Isonokami no Maro

Nobre do periodo Nara

Isonokami no Maro (石上麻呂 640 - 717?, também conhecido como Mononobe no Ason e Isonokami no Ason), foi um nobre que viveu no final do Período Asuka e início do Período Nara da história do Japão.

Isonokami no Maro
石上麻呂
Isonokami no Maro
石上麻呂
Sadaijin
Dados pessoais
Nascimento 640
Morte 22 de março de 717 (77 anos)
linkWP:PPO#Japão

Pertenceu ao Clã Mononobe. Era filho de Mononobe no Umaro.

CarreiraEditar

Maro serviu os seguintes imperadores: Tenmu (672 - 686), Imperatriz Jitō (686 - 697), Monmu (697 - 707), Imperatriz Gemmei (707 - 715) e Imperatriz Gensho (715 - 717).

Em 672 durante a guerra Jinshin Maro esteve do lado do príncipe Ōtomo (mais tarde conhecido como Imperador Kobun) e o acompanhou quando este se preparava para cometer Seppuku.

Maro foi perdoado pelo Imperador Tenmu e enviado como emissário para Silla em 676 onde ficou por quatro meses.[1]

Com a reforma do sistema kabane em 684 (Hasshiki no kabane), o kabane do clã Mononobe foi alterada de Muraji para Ason. O nome do clã parece ter sido alterado para Isonokami nesta época (o nome Isonokami é derivado do Santuário Isonokami e da fabrica de armas ligadas a este que eram administradas pelo Clã Mononobe).[2][3] No funeral do Imperador Tenmu em 686, Maro discursou como um representante do Ministério da Justiça.[4]

Em 689, Maro foi enviado para a Província de Tsukushi (esta antiga província posteriormente se desmembrou nas antigas províncias de Chikuzen e Chikugo) para entregar os novos diplomas de Kabane aos membros da corte da região.

Maro participou em 690 da cerimônia de entronização da Imperatriz Jitō e em 700, já no reinado do Imperador Monmu, foi nomeado Chūnagon e colocado no comando do Dazaifu (vice-reinado de Kyushu). Em 701, promovido a Dainagon sob o novo Código Taihō.[5]

Mais tarde neste mesmo ano, Tajihi no Shima morreu, e Maro foi com o príncipe Osakabe entregar o presente de condolências do Imperador para a família. O mesmo ocorreu quando o udaijin Abe no Miushi morreu em 703, quando Maro foi novamente o enviado do Imperador.

Em 704, Maro promovido a Udaijin,[5] E em 708, no reinado da Imperatriz Gemmei, promovido ao cargo Sadaijin.[6]

Em 710, a capital do Império foi transferida para Heijō-kyō (atual Nara), e Maro foi colocado no comando da antiga capital Fujiwara.

Maro morreu em 3 de Março de 717 aos 77 anos de idade. A Imperatriz Gensho lamentou profundamente sua perda, enviando o príncipe Nagaya em uma visita de condolências à sua casa. Condolências foram apresentadas por representantes do daijō-kan. O Nihon Shoki registrou que não havia nenhuma pessoa que não lamentasse sua perda.


Precedido por
Tajihi no Shima
Sadaijin
(708 - 717)
Sucedido por
Príncipe Nagaya
Precedido por
Abe no Miushi
Udaijin
(704 - 708)
Sucedido por
Fujiwara no Fuhito



Referências

  1. Nihongi, chronicles of Japan from the earliest times to A.D. 697. Supplement 1, Volumes 1-2 (em inglês) Japan Society (London, England) , 1896 p 335
  2. John Whitney Hall The Cambridge History of Japan, Volume 1 (em inglês) Cambridge University Press, 1988 pp 119 - 121 ISBN 9780521223522
  3. Edwina Palmer. Harima Fudoki: A Record of Ancient Japan Reinterpreted, Translated, Annotated, and with Commentary (em inglês) BRILL, 2015 p 177 ISBN 9789004269378
  4. Kurt Singer, The Life of Ancient Japan: Selected Contemporary Texts Illustrating Social Life and Ideals before the Era of Seclusion (em inglês) Routledge, 2014 pp. 69 - 70 ISBN 9781134278138
  5. a b Gerhild Endress, Ursula Meinert, Hans Adalbert , Japanische Regierungs - und Verwaltungsbeamte des 8. bis 10. Jahrhunderts: Einführung in das Kugyō bunin und seine Editionen (em alemão) Otto Harrassowitz Verlag, 2000 pp. 11-12 ISBN 9783447043083
  6. Edwin A. Cranston. Waka Anthology: (vol 2) The Gem-Glistening Cup (em inglês) Stanford University Press, 1998 p271 ISBN 9780804731577