Abrir menu principal
Marcelo Ibrahim
Nome completo Marcelo Soares Ibrahim
Nascimento 15 de julho de 1961
Rio de Janeiro
Morte 2 de julho de 1986 (24 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação ator
IMDb: (inglês)

Marcelo Ibrahim (Rio de Janeiro, 15 de julho de 1961 – Rio de Janeiro, 2 de julho de 1986) foi um ator brasileiro.

Adepto da musculação, formado em Direito também era atleta fisiculturista e Campeão Mundial de Aikidô também era musicista, tocava piano e cravo. Seu primeiro sucesso foi no teatro foi em 1985 com a peça Rocky Stallone, escrita especialmente para ele em virtude de sua semelhança física com o ator americano Sylvester Stallone, [1][1] Se preparava para estrelar a peça "Segura o Afonso pra Mim", peça de teatro esta que o ator não pode realizar pois havia falecido dias antes.

Na televisão estreou também em 1985, na Rede Globo, na telenovela Um Sonho a Mais, vivendo o personagem Beto. Em 1986 participou do remake da telenovela Selva de Pedra, como Gastão, bem como do filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol e da série Armação Ilimitada, em que o ator fez o personagem Jambo com o título do episódio "Jambo para Matar",[2] este episódio fazia uma sátira ao filme Rollerball - Os Gladiadores do Futuro (1975). Este episódio de Armação Ilimitada foi dedicado à memória do ator, falecido na véspera de sua exibição.

Morte

Suspeitou-se[quem?] que, pelas circunstâncias da sua morte, o ator teria sido vítima da AIDS, no entanto o laudo médico emitido, em 12 de julho de 1986, à época da morte de Marcelo, pela Dra. Emília N. Xavier, do Hospital São Vicente, do Rio de Janeiro, onde se deu seu falecimento relata: "Os testes imunológicos realizados no paciente Marcelo Ibrahim pelo Dr. Carlos Loja, consistiram de investigação dos dois tipos de imunidade, celular e humoral, e pesquisa de HTLV3. Os resultados demonstraram que não havia deficiência na produção de anticorpos, que sua imunidade celular no momento da doença estava diminuída em função da agudicidade do quadro infeccioso e que O HTLV3 foi negativo. Isso ressalta o fato de que a infecção grave quando ocorre não é somente pela baixa da imunidade, mas pela virulência e toxinas pelo micro organismo causador, como neste caso, levando a um quadro irreversível de pulmão de choque."[carece de fontes?]

Referências

  1. a b Da redação (12 de janeiro de 1994). «Sombra da Aids». Arquivo Veja. Consultado em 16 de abril de 2013 
  2. Nilson Xavier. «Armação Ilimitada». Teledramaturgia. Consultado em 9 de maio de 2018 

Ligações externasEditar