Abrir menu principal

Marco Fúlvio Petino

Marco Fúlvio Petino
Cônsul da República Romana
Consulado 299 a.C.

Marco Fúlvio Petino (em latim: Marcus Fulvius Paetinus) foi um político da gente Fúlvia da República Romana eleito cônsul em 299 a.C. com Tito Mânlio Torquato.

Consulado (299 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 299 a.C. com Tito Mânlio Torquato.[1] Completou o cerco da cidade úmbria de Nequino[2][nota 1].

Enquanto isto, Tito Mânlio liderou seus exércitos contra os etruscos, mas morreu antes de completar a campanha ao cair de um cavalo.[3] A eleição para substituí-lo elegeu Marco Valério Corvo como cônsul sufecto. Ele seguiu para a Etrúria e começou a devastar o território tentando atrair os etruscos para uma batalha campal, o que eles lhe negaram.[4][3]

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. De fato, Lívio não o cita explicitamente, referenciando sempre o cônsul da campanha militar na Úmbria, mas relata que A campanha na Etrúria foi conduzida pelo cônsul Tito Mânlio, o que torna plausível a atribuição do comando da campanha na Úmbria ao outro cônsul, Flávio Petino.

Referências

  1. Lívio, Ab Urbe condita X, 9
  2. Lívio, Ab Urbe condita X, 10.
  3. a b Lívio, Ab Urbe condita X, 11.
  4. Livy. «Book X Sections 10-12». History of Rome. [S.l.: s.n.] 

BibliografiaEditar