Abrir menu principal

BiografiaEditar

Rodrigues nasceu em Campos do Jordão, São Paulo, em 25 de novembro de 1951, e foi criado em Caldas, Minas Gerais.[1][2] Era filho do jornalista Joaquim Rodrigues e de Helle Alves, irmã da atriz Vida Alves. Tendo um gosto por artes desde criança, Rodrigues foi estudar arquitetura na Universidade de Brasília, mas não chegou a concluir o curso; então mudou-se para Niterói, no Rio de Janeiro, onde formou-se em Cinema pela Universidade Federal Fluminense.

O primeiro trabalho de Rodrigues foi no filme de 1973 Vai Trabalhar, Vagabundo!, dirigido por Hugo Carvana, como assistente de direção; seu nome, porém, não foi listado nos créditos finais. Em 1976 fundou junto a Tizuka Yamasaki e a Carlos Alberto Diniz o estúdio de cinema CPC, que trabalhou em inúmeros outros filmes por Carvana e em Parahyba Mulher Macho e Gaijin – Os Caminhos da Liberdade, da própria Yamasaki.

O primeiro filme dirigido (e também escrito) por Rodrigues, Bete Balanço, saiu em 1984 e estrelava Débora Bloch e Lauro Corona.[3] Seria seguido por Rock Estrela, de 1985, e Rádio Pirata, de 1987. Todos os seus três filmes foram de grande sucesso, particularmente entre adolescentes, e são notáveis por suas trilhas sonoras repletas de bandas e artistas de rock e New Wave populares na época, como Celso Blues Boy, Lobão, Titãs, Barão Vermelho, RPM, Azul 29, Dr. Silvana & Cia., Leo Jaime e Metrô, entre outros.

Lael morreu em 8 de fevereiro de 1989, devido a uma ruptura em seu esôfago que acabou por evoluir para uma pancreatite aguda.[4] Seu último trabalho foi como o produtor executivo do filme de 1988 Super Xuxa contra Baixo Astral, que estrelou Xuxa Meneghel. Ele teve um filho, de nome Luan.

FilmografiaEditar

Como diretorEditar

Como produtorEditar

Como editorEditar

Como assistente de direçãoEditar

ReferênciasEditar

  1. [1]
  2. Uma homenagem a Lael Rodrigues
  3. Bete Balanço
  4. «Pró-TV: Lael Rodrigues». Consultado em 5 de novembro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 

Ligações externasEditar