Abrir menu principal
João III Rizócopo
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Governador
Religião Cristianismo

João III Rizócopo foi um exarca de Ravena em 710.

VidaEditar

 
Soldo de Justiniano II (r. 705–711)

Após a restauração do imperador Justiniano II (r. 705–711), ele enviou uma força militar para salvar Ravena. "Aparentemente", escreve Jeffrey Richards, "alguns raveneses proeminentes estavam envolvidos na revolta que derrubou Justiniano e quando ele retornou ao poder determinou vingar a si mesmo sobre a cidade inteira." O arcebispo Félix foi preso com outros cidadãos proeminentes e levado para Constantinopla, e a cidade foi saqueada e incendiada.[1] Em resposta, os cidadãos e soldados de Ravena se rebelaram, fazendo um Jorge, o filho de Joânico, o líder deles, cujo pai foi um dos cativos levados à Constantinopla. João foi nomeado exarca não muito depois disso, e desembarcou em Nápoles com tropas leais, onde ele encontrou o papa Constantino respondendo uma chamada imperial à Constantinopla. João então passou à Ravena pelo caminho de Roma, onde ele "cortou as gargantas" de várias oficiais papais seniores, de acordo com o Livro dos Pontífices.[2] Richards explica este ato violento, apontando "a inclusão do mordomo e do tesoureiro papal entre as vítimas sugere uma tentativa de saquear o tesouro papal."[3]

João Rizócopo continuou à Ravena, onde morreu logo depois, embora os detalhes não são registrados. O Liber Pontificalis faz registro que em Ravena "pelo julgamento de Deus sobre seus atos atrozes ele [João] morreu uma morte ignominiosa".[2] Se sua morte foi devido a doença ou uma revolta pelo raveneses é impossível determinar, mas a última é mais provável, dado o envio posterior de uma expedição punitiva.[4] O estratego da Sicília, Teodoro, foi colocado no lugar do último, e prendeu e executou os líderes da revolta ravenesa, incluindo o arcebispo Félix, que foi deportado para Constantinopla, cegado e exilado na Crimeia.[5]

Referências

  1. Richards 1979, p. 212.
  2. a b Davis 1989, p. 30.
  3. Richards 1979, p. 213.
  4. Winkelmann 2000, p. 250.
  5. Winkelmann 2001, p. 410-411.

BibliografiaEditar

  • Davis, Raymond (1989). The Book of Pontiffs (Liber Pontificalis), first edition. Liverpool: Liverpool University Press 
  • Richards, Jeffrey (1979). The Popes and the Papacy in the Early Middle Ages, 476–752. Londres e Boston: Routledge & Kegan Paul. ISBN 0-7100-0098-7 
  • Winkelmann, Friedhelm; Lilie, Ralph-Johannes et al. (2000). «Ioannes (# 2953); Georgios (#2183) – Leon (#4270)». Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit: I. Abteilung (641–867) (em alemão). [S.l.]: Walter de Gruyter. ISBN 3-11-016672-0 
  • Winkelmann, Friedhelm; Lilie, Ralph-Johannes et al. (2001). «Theodoros (# 7521); Platon (#6266) – Theophylaktos (#8345)». Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit: I. Abteilung (641–867) (em alemão). [S.l.]: Walter de Gruyter. ISBN 3-11-016674-7 


Precedido por
Teofilato
Exarca de Ravena
710 - 711
Sucedido por
Escolástico