Le Perreux-sur-Marne

comuna francesa
Le Perreux-sur-Marne
  Comuna francesa França  
Mairie Perreux Marne 7.jpg
Símbolos
Brasão de armas de Le Perreux-sur-Marne
Brasão de armas
Gentílico Perreuxiens
Localização
Le Perreux-sur-Marne está localizado em: França
Le Perreux-sur-Marne
Localização de Le Perreux-sur-Marne na França
Coordenadas 48° 50' 32" N 2° 30' 13" E
País  França
Região Blason France moderne.svg Ilha de França
Departamento Blason département fr Val-de-Marne.svg Vale do Marna
Administração
Prefeito Christel Royer
Características geográficas
Área total 3,95 km²
População total (2018) [1] 34 097 hab.
Densidade 8 632,2 hab./km²
Altitude máxima 70 m
Altitude mínima 35 m
Código Postal 94170
Código INSEE 94058
Sítio leperreux94.fr

Le Perreux-sur-Marne é uma comuna francesa localizada no departamento de Vale do Marne na região da Ilha de França. Portando o apelido de "Pérola do Leste parisiense"[2], a comuna se estende ao longo das margens do Marne. Seus habitantes são chamados de Perreuxiens.

GeografiaEditar

ToponímiaEditar

Do latim Petrosa, nome dado ao local pelos monges da abadia de Saint-Maur, no século XIII, para lembrar a natureza pedregosa do solo.

HistóriaEditar

Intimamente ligada à história de Nogent, Le Perreux é um feudo dependente da abadia de Saint-Maur onde um cartulário menciona pela primeira vez a existência em 1284. Em 1492, os monges dessa abadia ensaiam recuperar os direitos de alta, média e baixa justiça. Jeanne Baston, esposa de Jean l'Épervier conseguiu a justiça. Os monges serão rejeitados pelo Parlamento de Paris em 1500.

Desde o século XIII, uma mansão está presente. Ela é ocupada por numerosos senhores, burgueses de Paris, comerciantes do século XIV-XV e depois por parlamentares e notário e secretário do rei (família L'Espervier) e, finalmente, por uma segunda nobreza (Anthonis, Deschiens de Ressons). A mansão é substituída por um castelo entre o fim do século XVII e o início do século XVIII. Um segundo castelo foi construído por Boullée, arquiteto do rei, por Robert Millin.

Em 1760, Robert Millin, escudeiro, secretário do rei, casa e coroa da França, e receptor geral dos domínios do Duque de Orleans comprou o domínio. Seu filho, Jérôme-Robert será em 1794 uma das incontáveis vítimas do acusador Fouquier-Tinville. Ele cairá sob a guilhotina em praça pública, enquanto que seu próprio filho, Alexandre Millin, tenente-general, luta pelos exércitos da República. Ele e seu irmão restituem o domínio em triste estado sob o Diretório, mas não tardam a vendê-lo. Deve ser dito em sua defesa que seu pai tinha antes da Revolução sérios recuos de fortuna.

O domínio é então dividido. Nicolas Louis François de Neufchâteau comprou o castelo e o parque. O resto das terras, possessão das famílias Pantigny e de Beaufranchet é convertido em loteamentos em 1780 para tirar proveito da expansão que conhece Nogent graças à construção da linha ferroviária Paris-Mulhouse. Iniciados em 1854, os trabalhos necessitam a construção de um viaduto. A fronteira nasce, Le Perreux decola. Por volta de 1886, o número de habitantes do bairro de Perreux é tão importante quanto o do velho burgo de Nogent. A guerra entre os dois bairros é conduzido por um adjunto ao prefeito de Nogent: Henri Lhopital Navarre. Em 28 de fevereiro de 1887, a ruptura é consumada, Navarre se tornou o primeiro prefeito de Perreux.

Cidades geminadasEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Populations légales 2018. Recensement de la population Régions, départements, arrondissements, cantons et communes». www.insee.fr (em francês). INSEE. 28 de dezembro de 2020. Consultado em 13 de abril de 2021 
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 11 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 8 de outubro de 2011 

Ligações externasEditar