Abrir menu principal
Jovem Pan News Campinas
{{{alt}}}
Rádio Jequitibá Ltda.
País Brasil
Frequência(s) AM 1230 kHz
Sede Campinas, SP
Fundação 24 de outubro de 1984 (34 anos)
Fundador Natal Gale
Pertence a Grupo ABC de Comunicação
Proprietário(s) Ivo Rocha
Antigo(s) proprietário(s) Natal Gale (1984-2010)
Renato Gale (1987-1989)[nota 1]
Afiliações Jovem Pan News
Afiliações anteriores Rede Aleluia (1997-2003)
Rádio Deus é Amor (1994-1997; 2003)
Idioma (português brasileiro)
Prefixo ZYK 716
Nome(s) anterior(es) Rádio Difusora
Rádio Princesa
Rádio Jequitibá
Emissoras irmãs Morena FM
Dados técnicos Potência: 5 kW (dia)
0,5 kW (noite)
Classe: B
Página oficial www.jovempannewscampinas.com.br

Jovem Pan News Campinas é uma emissora de rádio brasileira sediada em Campinas, cidade do estado de São Paulo. Opera no dial AM, na frequência 1230 kHz, e é afiliada à Jovem Pan News. Fundada em 10 de outubro de 1984 pelo advogado e político Natal Gale, era chamada de Rádio Jequitibá e tinha a música sertaneja como característica de sua programação, posteriormente pelos diversos arrendamentos para entidades religiosas.[1][2][3] Atualmente controlada pelo empresário Ivo Rocha, é integrante do Grupo ABC de Comunicação, que também administra a Jovem Pan News, de Santos, e a Rádio ABC, de Santo André.

HistóriaEditar

Em 1984, o advogado e político Natal Gale, que estava em sua segunda legislatura pelo Partido Democrático Social (PDS) como deputado federal, recebeu do presidente João Figueiredo duas concessões para operar em Campinas, em AM e FM (esta última a Morena FM, atualmente arrendada para a Rede Aleluia).[2] De forma discreta, a emissora entrou no ar em 24 de outubro de 1984[3], como Rádio Difusora, posteriormente Rádio Princesa, até assumir o nome Rádio Jequitibá.[2] Natal Gale recebeu ajuda de Paulo Pedroso, proprietário da Rádio Cultura, que emprestou uma sala no prédio da Cultura e equipamentos para operar a emissora. Sem entusiasmo, passou o controle da Rádio Jequitibá para o filho, Renato Gale, que assumiu em 1987.

Em 1988, Luiz Ceará assumiu a direção da emissora, que implantou uma pequena equipe de jornalismo e esportes, e programação de música sertaneja. Nesta fase, era produzido um jornalístico de meia hora, pela manhã, e boletins de hora em hora, intercalada com a programação musical.[1] Quando Natal Gale perdeu o mandato, em 1989, reassumiu o controle da emissora e começou a implantar uma programação política. A intervenção culminou na saída de Luiz Ceará.[2] Mesmo mantendo o projeto de Ceará, a Jequitibá entrou em declínio a partir da década de 1990. Neste período, as equipes deixaram a emissora e, a morte de Renato Gale, culminou na decisão de Natal Gale a arrendar a Rádio Jequitibá para igrejas.[2] Em 1994, a rádio vendeu 77% da programação para a Rádio Deus é Amor.[3] Em 1997, vendeu dois terços da grade para a Rede Aleluia.[2]

Entre 2002 e 2003, a Rádio Jequitibá voltou a ter programação musical sertaneja. Apesar dos resultados positivos, eles não eram revertidos em bons resultados financeiros, o que fez a administração voltar a arrendar a programação para a Rádio Deus é Amor, em agosto de 2003.[2] Em 2007, a emissora produzia boletins jornalísticos transmitidos, de hora em hora, entre 7h às 19h.[1] A administração das rádios esteve com Natal Gale até sua morte, em 2010.[4] Posteriormente, foi adquirida pelo empresário Ivo Rocha e incorporada ao Grupo ABC de Comunicação e entrou com processo para migrar do dial AM para o FM.[5] No entanto, a emissora manteve arrendamentos para outras igrejas.

Em março de 2017, foi anunciado que a emissora passaria a integrar a rede Jovem Pan News, com projeto all news. A afiliação ocorreu em 4 de abril de 2017, onde deixou de se chamar Rádio Jequitibá e foi renomeada Jovem Pan News Campinas. Inicialmente irá retransmitir somente os programas de rede, mas gradativamente deverá inserir conteúdo local.[6]

Notas e referências

Notas

  1. Natal Gale ainda permanecia como proprietário da emissora, mas assumiu sua administração quando o mesmo demonstrou desinteresse pelo projeto.[1]

Referências

  1. a b c d Profa. Dra. Ivete Cardoso do Carmo Roldão (2007). «A ausência de propostas educativas e cidadãs no rádio AM: uma análise das emissoras de Campinas» (PDF). Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (em português brasileiro): 1-14. Consultado em 2 de abril de 2017 
  2. a b c d e f g Profa. Dra. Ivete Cardoso do Carmo Roldão (2007). «Rádio e Política em Campinas: a trajetória do rádio AM» (PDF). Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (em português brasileiro): 1-15. Consultado em 2 de abril de 2017 
  3. a b c Leila Rinaldi Ming; Eder Conrado de Oliveira; Ivete Cardoso do Carmo Roldão (2006). «Uma análise do perfil da programação das emissoras AM de Campinas» (PDF). São Bernardo do Campo: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. UNESCOM - Congresso Multidisciplinar de Comunicação para o Desenvolvimento Regional (em português brasileiro): 1-15. Consultado em 2 de abril de 2017. Arquivado do original (PDF) em 2 de abril de 2017 
  4. Carlos Massaro (30 de junho de 2010). «Dono das rádios Morena e Jequitibá morre em Campinas». Tudo Rádio. Consultado em 2 de abril de 2017 
  5. «Grupo ABC de Comunicação sai na frente na migração de suas emissoras AM». Bastidores do Rádio. 12 de novembro de 2013. Consultado em 2 de abril de 2017. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2017 
  6. Daniel Starck (30 de março de 2017). «Exclusivo: Jovem Pan News confirma estreia de afiliada em Campinas». Tudo Rádio. Consultado em 2 de abril de 2017 

Ligações externasEditar