O Madureza foi um curso de educação de jovens e adultos, que ministrava disciplinas dos antigos ginásio e colegial, a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1961. As idades mínimas para o ingresso eram 16 e 19 anos, de Madureza Ginasial e de Madureza Colegial. Exigia-se um prazo de dois a três anos para a sua conclusão em cada ciclo, a qual foi abolida pelo Decreto-Lei n° 709/69. Isso se deu porque aos autodidatas, somente o exame interessava.[1]

Histórico editar

Em acordo com o Ministério da Educação, a TV Cultura, da Fundação Padre Anchieta, produziu o primeiro Curso de Madureza Ginasial da TV brasileira que contou com uma rede de telepostos em vários municípios paulistas, com a finalidade de atender às necessidades da massa de indivíduos marginalizados da rede escolar, utilizando para tanto os recursos propiciados pelo rádio e televisão.[1]

Em 1971, o Curso de Madureza foi substituído pelo Projeto Minerva e, posteriormente, pelo curso Supletivo.[2]

Referências

  1. a b MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos (2002). «Dicionário Interativo da Educação Brasileira». Midiamix Editora (SP). Consultado em 1 de maio de 2012 
  2. JusBrasil. «Curso de Madureza anterior ao Supletivo». Consultado em 1 de maio de 2012 

Ver também editar

  Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.