Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o capítulo da Bíblia. Para o papa de mesmo nome, veja João XVII.
Cristo se despede dos apóstolos. Em João 17, encerra-se o ministério de Jesus e inicia-se a sua Paixão.
Século XIX. Por James Tissot, atualmente no Brooklyn Museum, em Nova Iorque.

João 17 é o décimo-sétimo capítulo do Evangelho de João no Novo Testamento da Bíblia. Este capítulo encerra o longo Discurso de adeus iniciado em João 14. É geralmente conhecido como Oração de Adeus e é uma intercessão pela futura Igreja[1].

Índice

Oração de AdeusEditar

João 17:1-26 é uma intercessão de Jesus pela futura Igreja[1][2] e é, de longe, a mais longa oração de Jesus em todo o Evangelho[3]. A primeira parte do discurso é endereçada aos discípulos e a final, ao Pai, quando Jesus se volta para o céu e ora[1]. A Oração Sacerdotal de Jesus foi proferida após a Última Ceia, antes da agonia experimentada por Jesus no Getsêmani.

Trata-se de uma intercessão não somente pela vida dos discípulos mas também por todos que futuramente viessem a crer em Jesus. De acordo com a Bíblia, o desejo de Jesus é que independente do tempo em que as pessoas viessem a crer em seu nome, tivessem como alvo a excelência na unidade. Na unidade a Igreja de Jesus é habilitada para dar testemunho da sua fé e sua eficácia.

O título dessa oração foi vulgarizado pelo teólogo luterano do século XVI, David Kochhafe, conhecido pelo pseudónimo de Chyträus.[4]

A oração ocorre num período bastante específico do ministério de Jesus, bem no final de sua fase de instrução de seus discípulos, imediatamente antes de sua Paixão[3]. Assim que ela termina, os eventos finais da vida terrena de Jesus se desenrolam rapidamente[3]. E é nela, pela última vez, que Jesus relata sobre seu ministério terreno ao Pai e, ao rezar para ele, reitera sua total dependência em relação a Ele[3].

A oração começa com um pedido de Jesus pela glorificação do Pai agora que sua obra está completa e continua com uma intercessão pelo sucesso das obras de seus discípulos e da comunidade de seguidores[1]. Um tema central da oração é esta glorificação. Na primeira parte, Jesus fala mais sobre sua relação especial com Ele e, indiretamente, a reitera para seus discípulos[5].

De maneira geral, a Oração de Adeus pode ser dividida em cinco pedidos específicos[1]:

  • 17:1-5: Pedido para sua glorificação baseado na conclusão de sua obra.
  • 17:6-10: Pedido por seus discípulos.
  • 17:11-19: Pedido para preservação e santificação "dos seus" no mundo.
  • 17:20-23: Pedido pela unidade "dos seus" ("A fim de que todos sejam um").
  • 17:24-26: Pedido pela união "dos seus" consigo.

As referências ao "teu nome" em João 17:6 e João 17:26 enfatizam a importância do Nome de Deus no cristianismo, que, na doutrina cristã (como na de Cirilo de Alexandria) tem sido visto como uma representação de todo o sistema de "verdade divina" revelada aos fieis "que acreditam no seu nome" como em João 1:12[6][7].

Ver tambémEditar


Precedido por:
João 16
Capítulos da Bíblia
Evangelho de João
Sucedido por:
João 18

Referências

  1. a b c d e The Gospel according to John by Herman Ridderbos 1997 ISBN 9780802804532 The Farewell Prayer: pages 546-576
  2. Jesus and His Own: A Commentary on John 13-17 by Daniel B. Stevick (Apr 29, 2011) ISBN 0802848656 page 217
  3. a b c d John by Andreas J. Köstenberger 2004 ISBN 080102644X page 482
  4. Mourão, Geraldo. «A ORAÇÃO SACERDOTAL DE JESUS». Celebração Litúrgica. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  5. The Gospel of John: Question by Question by Judith Schubert 2009 ISBN 0809145499 pages 112-127
  6. Ten Commandments by Arthur W. Pink (Dec 30, 2007) ISBN 1589603753 pages 23-24
  7. John 11-21 (Ancient Christian Commentary on Scripture) by Joel C. Elowsky (May 23, 2007) ISBN 0830810994 page 237

Ligações externasEditar