MS-DOS

sistema operacional proprietário descontinuado que foi desenvolvido pela Microsoft para computadores pessoais

MS-DOS, acrônimo de Microsoft Disk Operating System, é um sistema operacional comprado pela Microsoft para ser usado na linha de computadores IBM PC. O dono e criador original do projeto QDOS - Quick and Dirty Operating System é a empresa Seattle Computer Systems, que foi inicialmente uma tentativa de criar um concorrente do estabelecido Sistema Operacional CP/M que rodasse no recém-lançado processador 8086 da Intel.

MS-DOS
Versão do sistema operativo DOS
Msdos-icon.png
StartingMsdos.png
Linha de Comandos MS-DOS
Produção Tim Paterson/Microsoft Corporation
Linguagem assembly
Modelo Código Aberto
Lançamento 12 de agosto de 1981 (40 anos)
Versão final 8.0 (Windows ME) 14 de setembro de 2000; há 21 anos
Licença MIT[1]
Página oficial https://github.com/microsoft/ms-dos
Estado de desenvolvimento
Descontinuado

HistóriaEditar

Dentro da História da computação é considerado por alguns como sendo o produto que decidiu o destino da então minúscula Microsoft, o MS-DOS foi sucedido por duas linhas de produtos: o OS/2 e o Windows 3.11.[2] O desenvolvimento destes sistemas operacionais (e do Windows NT) pode ser considerado como a evolução da informática nas décadas de 1980 e 1990.[3]

Foi originalmente desenvolvido por Tim Paterson da Seattle Computer Products sob o nome de QDOS (Quick and Dirty Operating System, que em português significa Sistema operacional rápido e raso), sendo uma variação do CP/M-80 da Digital Research.

O QDOS era apenas um produto interno criado para testar uma nova placa com UCP 8086. Também não rodava nas CPUs 8080 (ou compatíveis) exigidas pelo CP/M-80. A Microsoft licenciou-o da SCP, fez algumas modificações e licenciou-o posteriormente à IBM (vendido como PC-DOS) para seu novo 'PC' usando a CPU 8088 (que internamente era idêntica à 8086), e a vários outros fabricantes de hardware, vendido então como MS-DOS.

MS-DOS (e o IBM PC-DOS que foi licenciado desde então), e seu antecessor, QDOS, foram baseados no CP/M (Control Program / (for) Microcomputers — Programa de Controle para Microcomputadores) — que era o sistema operacional de disco dominante entre os microcomputadores baseados nos processadores de 8 bits Intel 8080 e Zilog Z80.

A empresa Digital Research produziu um sistema compatível, conhecido como "DR-DOS", que foi tomado pela Novell (depois de ter comprado a Digital Research). Este se tornou o "OpenDOS" durante certo tempo, após a venda de uma divisão importante da Novell feita a Caldera International, atual SCO. Mais tarde, a divisão da Caldera se separou, tornando-se a Lineo (posteriormente rebatizada como Embedix), que por sua vez vendeu o DR-DOS a recém-criada Device Logics, atualmente DRDOS Inc.

Em 25 de março de 2014, a Microsoft disponibilizou o código para SCP MS-DOS 1.25 e uma mistura de Altos MS-DOS 2.11 e TeleVideo PC DOS 2.11 ao público sob o Contrato de Licença de Pesquisa da Microsoft, que disponibiliza o código-fonte, mas não é de código aberto conforme definido pelos padrões da Open Source Initiative ou da Free Software Foundation.[4][5][6][7] Mais tarde, a Microsoft iria licenciar novamente o código sob a Licença MIT em 28 de setembro de 2018, tornando essas versões software livre.[8]

VersõesEditar

A Microsoft licenciou ou lançou versões do MS-DOS sob diferentes nomes, como Lifeboat Associates "Software Bus 86",[9][10] também conhecido como SB-DOS,[11] COMPAQ-DOS,[9][10] NCR-DOS ou Z-DOS[9][11] antes de eventualmente impor o nome MS-DOS para todas as versões, exceto a IBM, que foi originalmente chamada de "IBM Personal Computer DOS", mais tarde abreviado para IBM PC DOS.[carece de fontes?]

No antigo bloco oriental, os derivados do MS-DOS chamados DCP (Disk Control Program [de]) 3.20 e 3.30 existiam no final dos anos 1980. Eles foram produzidos pelo fabricante de eletrônicos da Alemanha Oriental VEB Robotron.[12]

As seguintes versões do MS-DOS foram lançadas ao público:[13][14]

  • A primeira versão, PC-DOS 1.0, foi lançada em Agosto de 1981. Ela suportava até 256 kB de RAM e dois disquetes de 160 kB 5.25" de face única. Suas principais características era ser um sistema monousuário e monotarefa (monoprocessador).
  • Em Maio de 1982, o PC-DOS 1.1 trouxe suporte aos disquetes de 320 kB dupla-face.
  • PC-DOS 2.0 e MS-DOS 2.0, lançados em Março de 1983, foram as primeiras versões a suportar o PC/XT e drives de discos fixos (comumente chamados de drives de disco rígido). A capacidade dos disquetes foi elevada a 180 kB (face única) e 360 kB (dupla face) com o uso de nove setores por trilha em vez de oito. A versão 2.0 também permitiam a um programa carregar e rodar subprogramas e overlays de programa(isso lhes dá um grau de independência do programa que os iniciou).
  • Ao mesmo tempo, a Microsoft anunciou sua intenção de criar uma GUI (Graphical User Interface - Interface Gráfica de usuário) para o DOS. Sua primeira versão, Windows 1.0, foi anunciada em Novembro de 1983, mas estava incompleta e não interessou a IBM. Em Novembro de 1985, a primeira versão completa, Windows 1.01, foi então lançada.
  • MS-DOS 3.0, lançado em Setembro de 1984, suportava inicialmente disquetes de 1,2 MB e discos rígidos de 32 MB. Incluiu também códigos de erro mais estendidos, de forma que permitia que os programas obtivessem uma explicação mais detalhada do que aconteceu de errado, quando um erro surge.
  • MS-DOS 3.1, lançado em Novembro do mesmo ano, introduziu o suporte a redes, com serviços que permitiam o "travamento" e "destravamento" do acesso a todas as partes de um arquivo, o que tornava seguro e prático para vários computadores compartilharem o mesmo arquivo sem interferência um do outro.
  • MS-DOS 3.2, lançado em Abril de 1986, foi o primeiro lançamento comercial do MS-DOS. Ele adicionou suporte aos disquetes de 720 kB/3.5". As versões anteriores foram vendidas apenas aos fabricantes de computadores que embutiam-no em seus produtos, porque os sistemas operacionais, até então, eram considerados parte de um computador, não um produto independente. Ele também incluiu o suporte para que o sistema a usasse linguagens diferentes do inglês americano.
  • MS-DOS 3.3, lançado em Abril de 1987, introduziu os discos lógicos. Um disco físico maior que 32 MB poderia ser dividido em várias partições, consideradas como discos independentes pelo sistema operacional. Também foi adicionado suporte aos disquetes de 1,44 MB/3.5" e o suporte para até quatro portas seriais reconhecidas pelo sistema.
  • MS-DOS 4.0, lançado em Julho de 1988, suportava discos de até 2 GB, sem a necessidade de se criar partições, (discos cujos tamanhos variavam, geralmente, entre 40 e 60 MB na época), e teve a adição de uma shell chamada DOSSHELL. Outrasshells, como a Norton Commander e a PCShell, existiram na época. Em Novembro de 1988, a Microsoft corrigiu muitosdefeitos em um update, MS-DOS 4.01.
  • MS-DOS 5.0, lançado em Abril de 1991, incluiu o interpretador (compilador) de BASIC em tela cheia, o QBasic, também trazendo um editor de texto em tela cheia, (anteriormente, havia apenas um editor linha-a-linha, edlin). Um utilitário de cache de disco (SmartDrive), capacidade de undelete, e outras melhorias foram incluídas nessa versão. Como houve problemas graves com alguns utilitários de disco, mais tarde, no mesmo ano, foi lançado o MS-DOS 5.01, com as devidas correções.
  • Em Março de 1992, a Microsoft lançou o Windows 3.1, que se tornou a primeira versão popular do sistema Microsoft Windows, que somou mais de um milhão de cópias vendidas.
  • Em Março de 1993, o MS-DOS 6.0 foi lançado. Seguido pela concorrente Digital Research, a Microsoft adicionou um utilitário de compressão de disco chamado DoubleSpace. Nessa época, os discos rígidos mais comuns tinham em torno de 200 a 400 MB, e muitos usuários necessitavam seriamente de mais espaço em disco. O MS-DOS 6.0 também trouxe o desfragmentador de disco DEFRAG, o MSBACKUP para criação de backups, otimização de memória com o MEMMAKER, e um princípio de protetor antivírus,MSAV.
  • Como suas duas antecessoras, a versão 6.0 mostrou ter diversas falhas. Devido a reclamações sobre perda de dados, a Microsoft lançou uma versão atualizada, MS-DOS 6.2, com um utilitário DoubleSpace melhorado, um novo utilitário de checagem de disco, SCANDISK (similar ao fsck do Unix), além de outras melhorias.
  • A versão seguinte, MS-DOS 6.21 (lançada em Março de 1994), surgiu devido a problemas legais. A empresa Stac Electronics acionou judicialmente a Microsoft, que foi forçada a remover o DoubleSpace de seu sistema operacional.
  • Em Maio de 1994, a Microsoft lançou o MS-DOS 6.22, com outro pacote de compressão de disco, DriveSpace, licenciado da VertiSoft Systems.
  • O MS-DOS 6.22 foi a última versão stand-alone do sistema disponível ao público. Ele foi retirado do mercado pela Microsoft em 30 de Novembro de 2001. Veja o (em inglês) Microsoft Licensing Roadmap.
  • A Microsoft também lançou as versões de 6.23 a 6.25 para bancos e organizações militares Estadunidenses. Estas incluíam já suporte a partições FAT32 . A partir de então, o MS-DOS passou a existir apenas como uma parte dos sistemas Windows 9x (95, 98 e Me). A versão original do Microsoft Windows 95 incorporou o MS-DOS versão 7.0.

Referências

  1. «GitHub - microsoft/MS-DOS». GitHub. Consultado em 2 de setembro de 2021 
  2. «microsoft's timeline from 1991 - 20058». Thocp. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  3. «MS-DOS | Definition, Features, Importance, & Facts». Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  4. «Computer History Museum License Agreement | Microsoft DOS V1.1 and V2.0». CHM (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  5. «Microsoft MS-DOS early source code». CHM (em inglês). 25 de março de 2014. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  6. «Microsoft makes source code for MS-DOS and Word for Windows available to public». The Official Microsoft Blog (em inglês). 25 de março de 2014. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  7. Phipps, Simon (26 de março de 2014). «Psych! Microsoft didn't really open-source MS-DOS». InfoWorld (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  8. «Re-Open-Sourcing MS-DOS 1.25 and 2.0». Windows Command Line (em inglês). 28 de setembro de 2018. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  9. a b c Bornstein, Howard, 1950- (1986). MS-DOS, versions 1.0-3.2, technical reference encyclopedia. 1. Redmond, Wash.: Microsoft Press. ISBN 0-914845-69-1. LCCN 86-8640. OCLC 13525140 
  10. a b Duncan, Ray, 1952-; Microsoft Press. (1988). The MS-DOS encyclopedia. Redmond, Wash.: Microsoft Press. ISBN 1556150490. LCCN 87-21452. OCLC 16581341 
  11. a b Allan, Roy A., 1931- (2001). A history of the personal computer : the people and the technology 1st ed ed. London, Ont.: Allan Pub. ISBN 0-9689108-0-7. OCLC 47238372 
  12. «Betriebssystem DCP». www.robotrontechnik.de. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  13. «Microsoft DOS Version Features». EMS Professional Software and Specialty Services. Consultado em 29 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2017 
  14. «DOS history». Pcmuseum.tripod.com. Consultado em 29 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2017 

Ver tambémEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Livros e manuais no Wikilivros

BibliografiaEditar

  • MS-DOS Guia do Operador Comandos Básicos. São Paulo: McGraw-Hill. 1987. ISBN 0-07-450095-3 
  • Cartão de Referência: MS-DOS Versão 5.0, Autor: Rubens Prates, Livros Técnicos e Científicos Editora Ltda, ISBN 85-216-0879-9

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Notícias no Wikinotícias


  Este artigo sobre informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.