Abrir menu principal

Jerónimo de Ataíde, 6.º Conde da Castanheira

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde março de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

D. Jerónimo de Ataíde, 2º conde de Castro Daire e 6º conde da Castanheira, morreu em Lisboa em 12 de dezembro de 1669. Foi filho do 1º conde de Castro Daire D. António de Ataíde e de D. Ana de Lima.

Ficou em Espanha, depois da Restauração, e foi mordomo-mor da Rainha Isabel, mulher do rei Filipe IV de Espanha. Este o fez marquês de Colares, título que já não teve validade em Portugal, e lhe deu a promessa do ducado de Benavente quanto recuperasse Portugal.

Nunca pegou em armas contra Portugal. Exerceu o elevado cargo de aio do Príncipe Baltazar Carlos. Concluída a paz, em 1668, regressou a Portugal onde morreu.

Casamento e descendênciaEditar

Casou com D. Helena de Castro, filha de D. João de Castro, senhor de Reriz e Benviver, Sul, Penela e Resende, e D. Juliana de Távora. Tiveram geração.

ObraEditar

Escreveu, além de compêndios de genealogia, «Información sobre Haver de Preceder en el Consejo de Portugal, supplicando de la nueva forma de precedencias y Respondiendo a los errados informes que se dieron a S. Magestad».


Precedido por:
António de Ataíde
Conde da Castanheira
1647 - 1669
Sucedido por:
---
Conde de Castro Daire
1647 - 1669
Sucedido por:
---