Abrir menu principal
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Luiz Fernando Goulart
Nascimento 1941
Rio de Janeiro, (RJ)
Ocupação assistente de direção, diretor, produtor, roteirista e escritor
Atividade 1961 - atualmente

Luiz Fernando Goulart (Rio de Janeiro, 1941) é um diretor e produtor de cinema brasileiro. Atuou nas origens do Cinema Novo no Brasil.

BiografiaEditar

Foi assistente de direção no filme Cinco Vezes Favela (1961), de vários diretores; Canalha em Crise (1963), de Miguel Borges; Ganga Zumba (1963) e A Grande Cidade (1965), de Carlos Diegues; Dezesperato (1967), de Sérgio Bernardes Filho.

Foi diretor de produção de Todas as Mulheres do Mundo (1966), de Domingos de Oliveira; A Opinião Pública (1967), de Arnaldo Jabor e Garota de Ipanema (1967), de Leon Hirszman.

Foi um dos produtores de Os Herdeiros (1969), de Cacá Diegues e Como Vai, Vai Bem? (1968), nos episódios dirigidos por Alberto Salvá e Carlos Alberto Camuyrano. Foi um dos fundadores do Cine Teatro Poeira, em Ipanema, produzindo Tem banana na banda, com atuação de Leila Diniz.

No começo dos anos 1970, dirigiu curtas-metragens e, posteriormente, dirigiu das produtoras Alter Filmes e Terra Filmes. Foi ainda produtor-executivo de Cordão de Ouro, de Antonio Carlos Fontoura e Chuvas de Verão, de Diegues.

Como diretor, realiza e roteiriza os longas-metragens Marília e Marina (1976), adaptado do poema Balada de duas mocinhas de Botafogo, de Vinicius de Moraes. Também dirige a adaptação da peça homônima de José Saffioti Filho, em A rainha do rádio (1981). Dirige o musical Tropclip (1984).

Nos anos 1980, produz os longas documentários Os Anos JK - Uma Trajetória Política (1980) e Jango (1983), de Sílvio Tendler. Ingressa na televisão, como diretor de projetos especiais, séries e programas para a TV Educativa até meados dos anos 1990.

Escreve e dirige os documentários Angola - Cantos de guerra e liberdade (1989) e Luiz Carlos e Lucy Barreto - Um amor de cinema (2000). É produtor-executivo de Mauá - O Imperador e o Rei (1999), de Sérgio Rezende. Em 2005, dirige o documentário Mestre Bimba – a capoeira iluminada.

FilmografiaEditar

BibliografiaEditar

  • MIRANDA, Luiz Fernando. Dicionário de cineastas brasileiros. São Paulo: Art/Secretaria de Estado da Cultura, 1990. p. 161.