Abrir menu principal
Luís da Sicília
Nascimento 4 de fevereiro de 1338
Catânia
Morte 16 de outubro de 1355 (17 anos)
Aci Castello
Sepultamento Catedral de Catânia
Progenitores Mãe:Isabel da Caríntia
Pai:Pedro II da Sicília
Filho(s) Antonio d'Aragona, Luigi d'Aragona, Barão de Tripi
Irmão(s) Frederico III da Sicília, Leonor da Sicília, Branca da Sicília, Constança da Sicília, Eufêmia da Sicília, Beatriz da Sicília
Blason Sicile Insulaire.png
Causa da morte peste

Luís da Sicília, apelidado "o menino" (1337 - 16 de outubro de 1355) foi rei da Sicília, com o nome de Luís I.

BiografiaEditar

Era filho do rei Pedro II e de Isabel de Coríntia. Com a morte de seu pai em 1342 tornou-se, com somente cinco anos, em rei do reino da Trinácria, sob a regência do Duque de Radazzo, João de Aragão e de sua mãe. Residiu até 1347 em Randazzo.

Seu reinado atravessou por um delicado período de crises econômica e de instabilidade política. Durante o inverno de 1347 chegou também uma grande epidemia de peste que durou um ano, levando a população ao declínio.

Justamente antes de morrer, em 1348 o duque de Randazzo designou a regência ao catalão Blasco II, coisa que não foi bem recebida pela nobreza local siciliana. A rivalidade entre as famílias latinas, partidárias da casa de Anjou e das famílias catalãs, partidárias da Coroa de Aragão degenerou finalmente em uma guerra civil no ano seguinte. Luís teve que enviar o exército real contra a família dos Chiaramonte. Em 1350 chegou-se a um acordo de paz.

Por causa da morte pela peste do filho de João de Aragão em 1355, Luís abandonou a fortaleza de Agira e refugiou-se no Castelo de Aci, tentando escapar da epidemia. No entanto, a pandemia chegou até o jovem rei que morreu na fortaleza em 16 de outubro, com tão somente 17 anos. No entanto, apesar da idade tenra, deixou dois filhos naturais:

  1. Antônio, casado com Beatriz de Ejérica, bisneta do rei Jaime I de Aragão;
  2. Luís, barão de Tripi.[1].

Seu túmulo encontra-se na catedral de Catania. Está enterrado junto ao rei Frederico III da Sicília e João de Aragão.

ReferênciasEditar

Ver tambémEditar