Maurizio Gaudino

futebolista alemão

Maurizio Gaudino (Brühl, 12 de dezembro de 1966) é um ex-futebolista alemão. Atuava como meio-campista,[1] se destacando mais por Stuttgart e Eintracht Frankfurt.

Maurizio Gaudino
Maurizio Gaudino
Maurizio Gaudino em 2014
Informações pessoais
Nome completo Maurizio Gaudino
Data de nasc. 12 de dezembro de 1966 (53 anos)
Local de nasc. Brühl, Alemanha Ocidental
Nacionalidade alemão
Altura 1,83 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Meio-campista
Clubes de juventude
1972–1981
1981–1984
TSG Rheinau
Waldhof Mannheim
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1984–1987
1987–1993
1993–1997
1994–1995
1995–1996
1997–1998
1998–1999
1999–2002
2002–2003
2005
Waldhof Mannheim
Stuttgart
Eintracht Frankfurt
Manchester City (emp.)
América-MEX (emp.)
Basel
Bochum
Antalyaspor
Eintracht Wald-Michelbach
Waldhof Mannheim
0060 0000(9)
0171 000(30)
0075 000(16)
0020 0000(3)
0015 0000(1)
0030 000(10)
0020 0000(2)
0055 0000(8)
0000 0000(0)
0001 0000(0)
Seleção nacional
1993–1994 Bandeira da Alemanha Alemanha 0005 0000(1)
Times/Equipas que treinou
2004–2005
2007
2015–2016
2016–2017
Waldhof Mannheim (interino)
Sonnenhof Großaspach
SSV Reutlingen 05 (diretor de futebol)
Wacker Nordhausen (diretor de futebol)
6


Carreira em clubesEditar

Gaudino, filho de italianos da Campânia que migraram para a Alemanha Ocidental, foi descoberto nas categorias de base do TSG Rheinau e do Waldhof Mannheim, fazendo a sua estreia como profissional em 1984, com a camisa deste último.

Deixou o Mannheim em 1997, sendo contratado pelo Stuttgart. Atuou na decisão da Copa da UEFA (atual Liga Europa) de 1988-89, onde sua equipe perdeu para o Napoli, então liderado por Diego Maradona. Em 1993, assinou com o Eintracht Frankfurt, onde teve atuações convincentes. Tal desempenho renderia sua primeira convocação para a Seleção Alemã, comandada por Berti Vogts.

Por ter faltado a um treino do Eintracht, juntamente com Jay-Jay Okocha e Tony Yeboah (que foi suspenso), Gaudino foi emprestado a Manchester City, onde teve destacada passagem (apesar do curto período em que esteve no time inglês) e América do México (sem tanto destaque). Dispensado do Eintracht em 1997, rodou por Basel, Bochum[2] e Antalyaspor, onde seria rebaixado junto com o time, em 2002, culminando com a interrupção de sua carreira.

Retornou aos gramados ainda em 2002, pelo Eintracht Wald-Michelbach, onde não jogou. Encerrou de vez sua carreira em 2005, atuando em uma única partida na sua segunda passagem pelo Waldhof, onde se tornaria diretor-esportivo pouco depois. No ano seguinte, disputou um jogo beneficente entre Inglaterra e Alemanha, com a participação de ex-jogadores e celebridades - chegou a sofrer um desarme de rugby do futuro primeiro-ministro britânico Boris Johnson.[3]

Também foi técnico interino dos Waldhof Boys em 6 partidas e no Sonnenhof Großaspach em 2007, além de ter sido diretor de futebol no SSV Reutlingen 05 e no Wacker Nordhausen.

Seleção AlemãEditar

Gaudino defendeu a Seleção Alemã entre 1993 e 1994,[4] marcando um gol em cinco jogos.

Presente na convocação de Berti Vogts para a Copa de 1994, o meio-campista não entrou em campo em nenhuma das cinco partidas do Nationalelf na competição.

Vida pessoalEditar

É pai do também futebolista Gianluca Gaudino, que profissionalizou-se pelo Bayern de Munique em 2014.[5]

TítulosEditar

VfB Stuttgart

Referências

  1. «Gaudino, Maurizio» (em alemão). kicker.de. Consultado em 24 de abril de 2011 
  2. Arnhold, Matthias (21 de julho de 2016). «Maurizio Gaudino - Matches and Goals in Bundesliga». RSSSF. Consultado em 22 de julho de 2016 
  3. Fenton, Ben (5 de abril de 2006). «Great tackle, Boris – but it's football, not rugby». The Daily Telegraph. Londres 
  4. Arnhold, Matthias (21 de julho de 2016). «Maurizio Gaudino - International Appearances». RSSSF. Consultado em 22 de julho de 2016 
  5. «Mühsam zurück ins Alltagsgeschäft» (em alemão). Süddeutsche Zeitung. 22 de agosto de 2014. Consultado em 22 de agosto de 2014