Malakoff

comuna francesa

Malakoff é um comuna francesa da região de Île de France, departamento de Altos do Sena, no arrondissement de Antony. Trata-se de subúrbio (banlieue) do sudoeste de Paris. Fica situada a 5 quilómetros do centro de Paris.

Malakoff
  Comuna francesa França  
Rua de Malakoff, na atualidade
Rua de Malakoff, na atualidade
Símbolos
Brasão de armas de Malakoff
Brasão de armas
Gentílico Malakoffiots
Localização
Malakoff map.svg
Malakoff está localizado em: França
Malakoff
Localização de Malakoff na França
Coordenadas 48° 49' N 2° 18' E
País  França
Região Blason France moderne.svg Ilha de França
Departamento Blason département fr Hauts-de-Seine.svg Altos do Sena
Administração
Prefeito Jacqueline Belhomme (PCF)
Características geográficas
Área total 2,07 km²
População total (2018) [1] 30 911 hab.
Densidade 14 932,9 hab./km²
Altitude máxima 80 m
Altitude mínima 67 m
Código Postal 92240
Código INSEE 92046
Sítio ville-malakoff.fr

A sua população segundo o censo de 1999 era de 29.402 habitantes que se chamam Malakoffiots (Malakoffiotas).

Malakoff está integrada na Metrópole da Grande Paris.

GeografiaEditar

ToponímiaEditar

O Nome de Malakoff vem do nome de uma torre defensiva perto de Sebastopol. A tomada desta torre contra os Russos por tropas francesas comandadas pelo general Mac Mahon permitiu a captura da cidade de Sebastopol durante a Guerra da Crimeia em 1855[2].

HistóriaEditar

A comuna de Malakoff é uma das mais jovens do departamento de Altos do Sena. O seu território durante muito tempo campestre e florestal possui algumas casas que datam de finais do século XVIII. Este território pouco povoado dependia da paróquia de Vanves sobre o nome de « Petit-Vanves ».

 
Malakoff por Henri Rousseau (1898)

Foi em 1868 que surgiu o nome Malakoff. Um decreto assinado a 8 de Novembro de 1883 pelo presidente da república Jules Grévy oficializada a separação de Vanves.

O nome de Malakoff provém do nome de uma torre defensiva perto de Sebastopol. A tomada desta torre pelos exércitos de Napoleão III comandadas por Patrice Mac-Mahon permitiram a tomada da cidade de Sebastopol durante a Guerra da Crimeia em 1855.

O feito foi comemorado em toda a Europa e, na França, Alexander Chauvelot reconstruiu a torre ao sul de Paris[3] em um parque temático sobre a Guerra da Crimeia[4].

Em 1870, em plena Guerra Franco-Prussiana, a torre de Malakoff construída por Chauvelot foi demolida por causa de seu uso como um ponto de mira pelos atiradores inimigos às portas de Paris[5].

Nessa época, a cidade tinha cerca de 6000 habitantes.

A partir de 1920, as ruas de Malakoff foram pavimentadas, equipadas de iluminação pública e de esgotos. A partir de 1930, foram edificados diversos equipamentos sociais, como escolas, creches, e uma estação de correios.

Em 1971, foi inaugurado o Teatro 71 cujo nome presta homenagem à Comuna de Paris. Em 1972, foi inaugurado o estádio náutico intercomunal Châtillon-Malakoff.

Desde os anos 1980 que a atividade industrial tem entrado em declínio na comuna de Malakoff. Em 1993, fechou a empresa Thomson-CSF de Malakoff e de Montrouge.

DemografiaEditar

Evolução demográfica
1856 1861 1866 1872 1876 1881 1886 1891 1896
- - - - - - 8 118 9 144 11 027

1901 1906 1911 1921 1926 1931 1936 1946 1954
14 341 16 630 19 789 22 494 23 817 27 464 28 439 27 459 28 876

1962 1968 1975 1982 1990 1999 2006 2011 2016
33 603 36 198 34 121 32 553 30 959 29 402 30 509 30 768 29 973
Para os censos de 1962 a 2006 a população legal corresponde à popolução sem duplicidades, segundo define o INSEE.[6]

Administração municipalEditar

A prefeitura de Malakoff é gerida desde 1945 em termos autárquicos pelo Partido Comunista Francês. A actual presidente, eleita em 2001, chama-se Catherine Margaté.

GeminaçõesEditar

MonumentosEditar

  • Lampadário a gás na azinhaga de Tir
  • Peça de uma fachada com as armas da cidade, situada na entrada nordeste do parque Léon Salagnac.

Cultura e patrimônioEditar

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre geografia da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.