Manuel Costa Martins

Manuel Costa Martins ou apenas Costa Martins (Lisboa, 1922 — 1996) foi um arquiteto, professor e fotógrafo português.

Manuel Costa Martins
Nascimento 1922
Lisboa
Morte
1996 (74 anos)
Nacionalidade Portugal portuguesa
Principais trabalhos Lisboa, Cidade Triste e Alegre (1959)
Área Arquitetura; fotografia

BiografiaEditar

Frequentou as Escolas de Belas-Artes de Lisboa e do Porto, tendo concluído o curso de arquitetura em 1956. Em 1948 fez, com Nuno Teotónio Pereira, uma comunicação ao I Congresso Nacional de Arquitetura sobre Habitação Económica e Reajustamento Social. Entre os seus projetos de arquitetura destaquem-se os dos edifícios de habitação na Rua Cidade da Beira, nº 54, 56, 83, Olivais, Lisboa, 1962 (em associação com Hernâni Gandra, Coutinho Raposo e José Neves Galhoz). Foi co-fundador da Galeria Prisma, Lisboa (1973) e docente no IADE (1970-76).[1][2][3] Também colaborou na revista Arte Opinião [4] (1978-1982).

Terminado o curso de arquitetura e depois de trabalhar na profissão durante algum tempo, o seu interesse pela fotografia levou-o a registar a cidade de Lisboa (1956-1958), em parceria com o seu colega e amigo Victor Palla, expondo uma seleção dessas imagens em 1958 na Galeria do Diário de Notícias (Lisboa) e na Galeria Divulgação (Porto). Desse mesmo trabalho resultou, no ano seguinte, o livro Lisboa, cidade triste e alegre, obra pioneira da fotografia portuguesa contemporânea. Às cerca de duzentas imagens a preto e branco selecionadas para publicação (deliberadamente não identificadas em termos de autoria), Victor Palla e Costa Martins associaram excertos de poemas de autores portugueses, entre os quais Alexandre O’Neill, Eugénio de Andrade, Jorge de Sena e José Gomes Ferreira. Segundo António Sena, essa obra integra uma "surpreendente variedade inconformista de fotografias apaixonadas pelos quotidianos paralelos da cidade e da própria fotografia". Em 1982 imagens inéditas dessa mesma série foram apresentadas na exposição de Victor Palla e Costa Martins que inaugurou a galeria ether, Lisboa. E em 1989 essa mesma galeria publicou o catálogo Lisboa e Tejo e Tudo, com texto de António Sena (catálogo da exposição de Victor Palla e Costa Martins na Fundação de Serralves, Porto).[5][6][7][8]

Referências

  1. A.A.V.V. – Guia Urbanístico e Arquitetónico de Lisboa. Lisboa: Associação de Arquitetos Portugueses, 1987, p. 258.
  2. Palla, Vitor; Martins, Costa – Lisboa e Tejo e tudo (1956-59). Lisboa: ether, 1989.
  3. «Igreja premeia Teotónio Pereira, arquitecto de causas sociais e inovações religiosas». Jornal Público / Cultura. Consultado em 2 de abril de 2014 
  4. Rita Correia (16 de maio de 2019). «Ficha histórica:Arte Opinião (1978-1982)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 22 de Maio de 2019 
  5. Sena, António – História da imagem fotográfica em Portugal, 1839-1997. Porto: Porto Editora, 1998, p. 280. ISBN 972-0-06265-7
  6. Palla, Vitor; Martins, Costa – Lisboa e Tejo e tudo (1956-59). Lisboa: ether, 1989.
  7. «IADE – A nossa História». IADE. Consultado em 2 de abril de 2014. Arquivado do original em 6 de outubro de 2010 
  8. Sena, António – Uma história da fotografia: Portugal 1839-1991. Lisboa: Comissariado para a Europália 91; Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1991, p. 176. ISBN 972-27-0423-0
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.