Abrir menu principal

Joaquim Caetano

diplomata e professor brasileiro

BiografiaEditar

Joaquim Caetano era filho de Antônio José da Silva e Ana Maria Floresbina. Ainda adolescente vai estudar em França, formando-se em medicina pela Faculdade de Montpellier em 1837.

Em 1838 retornou ao Brasil, lecionando no Colégio Pedro II as matérias de retórica, português e grego, sendo mais tarde reitor desta instituição. Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Em 14 de novembro de 1851 foi nomeado pelo imperador Pedro II do Brasil encarregado dos negócios brasileiros na Holanda, onde foi em 1854 o cônsul-geral. Durante sua estada diplomática conduziu em Haia as negociações para a delimitação das fronteiras com o Suriname (1853), que somente em 1906 teriam uma solução definitiva.

Em 1861 publicou em francês o tratado "L’Oyapock et l’Amazone", defendendo as posições brasileiras em face da questão limítrofe com a Guiana Francesa, na região chamada "Contestado do Amapá".

Dirigiu de 1869 a 1873 o Arquivo Nacional.

Olivenkranz.png Academia Brasileira de LetrasEditar

Joaquim Caetano foi escolhido para o patronato da cadeira 19 do Silogeu Brasileiro, por seu primeiro ocupante, Alcindo Guanabara.

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • Fragment d’une mémoire sur la chute des corps. Montpellier (1836);
  • Quelques idées de philosophie médicale. Tese, Montpellier (1837);
  • Memória sobre os limites do Brasil com a Guiana Francesa. Revista do IHGB, n.º 20, tomo XIV (1851);
  • L’Oyapok et l’Amazone, Paris, 2 volumes. (1861);
  • Questões americanas, Revista do IHGB, tomo 26 (1863).

Ligações externasEditar