Kaboom

filme de 2010 dirigido por Gregg Araki

Kaboom (prt: Alucinação[3], ou Kaboom - Alucinação[4]; bra: Kaboom[5][6]) é um filme franco-estadunidense de 2010, dos gêneros comédia e ficção científica, escrito e dirigido por Gregg Araki.[7]

Kaboom
No Brasil Kaboom
Em Portugal Alucinação
Kaboom - Alucinação
 Estados Unidos
 França[1]
2010 •  cor •  86 min 
Direção Gregg Araki
Produção Gregg Araki
Andrea Sperling
Pascal Caucheteux
Roteiro Gregg Araki
Elenco Thomas Dekker
Haley Bennett
Juno Temple
Chris Zylka
Roxane Mesquida
Brennan Mejia
James Duval
Kelly Lynch
Gênero
Música Robin Guthrie
Vivek Maddala
Mark Peters
Ulrich Schnauss
Cinematografia Sandra Valde-Hansen
Edição Gregg Araki
Companhia(s) produtora(s) Wild Bunch
Desperate Pictures
Distribuição Sundance Selects
Lançamento 15 de maio de 2010
Idioma inglês
Orçamento US$
Receita US$ 539 957 [2]

O filme marcou a segunda participação de Gregg Araki no Festival de Cannes, depois do filme Smiley Face. O diretor foi inclusive o primeiro vencedor da "Queer Palm", prêmio atribuído ao melhor filme com temática LGBT.[8]

EnredoEditar

A história é centrada nas aventuras sexuais de um grupo de universitários e suas investigações sobre um culto bizarro.

ElencoEditar

 
Thomas Dekker, Gregg Araki e Roxane Mesquida, promovendo o filme em Deauville, no "Festival de Cinema Americano".
  • Thomas Dekker como Smith
  • Haley Bennett como Stella
  • Juno Temple como London
  • Chris Zylka como Thor
  • Roxane Mesquida como Lorelei/Laura
  • Brennan Mejia como Oliver
  • James Duval como o Messias
  • Kelly Lynch como mãe de Smith
  • Nicole LaLiberte como Madeleine O'Hara / Rebecca Novak
  • Andy Fischer-Price como Rex
  • Jason Olive como Hunter
  • Carlo Mendez como Milo
  • Brandy Futch como a Ninfa das drogas

RecepçãoEditar

O filme recebeu avaliações mistas dos críticos. O agregador de comentários do site Rotten Tomatoes mostra que 58% de 88 críticos deram ao filme uma crítica positiva.[9] No Metacritic, o filme tem uma classificação de 64/100, indicando "avaliações favoráveis".[10]

Bruce Demara do Toronto Star elogiou o elenco do filme e disse: "O mais ambicioso filme de Araki, até à data, com um ritmo rápido, a música que é moderna e antenada e um estado de espírito que se alterna entre brincalhão e excêntrico".[11] Sam Adams do Los Angeles Times foi muito mais crítico sobre o assunto e disse: "Inferior a um filme só um rabisco de masturbação, uma regurgitação desleixada, malfeito de Araki que busca passar sua estrutura descuidada como uma brincadeira de roda livre".[12]

Referências

  1. «Kaboom». British Film Institute. Consultado em 22 de maio de 2014 
  2. «Kaboom» (em inglês). no Box Office Mojo 
  3. «Alucinação». Portugal: CineCartaz. Consultado em 6 de abril de 2020 
  4. «Kaboom - Alucinação». Portugal: SapoMag. Consultado em 6 de abril de 2020 
  5. «Kaboom». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 6 de abril de 2020 
  6. «Kaboom». Brasil: CinePlayers. Consultado em 6 de abril de 2020 
  7. Zeitchik, Steven (15 de abril de 2010). «Cannes 2010: Lineup reveals a heavy dose of auteurs, with a dollop of celebrity». Los Angeles Times. Consultado em 28 de abril de 2010 
  8. «UPDATE: "Kaboom" Claims First Queer Palm». Consultado em 23 de maio de 2010 
  9. Kaboom – Rotten Tomatoes
  10. Kaboom – Metacritic
  11. «Kaboom: Fuse too long, climax fizzles». Consultado em 24 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 19 de abril de 2012 
  12. «Kabbom – Movies». Consultado em 24 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 7 de junho de 2013 
  Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.