Abrir menu principal

O Largo da Candelária é um largo situado no bairro do Centro, na Zona Central da cidade do Rio de Janeiro. Com uma área de 42.463 m², integra a Orla Conde, um passeio público que margeia a Baía de Guanabara.

Situado no cruzamento da Avenida Presidente Vargas com a Rua Primeiro de Março, o largo foi inaugurado em 5 de agosto de 2016, dia da Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016.[1] O largo foi feito no âmbito do Porto Maravilha, uma operação urbana que visa revitalizar a Zona Portuária do Rio de Janeiro.

O largo recebeu seu nome por estar situado em frente à Igreja de Nossa Senhora da Candelária, um dos principais monumentos religiosos da cidade e tradicional palco de casamentos da sociedade carioca. Nos arredores, há uma enorme concentração de edifícios escritoriais geminados, que caracterizam a região como não-residencial.

Pira OlímpicaEditar

 
Pira Olímpica acesa, com a Igreja da Candelária ao fundo.

Após a Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, a Chama Olímpica foi levada, por um adolescente, até uma pira situada no Largo da Candelária.[2] A chama olímpica foi levada do Estádio do Maracanã até o largo em uma lamparina. Em seguida, uma tocha carregada por Jorge Gomes, na época com 14 anos, foi acesa com a chama. O garoto percorreu o largo correndo, subiu em uma grua e em seguida acendeu a pira.[3]

A pira, que foi apelidada de "Pira do Povo" por ser a primeira a estar situada fora de um Estádio Olímpico e mais próxima do público, localiza-se dentro de um chafariz cuja base é cheia d'água.[4] A pira, que se movimenta com o vento, foi criação do artista norte-americano Anthony Howe, conhecido por suas esculturas cinéticas cheias de efeitos visuais produzidos através dos movimentos de sua obra.[5]

Pontos de interesseEditar

Os seguintes pontos de interesse situam-se nas redondezas do Largo da Candelária:

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Prefeitura abre último trecho da Orla Conde». Porto Maravilha. 5 de agosto de 2016. Consultado em 7 de abril de 2017 
  2. Barone, Marcelo (6 de agosto de 2016). «Voa, moleque! Jovem da comunidade da Mangueira acende a "Pira do Povo"». Globo Esporte. Consultado em 7 de abril de 2016 
  3. Galdo, Rafael (5 de agosto de 2016). «Pira olímpica ornamenta nova praça na Candelária». O Globo. Consultado em 9 de setembro de 2017 
  4. «Fim do mistério! Pira que ficará na Candelária é revelada ao público». Terra Networks. 5 de agosto de 2016. Consultado em 7 de abril de 2016 
  5. Bosco, Tiago (23 de agosto de 2016). «Arte cinética na pira olímpica». Revista Wide. Consultado em 7 de abril de 2017. Arquivado do original em 30 de agosto de 2016 

Ligações externasEditar