José Mario Donizeti Baroni

futebolista brasileiro

José Mário Donizetti Baroni, mais conhecido como Zé Mário[1] (Ribeirão Preto, 05 de janeiro de 1957 - 11 de fevereiro de 1978). Foi um futebolista brasileiro que atuava como ponta-direita. Defendeu as cores do seu clube de coração, o Botafogo de Ribeirão Preto e a Seleção Brasileira de futebol. Fez parte do elenco botafoguense que conquistou a Taça Cidade de São Paulo em 1977. Morreu precocemente, aos 21 anos de idade, vitima de leucemia.

Craque de FutebolEditar

Foi um dos mais promissores pontas do futebol brasileiro, sendo lembrado por Osvaldo Brandão, técnico da Seleção Brasileira. Zé Mário jogou ao lado de Sócrates, Geraldão, João Carlos Motoca e Lorico. Foi considerado por muitos jornalistas esportivos a revelação do ano de 1977.

Da alegria à tristezaEditar

Zé Mário foi o primeiro jogador na história do futebol brasileiro, a ser convocado para a Seleção Brasileira atuando por um clube do interior. Justamente num momento de euforia, não só para o jogador, mas para toda a coletividade botafoguense, o médico da Seleção Brasileira Lídio Toledo, em exames de rotina, descobriu a grave doença do jogador.

Jogos pela Seleção BrasileiraEditar

Zé Mário em 1977, defendeu o Brasil em duas oportunidades. Contra a Inglaterra e Seleção Paulista, ambos no Maracanã,[2][1] logo após precisou ser afastado para tratamento, mas não foi possível se recuperar.

Referências

  1. a b "A História em Seus Pés", Placar Magazine - Maio 1994 (nº 1094), pág. 106
  2. Seleção brasileira: 1914-2006, Antonio Carlos Napoleão, Roberto Assaf, Confederação Brasileira de Futebol, pág. 309

FontesEditar

http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/ze-mario-1893