Abrir menu principal

Lúcio Mota Matos, mais conhecido por Lúcio Santarém (Santarém, 28 de novembro de 1956[1] - Santarém, 27 de agosto de 2016) foi um futebolista e treinador de futebol brasileiro que atuava como atacante.

Lúcio Santarém
Informações pessoais
Nome completo Lúcio Mota Matos
Data de nasc. 28 de novembro de 1956
Local de nasc. Santarém (PA), Brasil
Nacionalidade brasileira
Falecido em 27 de agosto de 2016 (59 anos)
Local da morte Santarém (PA), Brasil
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1979
1980
1980
1981
1981–1983
1983–1984
1984
1985
1985
1986
Brasil Remo
Brasil Ceará
Brasil Rio Negro
Brasil Ceará
Portugal Vitória de Guimarães
Portugal Portimonense
Brasil Bahia
Brasil XV de Jaú
Brasil Ceará
Brasil Rio Negro




29 (4)
10 (0)



Após jogar em clubes de sua cidade, ganhou maior projeção a partir de 1979, quando jogava pelo Remo, além de ter destacada passagem pelo Ceará. Jogou ainda pelo Rio Negro antes de mudar-se para Portugal em 1981, tendo atuado por Vitória de Guimarães e Portimonense, voltando ao Brasil em 1984, quando foi contratado pelo Bahia.

Em 1985, passou por XV de Jaú e Ceará (terceira passagem) antes de voltar ao Rio Negro em 1986. Um acidente com o ônibus da delegação do time de Manaus, obrigou Lúcio, que sofreu várias fraturas, a encerrar prematuramente sua carreira de jogador, com apenas 29 anos.

Como técnico, obteve maior projeção com o São Raimundo, pelo qual levou a Pantera ao título da primeira edição do Série D, em 2009. Em 2012, inconformado com o desempenho da equipe de Santarém na primeira fase do Campeonato Paraense, entregou o cargo e encerra a carreira de treinador,[2] passando a dedicar-se à administração do Estádio Colosso do Tapajós.

MorteEditar

Em 27 de agosto de 2016, Lúcio passou mal na sexta-feira (26) e procurou atendimento no Pronto-Socorro Municipal, sendo liberado posteriormente. Porém, voltou ao local e, apesar das tentativas de reanimação, sofreu um infarto e veio a falecer, aos 59 anos.[3] Sua morte repercutiu em todo o meio esportivo santareno,[4] e os principais clubes da cidade (São Raimundo e São Francisco), além da Prefeitura Municipal, expressaram pesar pelo falecimento do ex-jogador.

Referências