Abrir menu principal

Just Be Free

álbum de Christina Aguilera
Just Be Free
Álbum de demonstração de Christina Aguilera
Lançamento 21 de agosto de 2001 (2001-08-21)
Gravação 1994 - 95
Gênero(s) Dance-pop
Duração 45:59
Idioma(s) Inglês, espanhol
Formato(s) CD
Gravadora(s) Warlock
Produção Bobby Allecca (exec.), Michael Brown (também exec.)
Cronologia de Christina Aguilera
My Kind of Christmas
(2000)
Stripped
(2002)

Just Be Free é o primeiro álbum de demonstração da artista musical estadunidense Christina Aguilera. O seu lançamento ocorreu em 21 de agosto de 2001, através da Warlock Records. Depois de terminar a sua participação no programa infantil The Mickey Mouse Club, Aguilera, então com quinze ano de idade, começou a gravar o álbum com os produtores Roberts Allecca e Michael Brown. A dupla deu Aguilera a oportunidade de usar um estúdio de gravação e presenteou-a com demonstrações, dando a entender que eles poderiam usar o material para seus próprios fins, mas também afirmando que não iriam lançar comercialmente as gravações. Musicalmente, o álbum consiste de faixas derivadas do dance-pop, bem como baladas, e apresenta Aguilera cantando faixas em língua espanhola. O disco foi concebido para mostrar os vocais de Aguilera em um esforço para chegar a gravadoras, um empreendimento que deu errado após as gravações não serem bem recebidos entre os críticos.

Seis anos após a conclusão do álbum e o atingimento de Aguilera na indústria musical, Allecca e Brown lançaram o disco sem a permissão do Aguilera ou sua gestão. Quando Aguilera descobriu o lançamento do álbum, ela contratou a advogada Carla Christofferson para ajuda-la a parar o lançamento, já que sentiu que as gravações não deveriam ser associadas com a qualidade da sua música na época do lançamento do disco. A Warlock Records, em seguida, entrou com sua própria ação, em um esforço para continuar com o lançamento e, finalmente, o caso foi resolvido fora do tribunal, em que Aguilera pediu que uma carta informativa do conteúdo do álbum deveria ser apresentada dentro de cada cópia do disco. Criticamente, o álbum foi negativado, e embora resenhadores tenham elogiado sua voz, eles criticaram a sua produção e seu conteúdo lírico. Até a data, Just Be Free comercializou mais de 128.000 cópias nos Estados Unidos.

Antecedentes e composiçãoEditar

Demonstração de 23 segundos da faixa-título "Just Be Free".

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Após receber a notícia de que a segunda versão do programa infantil The Mickey Mouse Club entraria em sua última temporada, Aguilera procurou um contrato com uma gravadora. Ela passou grande parte desse tempo na Filadélfia para gravar demonstrações com vários produtores, na esperança de ter um álbum lançado no tempo em que tinha terminado o ensino médio. Enquanto gravava a última temporada da série, ela começou a trabalhar com os produtores Roberts Allecca e Michael Brown, nascidos em Nova Jersey.[1] Eles eventualmente construíram um relacionamento com Aguilera e sua família, oferecendo-lhe o tempo necessário para gravação. Eles lhe disseram que as gravações que ela iria produzir seriam de sua propriedade e que nunca iriam lançar comercialmente o material.[2] Ela gravou onze faixas "ásperas e inacabadas", que depois passaram a se tornar as sessões de estúdio de Just Be Free.[2]

As primeiras gravações foram concebidas como uma forma de introduzir Aguilera para a indústria musical, descritas como uma "oportunidade fácil" de construir o interesse em suas habilidades musicais.[2] Durante as sessões de gravação, Aguilera experimentou diferentes linguagens, gravando canções como a faixa-título "Just Be Free" em espanhol.[2] Embora os legítimos autores do conteúdo terem sido disputados, as sessões foram descritas como influentes em futuras gravações de Aguilera.[2] Musicalmente, o álbum consiste principalmente de baladas que foram criadas em um esforço para mostrar os talentos vocais de Aguilera, embora faixas dance-pop tenham se tornado um tema de destaque em todas as onze faixas que ela gravou durante este tempo.[2]

Processo judicial e lançamentoEditar

Após a descoberta de que Alçecca e Brown iriam lançar o álbum, Aguilera começou a desenvolver um processo contra ambos, em um esforço para parar o lançamento.[2] Aguilera entrou com uma ação contra a Warlock Records e suas afiliais Platinum Recordings e JFB Music devido ao "uso indevido de seu nome e licença no álbum Just Be Fre".[2] Carla Christofferson, advogado da cantora na época, explicou: "Nós estamos tentando impedi-los de lançar essas primeiras gravações que não é a qualidade que, atualmente, não está associada diretamente a ela".[3] No entanto, Adam Levy, presidente da Warlock Records, sentiu que apesar de não gostar do material de Aguilera, achou que fosse uma olhada em sua vida no momento da gravação. Ele afirmou: "É um grande olhar para o que ela estava fazendo, temos o prazer [de estar lançando o registro]. Estou mais satisfeito para os produtores do álbum que queriam tirá-lo [de nós]. Espero que os fãs possam apreciá-los".[4] Christofferson respondeu alegando que a Warlock tentou "alçar às custas" do sucesso de Aguilera. Em resposta à ação judicial, a gravadora entrou com sua própria ação judicial na tentativa de garantir o lançamento do disco.[3] Durante o processo, Aguilera concordou com o lançamento de Just Be Free através da Warlock Records após chegar a um acordo com a empresa e suas afiliadas. Ela permitiu tal lançamento sob a condição de que o disco teria de incluir uma carta escrita por ela em cada cópia.[4] Desde 13 de novembro de 2015, o disco está disponível em plataformas de streaming como Spotify e Deezer.[5][6]

Crítica profissionalEditar

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic      [7]
Entertainment Weekly (D)[8]

"A composição de Christina provou ser um sinal precoce da intensa participação artística que a cantora teria em cada empreendimento único que decidiu embarcar em durante sua carreira. Ela já estava mostrando, aos catorze anos, que ela era, antes de tudo, uma música talentoso e uma artista [talentosa] tamb[em. Anos mais tarde, depois de Christina ter a sua grande oportunidade por meio de um álbum com vendas multiplatinadas, essas primeiras gravações que ela tinha apenas destinado à demonstrações, um fato que ela tinha deixado claro para os produtores, voltaria para assombrá-la".

—Pier Dominguez, autor de A Star Is Made, comentando sobre o efeito da carreira posterior de Aguilera.[2]

Just Be Free obteve análises geralmente negativas da mídia especializada. Stephen Thomas Erlewine, do portal Allmusic, entendeu porque Aguilera estava insatisfeito com o lançamento do material, chamando as músicas de "pré-profissionais" e "genérico do dance-pop do início dos anos 90". Ele observou que Just Be Free não coincidiu com a qualidade do seu álbum de estreia homônimo, devido à sua produção "branda".[7] David Browne, da revista Entertainment Weekly deu ao álbum uma nota D, citando a produção do álbum e descrevendo-a de "ninfeta de adolescente" devido à letras como "Por que você não fica comigo esta noite".[8]

Pier Dominguez, autor de A Star is Bade, comentou que as sessões demonstraram a "áspera agilidade vocal de Christina", apesar de chamar o conteúdo de "maçante", acrescentando que "a fome de Christina para o sucesso, na verdade, vem através dessas canções, já que ela canta do seu coração para fora com uma emoção tensa, tentando soar como se estivesse libertando todas as suas inibições. Se ela de fato co-compôs as músicas, então eles também eram uma demonstração da destreza de Christina como compositora, porque as letras do álbum poderiam ser chamadas de banais e talvez até mesmo de bregas, e não se pode dizer que elas não são cativantes".[2] Da mesma forma, Stephanie McGrath, da Jam!, também entendeu porque Aguilera não gostaria que o álbum fosse lançado. Embora ela tenha reconhecido o potencial de Aguilera como vocalista, ela escreveu: "As próprias músicas são terríveis, faixas dançantes datadas, oprimidas pelos efeitos pobres e pelas batidas mundanas".[9]

Lista de faixasEditar

Todas as canções escritas e compostas por Bobby Allecca, Michael Brown e Christina Aguilera e produzidas por Allecca e Brown, exceto quando escrito. 

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Just Be Free"    3:43
2. "By Your Side"    4:07
3. "Move It" (Dance Remix)  3:55
4. "Our Day Will Come"  Mort Garson, Bob Hilliard 4:05
5. "Believe Me"    4:17
6. "Make Me Happy"  LaForest Cope, Brown 3:54
7. "Dream a Dream"    4:51
8. "Move It"    3:44
9. "The Way You Talk to Me"    3:37
10. "Running out of Time"    4:05
11. "Believe Me" (Dance Remix)  4:36
12. "Just Be Free" (versão espanhola)  3:41
Duração total:
48:05

CréditosEditar

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de Just Be Free, de acordo com o encarte do álbum:[10]

Desempenho nas tabelas musicaisEditar

De acordo com a Nielsen SoundScan, Just Be Free comercializou, até a data, mais de 128 mil cópias nos Estados Unidos, e atingiu a posição de número 71 como melhor na Billboard 200.[11]

Tabela musical (2001-2009) Posição
  Estados Unidos (Billboard 200)[11] 71

Histórico de lançamentoEditar

País Data Formato Gravadora
  Estados Unidos[2] 21 de agosto de 2001 CD Warlock

Referências

  1. Dominguez 2003, p. 33
  2. a b c d e f g h i j k Dominguez 2003, p. 34
  3. a b Reid, Shaheem (21 de maio de 2001). «Christina Aguilera Sues To Stop Release Of Early Recordings» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 8 de julho de 2014 
  4. a b Reid, Shaheem (5 de julho de 2001). «Early Christina Aguilera Recordings Hitting Stores In August» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 8 de julho de 2014 
  5. «Spotify Web Player - Just Be Free - Christina Aguilera» (em inglês). Spotify. 13 de novembro de 2015. Consultado em 15 de novembro de 2015 
  6. «Just Be Free - Christina Aguilera - Kostenlos auf Deezer hören» (em inglês). Deezer. 13 de novembro de 2015. Consultado em 15 de novembro de 2015 
  7. a b c Erlewine, Stephen Thomas. «Just Be Free» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 8 de julho de 2014 
  8. a b Browne, David (7 de setembro de 2001). «Just Be Free, Christina Aguilera». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 8 de julho de 2014 
  9. McGrath, Stephanie (17 de agosto de 2001). «Just Be Free review» (em inglês). Jam!. Consultado em 8 de julho de 2001. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2014 
  10. (2001) Créditos do álbum Just Be Free por Christina Aguilera. Warlock Records.
  11. a b Trust, Gary (18 de dezembro de 2009). «Ask Billboard: How "TiK ToK" Winds Up At No. 2». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 8 de julho de 2014 
  • Dominguez, Pier (2003). A Star Is Made. [S.l.]: Amber Communications Group, Inc. ISBN 1-84449-381-4