Abrir menu principal

Jorge Mário Sedlacek

Jorge Mário
Jorge Mario concedendo entrevista à imprensa após a tragédia das chuvas em 2011.
Prefeito de Teresópolis Bandeira de Teresopolis.svg
Período 1 de janeiro de 2009
a 5 de agosto de 2011
vice-prefeito Roberto José Pinto
Antecessor Roberto Petto Gomes
Sucessor Roberto José Pinto
Dados pessoais
Nacionalidade brasileiro
Primeira-dama Cláudia Sedlacek[1]
Religião Evangélico

Jorge Mário Sedlacek (Teresópolis, 9 de outubro de 1954) é um médico e político brasileiro, prefeito de Teresópolis por um mandato, entre 2009 e 2011, pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

BiografiaEditar

Jorge Mário Sedlacek nasceu no município brasileiro de Teresópolis, interior do estado do Rio de Janeiro. É médico, casado com Cláudia Sedlacek, com quem tem quatro filhos. Em 2008, Jorge Mário foi eleito prefeito de sua cidade natal com cerca de 41 mil votos válidos,[2][3] tornando-se o prefeito com maior número de votos na história do município.[4] No entanto, após a tragédia das chuvas, em janeiro de 2011, Jorge foi acusado de corrupção com o dinheiro destinado a reconstrução das áreas atingidas. Em 2 de agosto de 2011, a Câmara de Vereadores aprovou, por unanimidade, projeto de lei que afastou o prefeito por 90 dias. A principal acusação era de desvio dos recursos federais destinados ao município. De acordo com um relatório da Controladoria Geral da União, publicado pelo jornal O Globo, a RW Construtora embolsou 873 mil reais, dos 4,5 milhões de reais contratados para os serviços.[5] Em 11 de novembro do mesmo ano, ele foi cassado por unanimidade pela Câmara.[6] O vice-prefeito Roberto Pinto chegou a assumir, mas morreu de infarto apenas dois dias após sua posse. O presidente da Câmara Municipal, Arlei de Oliveira Rosa (PMDB) assumiu o cargo interinamente, com o dever de liderar a reconstrução da cidade.[7]

Após a saída de Jorge da prefeitura, Teresópolis iniciou uma crise política e econômica, que gerou instabilidade. Em 6 de dezembro de 2011, os juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ) aprovaram, em sessão ordinária, uma eleição suplementar para o município. Os eleitores do município iriam voltar às urnas no dia 5 de fevereiro de 2012 para a escolha de prefeito e vice-prefeito,[8][9] algo que não ocorreu.[10]

Referências

  1. Portal Terê (2008) - Jorge Mário fala à imprensa
  2. O Globo - Correção: Jorge Mário é eleito em Teresópolis no primeiro turno
  3. Portal Terê (2008) - Jorge Mário é eleito prefeito de Teresópolis
  4. «Resultado das Eleições 2008 - Teresópolis» (PDF). Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. 18 de dezembro de 2008. Consultado em 30 de julho de 2015 
  5. «Prefeito de Teresópolis é afastado por 90 dias». veja.com. Consultado em 7 de novembro de 2011 
  6. Extra - Prefeito de Teresópolis, Jorge Mario, é cassado por unanimidade pela Câmara
  7. Rafael Lemos (2 de novembro de 2011). «Sem prefeito e sem dinheiro, Teresópolis vai enfrentar temporais ainda em reconstrução». veja.com. Consultado em 7 de novembro de 2011 
  8. In360 RJ (6 de dezembro de 2011). «TRE-RJ marca eleição suplementar em Teresópolis para fevereiro de 2012». Consultado em 10 de dezembro de 2011 [ligação inativa]
  9. Tribunal Superior Eleitoral (7 de dezembro de 2011). «Teresópolis-RJ terá eleição suplementar em fevereiro de 2012». Consultado em 10 de dezembro de 2011 
  10. Ministro do TSE suspende eleição suplementar em Teresópolis