 habitantes por km².[7]

Segundo o censo de 2000, 50,14% da população urbana são homens e 49,86% mulheres, e 72,17% da população vive na zona urbana e 27,83% vive na zona rural.[19] Segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, a população de Rio Branco equivale a 0,05% da população nacional. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, Cruzeiro do Sul em 2008 possuía 45.298 eleitores, o equivalente a 10,24% do número de eleitores estaduais, sendo o segundo maior colégio acriano.[11]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Cruzeiro do Sul é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo seu valor de 0,668. Considerando apenas a educação o valor do índice é de 0,721, enquanto a média nacional é de 0,849, o índice da longevidade é de 0,685 (o brasileiro é 0,638) e o de renda é de 0,598 (o do Brasil é 0,723).[20] Cruzeiro do Sul possui a maioria dos indicadores médios segundo o PNUD. O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, é de 0,54, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[21] A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 40,17% e a incidência da pobreza subjetiva é de 51,20%.[21] Cruzeiro do Sul apesar da relativa melhora em relação aos índices de 1991, ainda necessita de uma boa melhora nos seus índices para que alcance um patamar aceitável.

ReligiãoEditar

 
Catedral de Cruzeiro do Sul
 
Catedral de Nossa Senhora da Glória, construída em estilo germânico no ano de 1957.

De acordo com dados do censo de 2000 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de Cruzeiro do Sul é composta por: Católicos (76,19 %), evangélicos (20,38%), pessoas sem religião (2,41%), espíritas (0,17%), e 0,85% estão divididos entre outras religiões.[22]

A cidade se desenvolveu sobre uma matriz social eminentemente católica, reflexo disso está associado a grande parte da sua composição religiosa, tanto que a festa mais popular da região está associada a ela, o "Novenário de Nossa Senhora da Glória". Apesar desse quadro, nos últimos anos houve também um forte crescimento da parcela evangélica da população. Embora em menor número, chamam a atenção pela sua particularidade, a presença das chamadas "Religiões da Floresta", em especial a União do Vegetal (UDV) e o Santo Daime, praticas espiritualistas que têm em seus cultos, o uso ritualístico da "ayahuasca". Entre os indígenas da região também acontecem as práticas xamânicas com o uso da "ayahuasca".

Cruzeiro do Sul é um centro episcopal, sendo sede da Diocese de Cruzeiro do Sul.

TemplosEditar

  • Igreja Matriz Nossa Senhora da Glória
  • Igreja Nossa Senhora Aparecida
  • Igreja Nossa Senhora do Rosário
  • Primeira Igreja Batista de Cruzeiro do Sul
  • Igreja Evangélica Assembléia de Deus
  • Igreja Presbiteriana de Cruzeiro do Sul
  • Igreja Adventista Do Sétimo Dia
  • Igreja Universal do Reino de Deus
  • Igreja Pentecostal Fonte da Água Viva
  • Igreja Evangélica Apostolica

Grupos étnicosEditar

A atual população de Cruzeiro do Sul, bem como da região do Juruá, é formada principalmente pelo elemento indígena, e pelos nordestinos que vieram à região em grande número no início do século XX para a extração da borracha. Também é forte na região a presença dos sírio-libaneses, que chegaram à região como comerciantes. Mas recentemente, a região também tem recebido imigrantes peruanos, haitianos e bolivianos.

Notáveis da cidadeEditar

EconomiaEditar

O extrativismo da borracha foi, até o início do século XX, a principal atividade econômica desenvolvida no município. Além da borracha, a economia da região gira em torno da exploração da madeira. Atualmente, a farinha é o principal produto da atividade econômica municipal, sendo uma das melhores da região e muito apreciada no sul do país. Nos últimos anos as atividades econômicas do município estão voltadas para atividades extrativistas, de agronegócios que visam produzir e comercializar bens e serviços. Estas atividades econômicas são fundamentais para o desenvolvimento sustentável da região e do homem que a décadas tenta sobreviver nesta parte do remota do país e através delas as pessoas podem obter as coisas que precisam para a sua vida.

A cidade possui mais de 4.800 empresas atuantes segundo o Empresômetro, segundo maior índice após a capital do estado.[23]

Composição econômica [24]
Serviços

86,57 %

Agropecuária

6,73 %

Indústria

6,70 %

Produto Interno BrutoEditar

Em valores adicionados é a cidade com o maior PIB de toda a Mesorregião do Vale do Juruá, sendo o segundo maior de todo o estado do Acre, atrás somente da capital, Rio Branco; esse fator aliado à sua infraestrutura lhe rendeu a posição de centro urbano de referência[10].

Cruzeiro do Sul possui o segundo maior Produto interno bruto (PIB) dentre os municípios de Acre sendo superado apenas por Rio Branco, estando caracterizada também como a 682ª maior economia do Brasil. Segundo dados do IBGE, em 2016 seu Produto Interno Bruto foi de R$ 1 088 626 180,00 e o PIB per capita era de R$ 13 263,00 mil, o sétimo maior do estado.[9]

Evolução do PIB do município de Cruzeiro do Sul[25]

(em milhões de reais)

 


UrbanizaçãoEditar

Situada ás margens do rio Juruá com área urbana de 24,794 km²,[6] Cruzeiro do Sul possui um urbanismo misto com ruas que ora correm em formato retilíneo, ora são vias tortuosas.

Apesar disto a maioria das quadras tem perfil planejado em formato de xadrez.

InfraestruturaEditar

AcessoEditar

 
Aeroporto Internacional de Cruzeiro do Sul totalmente reformado em 2009, teve sua capacidade ampliada.

Distante cerca de 630 km de Rio Branco, por rodovia, através da BR-364.[10], cujo acesso tornou-se permanente em 2011, mas ainda apresenta deficiências em sua estrutura. Um ponto que decorre da dificuldade do acesso terrestre é a chegada de alimentos até a cidade. Vegetais e alimentos perecíveis, que são difíceis de serem encontrados e sempre a um alto valor, têm seus preços aumentados em função dessa dificuldade logística.

Ainda há o Terminal Rodoviário de Cruzeiro do Sul para quem precisa chegar ou sair de ônibus.

A cidade é servida por meio aéreo pelo Aeroporto Internacional de Cruzeiro do Sul localizado a 15 quilômetros do centro urbano. Existe uma linha regular de jatos comerciais e aviões de médio porte com a capital do estado Rio Branco.

Como grande parte das cidades amazônicas seu principal meio de chegada é por via fluvial, o Porto Fluvial de Cruzeiro do Sul está localizado a 4 quilômetros do centro urbano, e abastece a cidade principalmente com produtos vindos de Manaus.

SegurançaEditar

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade é um problema preocupante em Cruzeiro do Sul. Em 2006 a taxa de homicídios no município foi de 12,4 apresentando uma queda de 36% em relação à taxa do ano anterior, que era de 19,6.[26] Em números absolutos, a média de homicídios na década de 2000 foi de 7,4 homicídios por ano.[26] A taxa de óbitos totais apresentava em 2002 e 2003, 7 óbitos, número que chegou a zero no ano seguinte, voltando a crescer no ano posterior, na ordem de 14 homicídios.[26] A taxa média de homicídios por acidente de transporte, entre 2002 e 2006 foi na ordem de 7,8.[26]

Possui uma Delegacia da Polícia Federal, por se tratar de um ponto estratégico e rota do tráfico de drogas. Os trabalhos da Polícia Federal nessa região são intensos, e a infraestrutura é completa, com policiais especializados em trabalhos na selva, outros especializados em vias fluviais. Também há a presença da Polícia Civil, com delegacias suas especializadas, departamento de Polícia Técnica; Também há um sub-grupamento de combate a incêndio, com atendimentos em parceria com o SAMU, além de um Batalhão de Polícia Militar (6 BPM), subordinado ao Comando de Policiamento Operacional (CPO II), que faz o trabalho ostensivo e repressivo no combate a criminalidade na capital do Juruá.[27]

EducaçãoEditar

A cidade de Cruzeiro do Sul conta com escolas em todas as regiões do seu núcleo urbano, no entanto em sua Zona Rural, devido a escassez de escolas, uma pequena minorias dos alunos são obrigados a deslocar distâncias consideráveis para ter acesso a uma rede escolar. Diante desse quadro, a prefeitura começou a transformar a infraestrutura das escolas, dando-as condições para que garantam um melhor ensino aos alunos.[28] Em 2009, contava no ensino fundamental com 145 escolas, o corpo docente era composto por 866 professores, ministrando aulas para 19.890 alunos.[29][30][31] O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica ao concluir o ensino fundamental foi calculado em 4,2. Acima do estimado para 2009 para o município (3,8), e também acima da média nacional, na ordem de 3,7.[32] O ensino médio era assistido por 10 escolas, uma rede docente de 190 professores e 4.656 matrículas realizadas.[32][33][34][35] O ensino infantil calculava 41 pré-escolas, 120 professores e 2.280 alunos.[36][37][38]

Cruzeiro do Sul concentra os principais cursos superiores de todo o Vale do Juruá, sendo a principal instituição pública de ensino a Universidade Federal do Acre (UFAC), que se localiza na Estrada do Canela Fina, km 12. Além de Cruzeiro do Sul, há outro campi em Rio Branco.

Em 2008, a taxa de analfabetismo no estado é de 13%, uma das mais equilibradas do Brasil. Da população, 36,2% dos acrianos são analfabetos funcionais.

SaúdeEditar

 
Hospital do Juruá foi inaugurado em 2007 como referência em saúde na região.

Cruzeiro do Sul possuía em 2005, 51 estabelecimentos de saúde, sendo 46 deles públicos, entre hospitais, pronto socorro, postos de saúde e serviços odontológicos.[39] A cidade possui 220 leitos para internação em estabelecimentos de saúde, sendo 138 públicos e 82 privados.[40] Existem na cidade um grande hospital geral, o Hospital Regional do Juruá, que absorve grande parte dos casos de todo Oeste acriano e Sul do Amazonas.[41] No ano de 2008 foram registrados 1.764 nascidos vivos, sendo que 7.2% nasceram prematuros, 28,11% foram de partos cesáreos [42] e 8% foram de mães entre 10 e 19 anos (0,4% entre 10 e 14 anos).[43]

Até o início do ano 2000, Cruzeiro do Sul contava com poucas unidades de saúde públicas, sendo o Hospital Geral o seu principal centro de saúde, e uma gama de postos de saúde com baixa taxa de resolutividade de casos. Em 2007, foi inaugurado o Hospital do Juruá após 20 anos com obras arrastadas, se tornou centro de referência na região em casos de maior complexidade.[44] No final de 2008 começou a ser construído o Hospital Materno-Infantil de Cruzeiro do Sul, na estrutura do antigo hospital geral do município, completando assim todo o atendimento de saúde na região.

O quadro de saúde do município está sendo alterado, especialmente após a construção do Hospital Regional, a demanda de profissionais de saúde tem aumentado, assim como a qualidade dos seus serviços.[44] Antes um dos grandes problemas da região devido a escassez de profissionais qualificados era o atendimento de profissionais estrangeiros.

ComunicaçõesEditar

CorreiosEditar

O código de área (DDD) de Cruzeiro do Sul é 68 e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade é 69.980-000.[2]

  • Agências
    • AC Cruzeiro do Sul[2]

InternetEditar

Em Cruzeiro do Sul há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço de telefonia móvel, é oferecido pelas operadoras Claro, Oi,TIM e Vivo.

RádiosEditar

Nome Frequência Razão social Prefixo RDS
Aldeia FM 107.9 MHz Fundação Aldeia de Comunicação do Acre - FUNDAC ZYC 210 Não
Juruá FM 100.9 MHz Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV Ltda. ZYC 209 Não
Rádio Integração 99.9 MHz Rádio e Televisão Integração Ltda. ZYC 201 Não
Rádio Verdes Florestas 95.7 MHz Fundação Verdes Florestas ZYS 207 Não
Televisão
Nome CA CD Razão social Afiliação Prefixo
TV Cruzeiro do Sul 5 22 Rádio TV do Amazonas Ltda. Rede Globo RTV
TV Integração 12 Rádio e Televisão Integração Ltda. Rede Bandeirantes RTV
TV Juruá 10 44 SP Comunicações Limitada SBT RTV
TV Verdes Florestas 15 26 Televisão Independente de São José do Rio Preto Ltda. Rede Vida RTV

BancosEditar

Em Cruzeiro do Sul há os seguintes bancos:

PolíticaEditar

SímbolosEditar

Os símbolos do município de Cruzeiro do Sul são a bandeira, o brasão e o hino.

HinoEditar

O hino de Cruzeiro do Sul foi escrito por Fran Paxeco. A música foi composta por C. Ciarline[45].

PoderesEditar

Poder legislativoEditar

No legislativo possui 14 vereadores.

Poder executivoEditar

A prefeita atual é Ilderlei Cordeiro (filiado ao MDB), sendo eleito em 2016 para a gestão 2017-2020

Poder judiciárioEditar

No judiciário Cruzeiro do Sul é uma comarca da Justiça Estadual e conta com:

  • Fórum Civil Caio Valadares (Comarca): construído em estilo neoclássico. Funcionou como o primeiro Tribunal de Apelação do Alto Juruá. Na Biblioteca, obras estrangeiras raras e mobiliário do começo do século XX.

Turismo e culturaEditar

É conhecida como a "Terra dos Náuas", uma tribo indígena local que ocupava a área antes da chegada dos brancos na região.[10] Além disso, Cruzeiro do Sul é cercada de construções e monumentos que simbolizam o seu povo e cultura. A cidade é ligada ao município de Rio Branco - Acre, do qual dista 632 quilômetros, por via Terrestre. Alguns pontos turísticos:

  • Catedral de Nossa Senhora da Glória: construção de 1957 em estilo germânico, com forma octogonal e, no seu interior, um painel representando a mãe de Jesus, abrangendo todo o Fundo do Altar-mor.
  • Estação do Porto: estilo colonial inglês, com arco moldado em ferro fundido na Inglaterra, no ano de 1912.
  • Igarapé Preto: está localizado às margens da rodovia que liga a cidade ao aeroporto. Tem uma praia muito agradável, de areias claras e finas, contrastando com a água escura, límpida e transparente.
  • Instituto Santa Terezinha: bastante visitado por sua arquitetura colonial. Abrigou a primeira escola de 1° e 2° graus de Cruzeiro do Sul.
  • Biblioteca Estadual Padre Trindade, criada em 1999.[46]

Ver tambémEditar

Notas

  1. Conforme Legislação Municipal - Municípios Vigentes (IBGE-2013), Ministério do Planejamento, Rio de Janeiro, 2013.

Referências

  1. Imagem da padroeira percorre comunidades antes do início do Novenário de Nossa Senhora da Glória em Cruzeiro do Sul - G1
  2. a b c «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 31 de Julho de 2008 
  3. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 2 de fevereiro de 2018 
  4. «Mapas e rotas». Guia 4 Rodas. Consultado em 3 de novembro de 2011 
  5. a b IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b c «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  7. a b «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018 
  8. a b «Pnud». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2015. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  9. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 28 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2018 
  10. a b c d Governo do Acre. «Cruzeiro do Sul - Acre». Agência de Notícias do Acre. Consultado em 6 de Setembro de 2010 
  11. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Acre2009
  12. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Cruzeiro do Sul». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 19 de junho de 2014 
  13. «Barrense General Gregório Thaumaturgo de Azevêdo foi quem fundou Cruzeiro do Sul, no Acre». 24 de outubro de 2009. Consultado em 19 de junho de 2014. Cópia arquivada em 1 de abril de 2014 
  14. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 6 de maio de 2018 
  15. «Acre registra novo recorde de frio para 2010». Climatempo. 11 de maio de 2010. Consultado em 14 de outubro de 2010. Cópia arquivada em 24 de maio de 2010 
  16. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Cruzeiro do Sul». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 19 de junho de 2014 
  17. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Cruzeiro do Sul». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 19 de junho de 2014 
  18. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Cruzeiro do Sul». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 19 de junho de 2014 
  19. «População e Domicílios Censo 2000 com Divisão Territorial 2001». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 19 de dezembro de 2007. Consultado em 19 de outubro de 2010 
  20. IPEADATA. «Desenvolvimento humano dos municípios brasileiros». Consultado em 23 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  21. a b IBGE. «Indicadores sociais dos municípios brasileiros». Consultado em 15 de Outubro de 2010 
  22. IBGE. «Pesquisas do Ministério de Apoio com Informação - dados fornecidos pelo IBGE Censo de 2000 - Religião». Consultado em 15 de Outubro de 2010 
  23. Empresômetro
  24. IBGE (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios-Cruzeiro do Sul». Consultado em 14 de Maio de 2019 
  25. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  26. a b c d Ritla (2008). «Base de dados dos municípios» (xls). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Consultado em 11 de setembro de 2009 
  27. «Coronel Aires é substituído do comando da PM na região do Juruá». 2010. Consultado em 24 de julho de 2010 
  28. «Professores da zona rural de Cruzeiro treinam informática». AC24Horas. Consultado em 10 de Outubro de 2010 
  29. IBGE. «Escolas de Ensino Fundamental de Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  30. IBGE. «Professores do Ensino Fundamental de Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  31. IBGE. «Professores do Ensino Fundamental de Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  32. a b Governo Federal. «IDEB 2009». Consultado em 10 de Outubro de 2010 
  33. IBGE. «Escolas de Ensino Médio de Cruzeiro do Sul - Escolas». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  34. IBGE. «Escolas de Ensino Médio de Cruzeiro do Sul - Professores». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  35. IBGE. «Escolas de Ensino Médio de Cruzeiro do Sul - Matrículas». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  36. IBGE. «Pré-Escolas de Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  37. IBGE. «Pré-Escolas de Cruzeiro do Sul - Docentes». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  38. IBGE. «Pré-Esclas de Cruzeiro do Sul - Matrículas». IBGE. Consultado em 9 de Outubro de 2010 
  39. IBGE. «Estabelecimentos de Saúde - Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de outubro de 2010 
  40. IBGGE. «Leitos em Estabelecimentos de Saúde - Cruzeiro do Sul». IBGE. Consultado em 9 de outubro de 2010 
  41. «Hospital do Juruá: três anos de evolução no atendimento». Agência de Notícias do Acre. Consultado em 10 de outubro de 2010 
  42. «Partos Cesáreos - DATASUS - Cruzeiro do Sul». DATSUS. Consultado em 10 de outubro de 2010 
  43. «Informações Gerais - DATASUS - Cruzeiro do Sul». DATSUS. Consultado em 10 de outubro de 2010 
  44. a b «Hospital do Juruá revoluciona a saúde na região». Tribuna do Juruá. Consultado em 10 de outubro de 2010 
  45. Hino de Cruzeiro do Sul Arquivado em 21 de abril de 2014, no Wayback Machine..
  46. Tião Viana entrega a nova biblioteca pública de Cruzeiro do Sul. Agência Acre. Acesso em 28/12/2016.

Ligações externasEditar