Karl-Otto Apel

professor académico alemão
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Apel, veja Apel (desambiguação).

Karl-Otto Apel (Düsseldorf, 15 de março de 1922Niedernhausen, 15 de maio de 2017) foi um filósofo alemão e professor emérito da Johann Wolfgang Goethe-Universität de Frankfurt am Main .

Karl-Otto Apel
Nascimento 15 de março de 1922
Düsseldorf
Morte 15 de maio de 2017 (95 anos)
Frankfurt
Cidadania Alemanha
Alma mater Universidade de Mainz, Universidade do Sarre, Universidade de Bonn
Ocupação filósofo, professor universitário
Prêmios Cruz da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
Empregador Universidade de Frankfurt, Universidade de Kiel, Universidade do Sarre, Universidade de Mainz
Página oficial
http://www.karl-otto-apel.de/

Licenciado em Bonn e doutor em filosofia em Mogúncia, em 1960. Foi professor em Kiel (1962-1969), Saarbrücken (1969-1972) e na Johann Wolfgang Goethe-Universität (1972-1990).

Tornou-se um dos teóricos mais influentes da Escola de Frankfurt, após a morte de Adorno, no final da década de 1960. Crítico do cientificismo positivista por considerá-lo redutor da razão, na linha defendida pelos frankfurtianos, Apel elaborou trabalhos sobre a ética comunicativa e se assume como um dos restauradores da filosofia prática.

O trabalho de Apel incorpora elementos tanto da Filosofia analítica como do pragmatismo e da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt.

No plano da crítica ao racionalismo positivista, faz uma clara distinção entre a compreensão e a explicação. Em seu livro Understanding and Explanation: A Transcendental-Pragmatic Perspective, Apel reformula a diferença entre entendimento (Verstehen) e explicação (Erklärung), contidos na hermenêutica de Wilhelm Dilthey e na sociologia interpretativa de Max Weber, com base em uma concepção transcendental- pragmática de linguagem, inspirada em Charles Peirce. Essa concepção do mundo da vida tornar-se-ia um elemento da Teoria da Ação Comunicativa e do discurso ético, que Apel a princípio desenvolveu com seu amigo e colaborador Jürgen Habermas.[1]

Embora basicamente concorde com a Teoria da Ação Comunicativa de Habermas, Apel é crítico com respeito a alguns aspectos da abordagem do colega. Apel defende que a teoria da comunicação deva basear-se nas condições pragmático-transcendentais da comunicação e assim, depois de um ponto de partida comum, Habermas e Apel seguiram caminhos diferentes. Habermas encaminhou-se para um "transcendentalismo fraco", mais próximo da pesquisa social empírica.

Apel também escreveu diversos trabalhos sobre Peirce e foi presidente da 'Charles Sanders Peirce Society.

Apel morreu em 15 de maio de 2017, aos 95 anos.[2]

Obras principaisEditar

  • 1963 Sur le Problème d’une Fondation Rationelle de l’Éthique à l’Âge de la Science. L’Apriori de la Communauté Communicationnelle et les Fondements de l’Éthique. Ed. orig. 1963; trad. fr. Lille, Presses Universitaires de Lille, 1987.
  • 1973 Transformation der Philosophie, Bd. 1. Sprachanalytik, Semiotik, Hermeneutik;
  • 1976 Bd.2 Das Apriori der Kommunikationsgemeinschaft("O a priori da Comunidade de Comunicação") Frankfurt, Suhrkamp .
  • 1976 Das Problem der philosophischen Letztbegründung im Lichte einer transzendentalen Sprachpragmatik (O Problema da Fundamentação Última à Luz de uma Pragmática Transcendental da Linguagem)
  • 1975 Der Denkweg von Charles Sanders Peirce. Eine Einführung in den amerikanischen Pragmatismus, Frankfurt;
  • 1976 Sprachpragmatik und Philosophie, Frankfurt /M.;
  • 1978 Neue Versuche über Erklren und Verstehen, Frankfurt /M.;
  • 1979 Die Erklren-Verstehen Kontroverse in transzendental-pragmatischer Sicht, Suhrkamp, Frankfurt /M., 1979;
  • 1984 Praktische Philosophie. Ethik. Aktuelle Materialen.

Frankfurt.

  • 1980 Praktische Philosophie-Ethik I. Reader zum Funk-Kolleg, Frankfurt /M.;
  • 1984 Funk-kolleg Praktische Philosophie-Ethik: Dialoge, 2 voll., Frankfurt /M.;
  • 1984 Funk-Kolleg Praktische Philosophie-Ethik: Studientexte, 3 voll., Basel;
  • 1988 Diskurs und Verantwortung. Das Problem des Übergangs zur postkonventionellen Moral, Suhrkamp, Frankfurt /M., ;
  • 1989 Il logos distintivo della lingua umana, Napoli;
  • 1990 Zur Rekonstruktion der praktischen Philosophie, Gedenkschrift für Karl-Heinz Ilting, Frommann-Holzboog, Stuttgart;
  • 1990 Penser avec Habermas contre Habermas, Paris, 1990; 1992 Verità e comunicazione, Laterza, Roma-Bari, ;
  • 1992 Per una ermeneutica critica, Torino, ;
  • 1992 Zur Anwendung der Diskursethik in Politik, Recht und Wissenschaft, Suhrkamp, Frankfurt /M.

Obras disponíveis em portuguêsEditar

  • Dissolução da ética do Discurso? In: MOREIRA, Luiz (org.). Com Habermas, contra Habermas: direito, discurso e democracia. São Paulo: Landy Editora, 2004, p. 201-321. 
  • Transformação da Filosofia:
    • Vol.1: Filosofia analítica, semiótica, hermenêutica. São Paulo: Editora Loyola, 2005.
    • Vol. 2: O a priori da Comunidade de Comunicação. São Paulo: Editora Loyola, 2000.
  • Estudos de Moral Moderna. Porto Alegre: Editora Vozes, 1994. 284 p.
  • Ética e Responsabilidade: o problema da passagem para a moral pós-convencional. Lisboa: Editora Instituto Piaget, 2013.

Referências

  1. Josué Cândido da Silva (20 de dezembro de 2007). «Filosofia da linguagem (7): Habermas, Apel e a ética na linguagem». UOL Educação. Consultado em 16 de maio de 2017 
  2. «Philosoph Karl-Otto Apel gestorben» (em alemão). ORF.at. 16 de maio de 2017. Consultado em 16 de maio de 2017 

Ligações externasEditar