Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o militar português. Para o cineasta português, veja Leonel Vieira.
Leonel Neto de Lima Vieira
Outros nomes General Leonel Vieira
Nascimento 19 de dezembro de 1891
Lagos
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Militar
Prémios Medalha de prata das Campanhas do Exército Português
Medalhas de ouro e prata de Bons Serviços
Medalhas de prata e ouro de Comportamento Exemplar
Medalha de louvor da Sociedade Portuguesa da Cruz Vermelha
Grau de Comendador, Grande Oficial e Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis
Grau de Grande Oficial da Ordem do Mérito Militar do Brasil
Cargo Instrutor, professor
Serviço militar
Patente General
Comandante Distrital da Legião Portuguesa
2.º Comandante da Guarda Nacional Republicana
Governador Militar de Lisboa

Leonel Neto de Lima Vieira, também conhecido por General Leonel Vieira ComAGOAGCAMPBSMOBSMPCEMOCE (Lagos, 19 de Dezembro de 1891) — (local e data de falecimento desconhecidos), foi um militar português.

BiografiaEditar

NascimentoEditar

Nasceu na cidade de Lagos, em 19 de Dezembro de 1891.[1]

Carreira profissional e militarEditar

Em 1913, concluiu o curso de Infantaria na Escola do Exército, sendo promovido a Alferes em 16 de Novembro de 1914, Tenente em 29 de Novembro de 1917, Capitão em 15 de Março de 1919, Major em 9 de Setembro de 1939, Tenente-Coronel em 14 de Agosto de 1943, Coronel em 28 de Março de 1946, Brigadeiro em 15 de Fevereiro de 1950 e General em 23 de Janeiro de 1951.[1]

Durante a Primeira Guerra Mundial, partiu para França, onde ingressou nas escolas do Exército Inglês em Étaples e Le Touquet, com o objectivo de instruir as tropas do Corpo Expedicionário Português.[1] Durante vários meses, ensinou no campo de Marthes, tendo, em seguida, sido deslocado para as linhas da frente com a Brigada do Minho, incorporado no Batalhão de Infantaria n.º 8.[1]

De regresso a Portugal, continuou no serviço militar, tendo exercido, simultaneamente, como professor particular do ensino secundário em Lagos; colaborou, igualmente, em vários periódicos e revistas sobre assuntos como turismo, educação, interesses económicos do Algarve.[1] Também escreveu para a Revista de Infantaria e o jornal O Exército.[1] Publicou, em colaboração com o Capitão Oom, o Manual de Baioneta e Granadas, em 1920.[1]

Durante a Revolução de 28 de Maio de 1926, comandou o Regimento de Infantaria n.º 33.[1] Após o movimento, foi nomeado presidente da Câmara Municipal de Lagos e, por duas vezes, como Governador Civil do Distrito de Faro.[1]

Em 1936, organizou e tornou-se Comandante Distrital da Legião Portuguesa no Algarve; entre 22 de Janeiro de 1940 e 21 de Agosto de 1943, serviu como comandante do Grupo de Alunos na Escola do Exército, e, entre 28 de Agosto de 1943 e 30 de Maio de 1945, comandou o Regimento de Infantaria n.º1.[1] Também exerceu como professor no Instituto de Altos Estudos Militares e como comandante da Escola Prática de Infantaria entre 4 de Novembro de 1949 e 8 de Março de 1950.[1] Entre 9 de Março de 1950 e 22 de Janeiro de 1951, foi 2.º Comandante da Guarda Nacional Republicana; foi promovido a General, e, entre 12 de Setembro de 1951 e 2 de Março de 1953, comandou a 3.ª Região Militar de Lisboa.[1] A partir de 1953, foi Governador Militar de Lisboa, posição que manteve até à sua passagem à reserva.[1]

Em 1938, encontrava-se a exercer como vice-presidente da Comissão Municipal de Turismo de Lagos.[2]

Condecorações e homenagensEditar

Foi homenageado com uma Medalha de Prata das Campanhas do Exército Português pela sua participação na Primeira Guerra Mundial, Medalhas de Prata e de Ouro de Bons Serviços, Medalhas de Prata e de Ouro de Comportamento Exemplar e uma Medalha de Louvor da Sociedade Portuguesa da Cruz Vermelha.[1] Foi, igualmente, homenageado com os graus de Comendador (10 de Setembro de 1941),[3] Grande-Oficial (23 de Janeiro de 1948),[3] e Grã-Cruz (28 de Janeiro de 1955) da Ordem Militar de Avis,[3]e Grande-Oficial da Ordem do Mérito Militar do Brasil.[1]

Em 1987, uma rua na freguesia de Santa Maria, em Lagos, foi-lhe dedicada.[1][4]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p Ferro 2007, pp. 450, 451.
  2. SILVA, Marco. «Lagos no Anuário Comercial de Portugal: Ano de 1938». Centro de Estudos Marítimos e Arqueológicos de Lagos. Consultado em 27 de Maio de 2010. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2009 
  3. a b c «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Leonel Neto de Lima Vieira". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 4 de julho de 2013 
  4. «Freguesia de Santa Maria» (PDF). Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 27 de Junho de 2010 
Bibliografia
  • Ferro, Silvestre Marchão (2007). Vultos na Toponímia de Lagos 2ª ed. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. 358 páginas. ISBN 972-8773-00-5 
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.