Abrir menu principal
Mário Barroso
Nome completo Mário Alberto Barroso Garcia da Silva
Nascimento 15 de agosto de 1947 (72 anos)
Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação Cineasta
Atividade 1966–presente
Outros prêmios
Globo de Ouro (2010)

Mário Alberto Barroso Garcia da Silva (Lisboa, 15 de Agosto de 1947) é um cineasta português.

FamíliaEditar

Filho de José Jacques da Cunha Garcia da Silva e de sua mulher Fernanda de Jesus Simões Barroso, é irmão do médico Eduardo Barroso (1949) e da bailarina Graça Barroso (1950), sobrinho materno de Maria Barroso e sobrinho materno, por afinidade, de Mário Soares (chamado Mário Alberto em sua homenagem e por ser seu afilhado); é igualmente primo-irmão do editor e antigo Deputado e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa João Barroso Soares e do Jornalista e antigo Deputado e Secretário de Estado Alfredo Barroso.

CarreiraEditar

Tirou a Licenciatura em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa em 1966, formou-se como Encenador Teatral no curso de Cinema e Teatro do INSAS, na Bélgica, em 1968 e em França em 1969 e diplomou-se com o curso de Cinema, na menção Realização e Fotografia no Institut Des Hautes Etudes Cinématographiques (IDHEC) entre 1973 e 1976, tornando-se Professor do IDHEC/FEMIS em 1983. Nos anos 1960 foi exilado política em França.

Foi, também, Jornalista da FR 1 para África, Repórter e Produtor da Rádio França Internacional para África em 2000 e Diretor de Fotografia de teledramáticos de filmes industriais em França. Dirigiu algumas curtas-metragens, documentários, telefilmes e duas longas-metragens, O Milagre Segundo Salomé (2004) e Um Amor de Perdição (2009). Como diretor de fotografia colaborou em filmes de realizadores como Manoel de Oliveira, João César Monteiro, José Fonseca e Costa, Raoul Ruiz ou Jean-Claude Biette, para além de um sem número de trabalhos realizados em telefilmes internacionais. Teve ainda algumas participações como ator no cinema, nomeadamente nos filmes Francisca (1981) e O Dia do Desespero (1992) de Manoel de Oliveira e A Comédia de Deus (1995) e Vai e Vem (2003) de João César Monteiro.[1]

FilmografiaEditar

 
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.

Referências

  1. Instituto Camões. «Mário Barroso». Consultado em 10 de Março de 2015 

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.