Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Isidre Nonell
Autocaricatura de Isidre Nonell
Nascimento 30 de novembro de 1872
Barcelona
Morte 21 de fevereiro de 1911 (38 anos)
Barcelona
Sepultamento Cemitério de Montjuïc
Cidadania Espanha
Alma mater Academia Colarossi
Ocupação pintor, desenhista
Causa da morte tifo
Assinatura
Nonell signature.svg

Isidre Nonell (Barcelona, 30 de novembro de 187221 de fevereiro de 1911) foi um pintor espanhol do século XIX, pertencente ao modernismo.

VidaEditar

Pertencia a uma família relativamente acomodada. Formou-se em diversas academias, entre elas a de Luis Graner (1889). Fez parte do grupo Els Quatre Gats, com Picasso, Rusiñol e outros. Viveu à margem da sociedade burguesa, à que criticava nas suas pinturas.

Em 1891 formou um pequeno grupo de paisagistas, cultivando este gênero em formato miniatura. Em 1893 estuda na Escola da Loja de Barcelona e celebra a sua primeira exposição. Em 1894 começa a desenhar pequenos quadros de Cretinos, que realiza especialmente quando se vai, mais dois anos tarde, com Ricard Canals para Caldes de Boí. Este tempo em Caldas o dedica a pintar paisagens e cretinos.

Em fevereiro de 1897 marcha a Paris com Canals. Ali expõe e compartilha estudo com Picasso. Os seus quadros tratam sobre as classes sociais mais baixas.

Volta para Barcelona em 1900. A partir de 1901 realiza quadros de figuras femininas, como ciganas, e natureza-mortas. Em 1910 expõe em Faienç Català. Morreu em 1911 de febre tifoide.

ObraEditar

Marcado pelo impressionismo, adscreveu-se ao modernismo. Fez parte da chamada "pintura negra" espanhola, junto com Dario de Regoyos ou José Gutiérrez Solana.

Realizou retratos, especialmente as séries sobre cretinos e ciganas. Mostra as classes mais baixas da sociedade, na sua miséria e da dor.

A sua obra é colorida. Às vezes usa tons obscuros, quase marrons, com uma pincelada solta. Posteriormente usa cores mais claros, em quadros de ciganas, mulheres e naturezas-mortas.

 
Isidre Nonell: Mulher lendo


Também é conhecido pelos seus desenhos, nos quais domina a sátira. Retrata a situação social da Catalunha. Colabora assim em revistas como Papitu .

 
Ao Entardecer. Sant Martí de Provençals (1896), quadro de Isidre Nonell .

Muitas das suas obras conservam-se no Museu de Arte Moderna de Barcelona.

ReferênciasEditar

  • Dicionario de Arte, Pintores del siglo XIX, Editorial LIBSA, 2001. ISBN 84-7630-842-6.
  • Bozal, V., La época del Modernismo. La España Negra, em Antología de Summa Artis, Espasa Calpe, S.A., 2004. Tomo XIII: ISBN 84-670-1364-8

Referências

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isidre Nonell