Joaquim França de Oliveira Pacheco

jornalista português

Joaquim França de Oliveira Pacheco (Braga, , 2 de novembro de 1856; Foz do Douro, Porto, 18 de janeiro de [1933?]) foi um empresário jornalista português.

BiografiaEditar

Filho de Manuel José Pacheco e de sua mulher Rosa Maria da Silva.[1] Neto paterno de António José [Plácido ou Pacheco?] e de Plácida de Jesus, da ilha de São Miguel, Açores, e materno de Jerónimo José da Silva e de Josefa Rosa, da freguesia da Sé, Braga.[2]

Nasceu em casa dos pais, no Largo de São Miguel-o-Anjo, em Braga, a 2 de novembro de 1856. Foi batizado na Sé, a 10 do mesmo mês. Foram padrinhos Joaquim António Pais de Vilas Boas e sua mulher, [Teresa?] Joaquina Pais do Lago, de Barcelos. Foi procurador da madrinha José Júlio da Costa Araújo, da freguesia de São João do Souto, Braga. Celebrou o batismo o Padre Roberto Gonçalves de Sá.[2]

Foi Director do jornal "O Primeiro de Janeiro", do Porto, até 25 de Abril de 1907 e novamente de 30 de Outubro de 1910 até á sua venda a 29 de Junho de 1919, sempre em conjunto com Gaspar Baltar.[1]

Casou no Porto, Nevogilde, Bouças, com Maria Beatriz Pinheiro (Póvoa de Varzim, Póvoa de Varzim - ?), filha de Amâncio Rudolfo Pinheiro da Costa Ribeiro e de sua mulher Zulmira Idalina Pinheiro, com descendência.[1]

Morreu em sua casa, na Foz do Douro, a 18 de janeiro de [1933?].[2]

Referências

  1. a b c D. Gonçalo de Mesquita da Silveira de Vasconcelos e Sousa (1.ª Edição, Porto, 1997). Costados. [S.l.]: Livraria Esquina. N.º 41  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  2. a b c «Batismos». Consultado em 26 de abril de 2020