Basileia

cidade da Suíça
(Redirecionado de Basel)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Basileia (desambiguação).

Basileia (em alemão: Basel, em francês: Bâle, em italiano: Basilea) é a terceira maior cidade da Suíça (atrás de Zurique e Genebra) com a população de cerca de 195 000 habitantes. No grego koinê, Basileia significa "reino" ou "domínio". A cidade foi fundada pelos romanos com o nome de Basilia.

Picto infobox map.png
Basileia
Comuna da Suíça
Bale-coat of arms.svg
Brasão de armas
Mittlere Brücke.jpg
Ponte Mittlere sobre o rio Reno
Administração
Cantão Basileia-Cidade
Distrito Basileia-Cidade não tem distritos
Comuna de Basileia
Código postal CH-4000
Prefixo telefónico 061
Língua oficial alemão
Demografia
População 175,940 hab.
Densidade 7,400 hab./km²
Geografia
Altitude 260 m
Área 22,75 km²
Website oficial http://www.basel.ch
Minstro de Basileia, onde está enterrado Erasmo de Roterdão.

É considerada a capital cultural da Suíça.[1][2][3][4] A cidade é famosa pelos seus muitos museus, desde o Kunstmuseum, a primeira colecção de arte acessível ao público do mundo (1661) e o maior museu de arte da Suíça, à Fundação Beyeler (localizada em Riehen) e ao primeiro museu público de arte contemporânea da Europa.[5] A Universidade de Basileia, a universidade mais antiga da Suíça (fundada em 1460), e o compromisso secular da cidade com o humanismo, fizeram de Basileia um porto seguro em tempos de agitação política noutras partes da Europa para pessoas tão notáveis como Erasmo de Roterdão, a família Holbein, Friedrich Nietzsche, e no século XX também Hermann Hesse e Karl Jaspers.

Basileia é sede do Banco de Compensações Internacionais (uma espécie de banco central dos bancos centrais) e por isso batiza também o acordo que trata da normatização dos procedimentos bancários. É sede ainda de indústrias, bancos, seguradoras e empresas de transporte. A cidade também referência mundial no campo da indústria farmacêutica e abriga sedes de diversas empresas, entre as quais Roche, Novartis, Syngenta, Ciba Specialty Chemicals, Clariant, Basilea Pharmaceutica e Actelion. A cidade de Basileia é o segundo maior centro económico da Suíça depois da cidade de Zurique e tem o PIB per capita mais elevado do país, à frente dos cantões de Zug e Genebra.[6]

Em 2014 a aglomeração urbana de Basileia foi a terceira maior de seu país, com uma população de 537 100 habitantes em 74 municípios na Suíça e um adicional de 53 municípios nos países vizinhos. A trinacional área metropolitana de Basileia tem cerca de 830 000 habitantes em 226 municípios.

Em 2019, Basileia, foi classificada entre as dez cidades mais habitáveis do mundo por Mercer juntamente com Zurique e Genebra.[7]

Torre Roche, o edifício mais alto da Suíça.

GeografiaEditar

Localizada no noroeste da Suíça, Basileia faz fronteira com a Alemanha e com a França, Basileia também tem subúrbios nesses dois países. É cortada pelo rio Reno, que a divide em Grande Basileia (Gross Basel) e Pequena Basileia (Klein Basel), esta na margem oposta do rio, junto a Lörrach. Sua localização favoreceu o desenvolvimento da cidade como polo financeiro e de transportes.

Com 166 mil habitantes, é a terceira cidade mais populosa do país. Sua aglomeração conta com 690 mil habitantes, e se estende além das fronteiras com a França (Saint-Louis e Huningue, na Alsácia) e com a Alemanha (Weil-am-Rhein e Lörrach no Baden-Württemberg).

Basileia também batiza dois semicantões da Suíça:

InfraestruturasEditar

PontesEditar

 
Mittlere Brücke

A mais conhecida das 14 pontes que atravessam o Reno é a Mittlere Brücke que aliás é a mais antiga ponte sobre o Reno entre o Lago de Constança e a Mar do Norte.

AeroportoEditar

O aeroporto que atende à cidade é o EuroAirport Basel-Mulhouse-Freiburg assim chamado pela sua localização central dentro do território europeu, que lhe permite atender a três países: Suíça, França e Alemanha. Outra curiosidade sobre o aeroporto, situado em território francês, é que ele é administrado juntamente por dois países, Suíça e França. Por tal razão os passageiros podem ser submetidos tanto ao controle de imigração suíço quanto ao francês.

MuralhasEditar

A Muralha de Basileia é o conjunto de fortificações medievais da cidade que se desenvolveu entre 1080 e 1860. Ver um conjunto de imagens de Portas e da Muralha de Basileia em Muraille_de_Bâle (Fr)

Personalidades famosasEditar

  • Erasmo de Roterdã viveu muitos anos em Basileia e ali faleceu em 1536.
  • Nietzsche ensinou na universidade de Basileia de 1869 até 1879 como professor de filologia.
  • Karl Barth, que após "confronto" com o nazismo, perder sua cátedra na Alemanha, em 1935, fixando-se para o resto de seus dias em Basileia, sua cidade natal. A revista Time, em seu necrológio a Barth, classificou-o como o mais significativo pensador religioso do século XX.
  • A família de matemáticos Bernoulli ocupou vários cargos de ensino na universidade de Basileia.
  • O matemático Leonhard Euler também é originário de Basileia.
  • O tenista Roger Federer nasceu na cidade em 1981.
  • O médico psiquiatra Carl Gustav Jung morou, estudou e ensinou em Basileia durante o fim do século XIX e início do século XX.
  • O jurista Rudolf von Ihering, aos 27 anos de idade, foi lecionar na Universidade de Basileia.
  • O jogador de futebol Alexander Frei, um dos principais nomes da seleção suíça de futebol nos anos 2000.
  • O historiador da arte Jacob Burckhardt nasceu em Basileia em 25 de maio de 1818 e faleceu na mesma cidade em 8 de agosto de 1897.
  • O escritor Carl Spitteler, prémio Nobel da Literatura de 1902, nasceu nesta cidade em 1845
  • O físico Karl Alexander Müller, Prémio Nobel de Física de 1987, nasceu nesta cidade em 1927
  • O célebre mago, alquimista e médico suíço Paracelso (1493-1541) ensinou medicina em Basiléia (Bâle)[8]
  • O pianista Krystian Zimerman reside em Basileia.

Ver tambémEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Basileia
O Wikivoyage possui o guia Basiléia

Referências

  1. Adm. do portal (2014). «Basel – Switzerland's capital of art and culture». Europeanbestdestinations.org. Consultado em 17 de junho de 2014 
  2. Adm. do portal (2012). «Basel – Cultural capital of Switzerland». SBB CFF FFS. Consultado em 17 de junho de 2014 
  3. Adm. do portal (2013). «Cultural Capital of Switzerland». Portal do Cantão de Basileia-Cidade. Consultado em 17 de junho de 2014 
  4. Hefti, Reto (29 de outubro de 2016). «Die Stadt Basel – Kulturhauptstadt der Schweiz». schweizerdeutsch-lernen.ch (em alemão). Consultado em 8 de agosto de 2020 
  5. zephir.ch. «Unsere drei Häuser». kunstmuseumbasel.ch (em alemão). Consultado em 8 de agosto de 2020 
  6. «Schweiz - Bruttoinlandsprodukt (BIP) pro Kopf nach Kantonen 2017». Statista (em alemão). Consultado em 8 de agosto de 2020 
  7. «Quality of living city ranking» 
  8. (Dicionário do inexplicado, revista Planeta, ed Três, 08.1983)

Ligações externasEditar


Cantões da Suíça  
Appenzell (Appenzell Exterior e Appenzell Interior) | Argóvia | Basileia (Basileia-Campo e Basileia-Cidade) | Berna | Friburgo | Genebra | Glarus | Grisões | Jura | Lucerna
Neuchâtel | Unterwald (Nidwald e Obwald) | São Galo | Schaffhausen | Schwyz | Soleura | Ticino | Turgóvia | Uri | Valais | Vaud | Zug | Zurique
  Este artigo sobre Geografia da Suíça é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.