João Hermeto de Oliveira Neto

político brasileiro

João Hermeto de Oliveira Neto (Ipu, 3 de novembro de 1965) é um policial militar e político brasileiro.[1][2] Integra a Câmara Legislativa do Distrito Federal desde 2019, durante sua oitava legislatura.[3]

Hermeto
Deputado distrital do Distrito Federal
Período 1º de janeiro de 2019
até a atualidade
Dados pessoais
Nome completo João Hermeto de Oliveira Neto
Nascimento 3 de novembro de 1965 (57 anos)
Ipu, Ceará
Nacionalidade brasileiro
Partido MDB
PHS
Profissão Policial militar, político

BiografiaEditar

Hermeto ingressou na Polícia Militar do Distrito Federal e ali alcançou o posto de subtenente.[4] Mais tarde, passou para a reserva.[5]

Em 2018, Hermeto foi eleito deputado distrital com 11.552 votos, correspondentes a 0,78% dos votos válidos.[6] Na época, estava filiado ao Partido Humanista da Solidariedade (PHS).[7]

Antes da posse para a oitava legislatura, Hermeto sugeriu, durante uma reunião preparatória, que nenhum parlamentar desejava ocupar o gabinete de número 24, por conta de sua associação com a homossexualidade.[8] Um mês após a posse, em fevereiro, migrou para o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) após ser convidado pelo governador Ibaneis Rocha.[9]

Em 2019, Hermeto foi acusado por sua ex-esposa Vanusa Ferreira de tê-la agredido e colocado uma arma em sua cabeça.[10] Inicialmente, o Poder Judiciário conferiu a Vanussa uma medida protetiva, proibindo Hermeto de se aproximar dela.[11] No entanto, o Tribunal de Justiça derrubou a decisão poucos dias depois, embora manteve a proibição de contato entre ambos.[12] No mesmo ano, foi designado membro da comissão parlamentar de inquérito sobre feminicídio.[13] Após a acusação, embora a tenha negado, alegando estar sendo perseguindo, optou por deixar a CPI.[14][15]

Em 2019, Hermeto foi denunciado por quatro ex-funcionárias que alegaram que o parlamentar desviava seus salários.[16] Declarou, na época: "não existe rachadinha no gabinete dele e que a denúncia faz parte de um campanha difamatória da ex-esposa e de ex-funcionários pra desconstruir a imagem dele."[17]

Em 2020, Hermeto criticou dois policiais militares que, durante a formatura, se beijaram. Declarou que em "sua época" o fato acarretaria em expulsão e que sua manifestação valeria para casais heteroafetivos.[18]

Em 2020, Hermeto votou a favor de um projeto de lei que propunha vedar a nudez e símbolos culturais em exposições artísticas. Ao discursar favoravelmente à ideia, declarou: "Não estamos cerceando nada, só colocando limite em certas situações vexatórias. Faça o que quiser entre quatro paredes, sem influenciar ninguém."[19]

Em 2020, Hermeto protocolou um pedido para que fosse constituída uma CPI das fake news, referindo que era "vítima desses inescrupulosos das redes sociais que bolam vídeos, fazem montagens e denigrem a imagem de terceiros."[20]

Referências

  1. «HERMETO». Tribunal Superior Eleitoral. 2018. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  2. «Hermeto». Câmara Legislativa do Distrito Federal. 2020. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  3. «Deputados 2019 - 2022». Câmara Legislativa do Distrito Federal. 2020. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  4. «DEPUTADO HERMETO CRITICA COMANDO-GERAL E FAZ AMEAÇAS EM TRIBUNA DA CÂMARA LEGISLATIVA». A Dama de Ferro. 16 de abril de 2020. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  5. Ana Viriato (7 de julho de 2020). «Eixo capital». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  6. «Eleições 2018: apuração Distrito Federal». O Estado de S. Paulo. 2018. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  7. «Hermeto 31190 PHS». O Estado de S. Paulo. 2018. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  8. Ana Viriato (9 de janeiro de 2019). «A polêmica do gabinete 24 toma conta da Câmara Legislativa». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  9. Suzano Almeida (18 de fevereiro de 2019). «Distrital Hermeto troca o PHS pelo MDB a convite de Ibaneis». Metrópoles. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  10. Suzano Almeida (1 de novembro de 2019). «Ex-mulher diz que deputado Hermeto colocou arma em sua cabeça». Metrópoles. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  11. «Ex denuncia ameaça; distrital nega». Correio Braziliense. 2 de novembro de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  12. «Eixo capital». Correio Braziliense. 15 de novembro de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  13. Alexandre de Paula (1 de novembro de 2019). «Não saio da CPI. Nunca cometi violência, diz distrital acusado pela ex». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  14. «Eixo capital». Correio Braziliense. 5 de novembro de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  15. Agatha Gonzaga (1 de novembro de 2019). «Justiça proíbe distrital da CPI do Feminicídio de se aproximar da ex-mulher». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  16. Suzano Almeida (6 de novembro de 2019). «Ex-funcionários de Hermeto o denunciam ao MPDFT por "rachadinha"». Metrópoles. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  17. «Ex-funcionária acusa deputado distrital Hermeto da prática de 'rachadinha'». G1. 7 de novembro de 2019. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  18. Isadora Teixeira (14 de janeiro de 2020). «Hermeto critica beijo gay de PMs: "Corporação tá se acabando"». Metrópoles. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  19. «CLDF aprova projeto que proíbe nudez e símbolos religiosos em exposições». Correio Braziliense. 18 de agosto de 2020. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  20. Agatha Gonzaga (8 de abril de 2020). «Distrital protocola pedido de criação de CPI das fake news na CLDF». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2020