Abrir menu principal

Leopardo-de-zanzibar

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaLeopardo-de-zanzibar
Leopardo-de-zanzibar empalhado
Leopardo-de-zanzibar empalhado
Estado de conservação
Extinta
Extinta
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera
Espécie: Panthera pardus
Subespécie: P. pardus adersi
Nome binomial
Panthera pardus adersi
(Pocock, 1932)

Leopardo-de-zanzibar (nome científico: Panthera pardus adersi), é uma subespécie de leopardo, possivelmente extinta, endêmica da ilha de Unguja no arquipélago de Zanzibar, que atualmente faz parte da Tanzânia na costa oriental (Oceano Índico) do Continente Africano.[1][2]

Embora a espécie seja listada como extinta há 25 anos, um leopardo-de-zanzibar foi filmado por uma armadilha fotográfica em 3 de junho de 2018 pelo biólogo Forrest Galante na seu novo seriado Extinct or Alive no Animal Planet.[3][4][5][2]

ExtinçãoEditar

O crescente conflito entre a população humana e os leopardos no século XX levou à sua demonização e extermínio deliberado. As tentativas de desenvolver um programa de conservação dos leopardos de Zanzibar em meados da década de 1990 foram abandonados quando vários investigadores chegaram à conclusão de que havia pouca esperança de sobrevivência a longo prazo da espécie.

O leopardo-de-zanzibar é dado como extinto, porém os habitantes da ilha de Unguja continuam afirmando terem visto leopardos e os acusam de estar matando seu gado.

História evolutivaEditar

A história evolutiva do leopardo-de-zanzibar é similar a outras espécies animais endêmicas de Unguja como a gineta de Zanzibar (viverrídae) ou o colobo-vermelho-de-zanzibar (primata - Procolobus kirkii). Acredita-se que o leopardo-de-zanzibar evoluiu em seu isolamento diferenciando-se do resto das subespécies de leopardo africano, ao menos desde o fim da última Era do Gelo, quando a ilha de Unguja se separou do continente africano e se elevou acima do nível do mar. As condições locais deram lugar à evolução de uma subespécie de leopardo menor que seus parentes continentais e uma mudança no desenho da pelagem, com manchas menores e numerosas quase esfumaçadas sobre o fundo.

Biologia e comportamentoEditar

A biologia e comportamento do leopardo-de-zanzibar tem sido escassamente estudadas. Só se dispõem de seis peles e exemplares dissecados em museus, incluindo o exposto no Museu de História Natural de Londres e um espécime muito mais antigo no Museu de Zanzibar.[6] [7] O leopardo-de-zanzibar nunca foi estudado na natureza e a última ocasião em que um investigador afirmou avistar um foi no principio da década de 1980.[8] A maioria dos zoólogos presume que o leopardo-de-zanzibar atualmente se encontra extinto ou quase extinto.[9] Entretanto, segundo informes do governo de Zanzibar, alguns leopardos foram caçados no meio da década de 1990, e os habitantes de Unguja continuam afirmando ter visto leopardos e os acusam de matar seu gado.[10]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Zanzibar Leopard, Panthera pardus adersi - Redorbit». www.redorbit.com (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2018 
  2. a b Goldman, Helle V.; Walsh, Martin T. (1 de janeiro de 2002). «Is the Zanzibar leopard ( Panthera pardus adersi ) extinct?». Journal of East African Natural History (em inglês). 91 (1): 15–25. ISSN 1026-1613 
  3. «Zanzibar Leopard Captured on Camera, Despite Being Declared Extinct». Inside Edition (em inglês) 
  4. Diaz, Johnny. «Animal Planet's 'Extinct or Alive' heads to the Everglades in search of black panther». Sun-Sentinel.com (em inglês) 
  5. «Plan to prove Tasmanian tiger is out there». NewsComAu 
  6. Walsh, M.T. & Goldman, H.V. (2003). «The Zanzibar Leopard Between Science and Cryptozoology». Nature East Africa 33 (1/2): pp. 14–16.
  7. ↑ Walsh, M.T. & Goldman, H.V. (2008). «Updating the Inventory of Zanzibar Leopard Specimens». CAT News 49: pp. 4–6.
  8. Swai, I.S. (1983). Wildlife Conservation Status in Zanzibar. Unpublished M.Sc. dissertation, University of Dar es Salaam.
  9. Stuart, C. & Stuart, T. (1997). A Preliminary Faunal Survey of South-eastern Unguja (Zanzibar) with Special Emphasis on the Leopard Panthera pardus adersi. African-Arabian Wildlife Research Centre, Loxton, South Africa.
  10. Goldman, H.V. & Walsh, M.T. (2002). «Is the Zanzibar Leopard (Panthera pardus adersi) Extinct?». Journal of East African Natural History 91 (1/2): pp. 15–25. doi:10.2982/0012-8317(2002)91[15:ITZLPP]2.0.CO;2.