Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde abril de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Mazda MX-5
Visão Geral
Nomes
alternativos
Mazda Miata (EUA)
Mazda MX-5 Miata (EUA)
Eunos Roadster (Japão)
Mazda Roadster (Japão)
Produção 1989 - presente
Fabricante Mazda
Modelos relacionados
Alfa Romeo Spider
Fiat Barchetta
MG F
MG Midget
Toyota MR2
Pontiac Solstice

O Mazda MX-5 é um automóvel esportivo de Motor dianteiro, tração traseira fabricado pela Mazda. É conhecido como Mazda Roadster (マツダ・ロードスター Matsuda Rōdosutā) ou Eunos Roadster (ユーノス・ロードスター Yūnosu Rōdosutā) no Japão, e Mazda MX-5 Miata nos EUA, onde é mais conhecido apenas como Miata.

O carro, produzido na fábrica de Hiroshima da Mazda, teve seu lançamento no Salão de Chicago de 1989, e segue uma filosofia de design denominada Jimba ittai[1] (人馬一体), que significa a união entre cavalo e cavaleiro. Suas principais características são seu pequeno porte, leveza, dinâmica equilibrada e simplicidade. O MX-5 foi desenhado como um sucessor espiritual dos pequenos esportivos ingleses e italianos dos anos 50 e 60, como o Triumph Spitfire e o Fiat Spider.

O MX-5 está em sua quarta concepção. As gerações são denominadas por códigos de duas letras, a primeira sendo a NA (1989-1997), seguida pelas gerações NB (1998-2005), NC (2005-2015) e pela atual, a ND (2015-Presente).

Atualmente o Mazda MX-5 é o conversível de dois lugares mais vendido da história[2], com mais de 1 milhão de unidades vendidas mundialmente.  O nome “Miata” deriva do Alto-alemão antigo e significa “recompensa”[3].

Índice

OrigemEditar

O projeto do carro teve início em 1976, em uma conversa entre o jornalista do Motor Trend, Bob Hall, e o engenheiro Kenichi Yamamoto. Yamamoto, responsável por pesquisa e desenvolvimento na Mazda, perguntou ao jornalista que tipo de carro a fabricante deveria produzir. Hall respondeu que alguém deveria produzir um esportivo simples e barato, nos moldes dos esportivos britânicos.[4]

Em 1981, Hall passou a participar da divisão de planejamento de produtos da montadora. Yamamoto, na época presidente da Mazda, permitiu que Hall desse seguimento ao projeto.  Hall contratou o designer Mark Jordan, e juntos criaram o primeiro conceito do carro, o qual receberia a luz verde para uma versão de produção sob o programa “Offline 55”, uma iniciativa da Mazda criada para modernizar o projeto de novos modelos. O desenvolvimento desse carro se tornou uma competição entre a equipes de design da Mazda de Tóquio contra a equipe da Califórnia.[4]

As equipes chegaram a conclusões bastante distintas quanto ao que deveria ser o veículo. Enquanto o grupo californiano propunha uma configuração de motor dianteiro e tração traseira, típico de esportivos britânicos, a equipe japonesa sugeria um modelo mais simples, com motor dianteiro e tração dianteira, ou com motor central e tração traseira. Em agosto de 1984 o design da Califórnia, denominado Duo 101, foi escolhido como base para o que se tornaria o MX-5.[5]

A International Automotive Design (IAD), em Worthing, Inglaterra, foi selecionada para criar o protótipo motorizado. O resultado foi o V705, com carroceria em fibra de vidro e motor 1.4 L de um Mazda Familia. Em agosto de 1985 um modelo único deste V705 rodou pela primeira vez nas estradas de Santa Bárbara (Califórnia).

O protótipo recebeu sua aprovação final em 1986[4], quando passou a ser projetado o modelo de produção, denominado P729, sob a supervisão de Toshihiko Hirai. O projeto foi movido para o Japão, onde passaria a ser produzido. O modelo final foi apresentado em 1989 com o nome de MX-5, um esportivo conversível de apenas 940 quilos.

Primeira geração (NA)Editar

 
Mazda MX-5 (NA)

A primeira geração do MX-5 entrou em produção em 1989 e teve seu fim em 1997. Essa geração, reconhecida pelos seus faróis estilo pop up, foi responsável pela venda de mais de 400.000 unidades. Essa geração foi premiada como carro do ano pela revista Automobile Magazine em 1990, e esteve entre os 10 melhores carros da revista Car and Driver de 1990 até 1992.

Suas dimensões são 3.970 mm de comprimento e 1.675 mm de largura. A carroceria era fabricada em aço, com um capô de alumínio. O peso do carro, sem opcionais, era de 980 kg, e seu coeficiente aerodinâmico é de Cd=0.38. Para manter o preço baixo, o modelo básico vinha originalmente sem vidro elétrico, direção hidráulica e ar-condicionado, sendo esses opcionais. Ao longo dos anos esses equipamentos se tornaram padrão. Airbags passaram a ser disponíveis em 1994.

A suspensão é do tipo double wishbone e é independente nas quatro rodas. As rodas são de liga leve de 14 polegadas, com pneus 185/60R14, todas elas com freio a disco.

A motorização original do carro é o B6ZE(RS), um motor injetado de 1.6 L de quatro cilindros em linha e DOHC, fazendo 86 kW (115 hp) a 6.500 rpm e 136 Nm de torque a 5.500 rpm. No ano de 1994, o motor B6ZE(RS) foi substituído pelo BPZE, de 1.8 L. O novo motor fornecia 96 kW (128 hp) de potência e 150 Nm de torque, os dois nas mesmas rotações da configuração antiga. A potência e o torque são aumentados no ano de 1996, para 99 kW (132 hp) e 155 Nm. A versão com o 1.6 L continuou a ser produzida, mas motor teve sua potência reduzida para 66 kW (89 hp).

O câmbio utilizado era um manual de 5 marchas, derivado do Mazda 929. O câmbio foi modificado para que as marchas ficassem o mais próximas possível ao serem selecionadas.  Foi disponibilizado um câmbio automático de 4 marchas, mas esse opcional teve pouca procura. Outro opcional nessa geração era um diferencial de deslizamento limitado.

MX-5 10th Anniversary (1999)Editar

Em 1999, foi lançado o MX-5 10th Anniversary, em comemoração do 10° Aniversário do modelo, também conhecido por 10AE.

Foi uma edição limitada, apenas 7.500 unidades foram produzidas, com a seguinte distribuição pelo Mundo:

  • Japão: 500 unidades
  • Reino Unido: 600 unidades
  • Estados Unidos da América: 3.000 unidades
  • Canadá: 150 unidades
  • Europa (exceto Reino Unido): 3.100 unidades
  • Austrália: 150 unidades

Esta versão era em 1999 um "best-off" do MX5, reunindo as melhores características de modelos já existente como a versão Sport e ainda alguns pormenores exclusivos desta versão, sendo que tinha como equipamento a destacar:

  • Jantes 15" com acabamento cromado (exclusivas do 10AE);
  • Carroçaria com cor exclusiva "Innocent Blue Mica" (exclusivo do 10AE);
  • Capota de cor azul condizente com carroçaria e respectiva cobertura na mesma cor azul (exclusivo do 10AE);
  • Estofos com laterais em pele preta e centro azul em camurça sintética (exclusivo do 10AE);
  • Volante, Alavanca e fole das mudanças na Nardi com apontamentos em azul (exclusivo do 10AE);
  • Carpete azul (exclusivo do 10AE);
  • Consola central com aspecto carbono;
  • Caixa de 6 velocidades com relações curtas (close ratio) (exclusivo do 10AE);
  • Amortecedores Bilstein (exclusivo do 10AE);
  • Barra Anti-Aproximação nas torres da suspensão dianteira (exclusivo do 10AE);
  • Aros cromados nos indicadores do painel de instrumentos (exclusivo do 10AE);
  • Placa com a identificação do modelo e respectivo número xxxx/7500, aplicada do lado do condutor (exclusivo do 10AE);
  • Diferencial autoblocante Torsen ;
  • Pneus Michelin Pilot SX GT na medida 195/50R15 82V.

Além deste equipamento na viatura propriamente dita, os proprietários receberam também um dois outros itens que fazem toda a diferença para o público alvo deste modelo, que é o amante de roadsters desportivos. Este dois itens são:

  • Um certificado de autenticidade com a identificação do número da viatura correspondente à placa no carro e o número de chassis, assinado pelo então presidente da Mazda James E. Miller e datado de 10 de Fevereiro de 1999.
  • Em alguns mercados, foi ainda fornecido ao comprador uma "gift-box", ou seja, uma caixa com acabamento aveludado e letras cinzentas onde vinham acondicionados:
    • Um relógio Seiko de homem, comemorativo da edição de 10º aniversário do MX5;
    • Um relógio Seiko de senhora, comemorativo da edição de 10º aniversário do MX5;
    • Um porta-chaves comemorativo da edição de 10º aniversário do MX5;
    • Uma réplica do Mazda MX5 10AE, à escala 1/24 e com muitos pormenores do veículo real, tais como os bancos em dois tons e as jantes com acabamento cromado.

Alguns exemplares foram ainda fornecidos hard-top na mesma cor da carroçaria, que é um item valorizado, especialmente durante o Inverno onde o Hard-top ajuda a preservar a capota.

A nova geraçãoEditar

No Salão Automóvel de Genebra de 2005 foi apresentada a 3ª geração do Mazda MX-5, conhecido por NC. Apresenta uma grande mudança a nível de motores (agora vem com um 1.8 de 126cv ou um 2.0 de 160cv, ambos bastante diferentes dos usados até agora), travões, habitabilidade e, principalmente, em estética. Como sempre os mais tradicionalistas desconfiam das mudanças mas será com certeza uma nova página da história deste roadster que seguramente não ficará por aqui.

As características únicas deste carro justificam plenamente o título (Livro de Recordes do Guinness) de roadster mais vendido do mundo.

Os fãsEditar

Dada a (relativa) exclusividade deste automóvel, existem por todo o mundo clubes de aficionados e Portugal não é excepção, com um clube nacional e um fórum de grande sucesso na internet onde os membros partilham gostos e interesses, são normalmente feitos encontros e eventos que reúnem os fãs deste automóvel único.

GaleriaEditar

Primeira geração (1989-1997) 
Segunda geração (1998-2005) 
Terceira geração (2005-2015) 
Quarta geração (2016-presente) 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

  1. «Jinba Ittai». Inside Mazda (em inglês). 8 de dezembro de 2015. Consultado em 16 de julho de 2019 
  2. Records, Guinness World (11 de setembro de 2014). Guinness World Records 2015 (em inglês). [S.l.]: Guinness World Records. ISBN 9781908843708 
  3. «Reward». www.miata.net. Consultado em 16 de julho de 2019 
  4. a b c Turner, Liz (2002). You and Your MX5/Miata. [S.l.]: Haynes Publishing 
  5. Torchinsky, Jason. «The Miata Could Have Been Mid-Engined Or Even FWD». Jalopnik (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mazda MX-5