Jacobus Gronovius

Jacobus Gronovius (James Gronovius, Jacob Gronow) (Deventer, 10 de Outubro de 1645 - Leiden, 21 de Outubro de 1716) foi um erudito e filólogo clássico holandês. Era pai do botânico Johannes Fredericus Gronovius e filho do filólogo clássico Johann Friedrich Gronovius. Sua obra mais importante foi a Thesaurus antiquitatum Graecarum (1697–1702, em 13 volumes).

Jacobus Gronovius
(1645 - 1716)
philologus Flandria
Nascimento 10 de outubro de 1645
Deventer,  Países Baixos
Morte 21 de outubro de 1716
Leiden,  Países Baixos
Nacionalidade  Países Baixos
Alma mater Universidade de Deventer, Universidade de Leiden
Ocupação Filólogo clássico holandês

BiografiaEditar

Jacobus Gronovius estudou Filologia (literae humaniores) e Direito com seu pai em Leiden, em 1658. Em 1668, viajou para a Inglaterra, onde estudou em Oxford e Cambridge. Lá ele conheceu alguns amigos de seu pai, tais como o teólogo e orientalista Edward Pococke[1] (1604–1691), o téologo John Pearson[2](1612–1686) e o filólogo Méric Casaubon[3](1599–1661) (este último morreu em seus braços). Ele ficou muito contente com a fundação da Royal Society e enviou uma carta de aprovação para a sociedade. Depois de alguns meses na Inglaterra, retornou para Leiden, onde publicou uma edição de Macrobius naquele ano, e outra de Políbio no mesmo ano em Amsterdam. Também foi convidado por Theophilus Hogersius[4](1636 - 1676) para dar aulas em Deventer, porém, ele declinou do convite porque não havia finalizado seus planos de viagem, embora o professor, procurando conquistar sua simpatia, propôs segurar a vaga até o seu retorno.

De modo que, em 1671, ele se encontrava em Paris, tendo passado antes em Brabante e Flandres. Lá ele veio a conhecer dois orientalistas, amigos de seu pai, Barthélemy d’Herbelot de Molainville (1625–1695) e Melchisédech Thévenot[5](c. 1620–1692), além do filólogo Henri Valois[6](1603–1676) e o escritor Jean Chapelain[7](1595-1674). Toda essa alegria foi ofuscada por notícias de falecimento do seu pai em 1672. Pouco tempo depois, ele deixou Paris para acompanhar o Sr. Adriaan van Paets[8](1630-1685), embaixador extraordinário dos Estados Gerais até a corte da Espanha. Eles partiram na primavera de 1672, e daí ele foi para a Itália, onde, em visita à Toscana, passou uma belíssima temporada em companhia do grande duque Cosimo III de' Medici, que, em meio a tantas demonstrações de simpatia, ofereceu-lhe um considerável estipêndio, e uma cadeira de professor de grego na Universidade de Pisa. Este cargo era uma indicação de seu amigo Antonio Magliabechi[9](1633-1714), a quem visitava com frequência em Florença.

Dois anos depois, ele foi para Veneza e Pádua, voltando para a Alemanha em 1675. Da Alemanha ele foi para Leiden e daí viajou para Deventer para tomar posse de uma propriedade deixada por um tio materno. Em 1679, ele assumiu a cátedra de língua grega e de história da Universidade de Leiden, cargo esse que lhe rendia um salário de 400 florins por ano e que ele ocupou até a morte. Em 1702 ele se torna Geógrafo da Academia de Leiden. Ele declinou o convite de Frederico, Duque da Silésia para dar aulas em Kiel, e também outro convite para ser professor em Pádua. Ele também participou nas tarefas de organização da Universidade de Leiden e ocupou nos anos 1703/1704 e 1711/1712 o cargo de reitor da Alma Mater.

Ele estava fazendo a revisão da sua obra sobre Tácito, quando perdeu sua filha mais jovem Clara Wilhelmina (1697–1716) em 12 de setembro de 1716. Ele não sobreviveu a ela por muitas semanas. A perda dolorosa fez com que ele ficasse doente, vindo a morte de pesar em 21 de outubro desse mesmo ano, aos setenta e um anos de idade.

FamíliaEditar

Em 5 de Maio de 1680 casou em Rotterdam com Anna van Vredenburch (1652–1732). Com ela teve quatro filhos:

  • Alida (1683–1729)
  • Jan Frederik (1686–1762)
  • Abraham (1695–1775)
  • Clara Wilhelmina (1697–1716).

Seu filho mais velho Johan Frederik Gronovius era doutor em Medicina, botânico e renomado jurista, e o seu segundo mais velho Abraham Gronovius (1695–1775) foi filólogo e bibliotecário da Universidade de Leiden.

ObrasEditar

  • Macrobius, cum notis variorum,” Leyd. 1670, 8vo, London, 1694, 8vo.
  • Polybius cum suis ae ineditis Casauboni, &c. notis,” Gr. & Lat.“Amst. 1670, 2 vols. 8vo.
  • Tacitus/* ibid. 1672, 2 vols, 8vo, Utrecht, 1721, 4to, ampliada pelo seu filho Abraham Gronovius (1695-1775).
  • Supplementa lacunarum in Aenea Tactico, Dione Cassio, et Arriano,” Leiden, 1675, 8vo.
  • Dissertationes Epistolicae,” Amsterdam 1678, 8vo. As críticas que ele fez a Tito Lívio nessa obra o envolveram em uma disputa com o antiquariano Rafaello Fabretti (1618–1700) que publicou a obra "De Aquis et Aqureductibus veteris Romoe". Jacobus como resposta, publicou a obra "Responsio ad cavillationes R. Fabretti," Leiden, 1685, 8vo.
  • Fragmentum Stephani Byzantini Grammatici de Dodone, &c.” Leiden, 1681, 4to.
  • “Henrici Valesii Notae, &c. in Harpocrationem,” Leiden, 16&2, 4to, reimpressa numa edição de Blancard chamada de Harpocration], em 1683.
  • "Senecae Tragediae," (Tragédias de Sêneca) Amst. 1682, 12mo., esta edição tinha sido preparada pelo seu pai antes de morrer.
  • Exercitationes academicae de pernicie et casu Judoe,” Leiden, 1683, 4to, um esforço para reconciliar os relatos de São Mateus e São Lucas sobre a morte de Judas. Isto o envolveu numa discussão com Joachim Feller[10],(1638-1691) contra quem Gronovius se defendeu numa segunda edição do seu tratado publicado em Leiden em 1702, abrindo uma controvérsia com Jacobus Perizonius[11](1651-1715). Como resposta, Gronovius publicou “Notitia et illustratio dissertationis nuperse de morte Juda?,” Leiden, 1703, 4to; e Perizonius respondeu, mas os combates se tornaram tão acalorados que os curadores da Universidade de Leiden acharam apropriado que ambos silenciassem.
  • Castigationes ad paraphrasim Graeeam Enchiridii Epicteti ex codice Mediceo,” Delft, 1683, 8vo.
  • Dissertatio de origine Romuli,” Leiden, 1684, 8vo, na qual ele trata os conceitos normalmente aceitos sobre a origem de Rômulo e Remo, e o fato de terem sido amamentado por uma loba, como algo fantasioso.
  • Gemmae et sculpturae antiquae, depictae ab Leonardo Augustino Senensi addita earum enarratione. Amsterdam 1685, uma tradução latina do italiano Leonardo Agostini (1593-1676) sobre estas antiguidades, com um prefácio do autor.
  • Pomponii Melae libri tres de situ orbis, Leiden, 1685, 8vo,
  • Epistola de argutiolis Isaaci Vossii,“1687, 8vo
  • Epistola ad Johannem Georgium Graevium V. Cl. de Pallacopa, ubi Descriptio ejus ab Arriano facta liberatur ab Isaaci Vossii frustrationibus,“ Leiden, 1686, 8vo.
  • "Notae ad Lucianum", impressa numa edição de Johannes Georgius Graevius (1632-1703) sobre Luciano de Samósata em 2 vols. Amst. 1686, 8vo.
  • Variae Lectiones &, Notae in Stephanum Byzantinum de Urbibus: publicada por Abrahamus Berkelius (1630-1688) na cidade de Leiden em 1683,
  • Abrahami Gorlaei Antverpiani Dactyliothecae, seu annulorum sigillarium ... pars prima, cum explicationibus Jacobi Gronovii. Leiden 1695.
  • Abrahami Gorlaei Antverpiani Dactyliothecae. Pars Secunda, seu variarum gemmarum ... cum succincta singularum explicatione Jacobi Gronovii. Leiden 1695.
  • Thesaurus Graecarum antiquitatum, in quo continentur effigies virorum ac foeminarum illustrium ... , adjecta brevi descriptione singulorum ..., Bde. 1–3, Leiden 1697–1698.
  • Thesaurus Graecarum antiquitatum, continens libros erudite & operose per varias aetates scriptos .... Bde. 4–12/2, Leiden 1699–1702.

Links ExternosEditar

ReferênciasEditar