Fiat Chrysler Automobiles

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) é um conglomerado industrial ítalo-americano que junta as marcas Fiat e Chrysler e está entre os fundadores da indústria automobilística europeia. Com sede em Amsterdam e ações listadas nos EUA e na Itália, foi formado em 2014, após a consolidação da incorporação, na Holanda, do Grupo Chrysler (bandeiras Chrysler, Jeep, Ram, SRT e Dodge) pela Fiat (Fiat, Alfa Romeo, Maserati, Lancia, Abarth e Ferrari (esta não faz mais parte da FCA)).[2]

Fiat Chrysler Automobiles
Razão social Fiat Chrysler Automobiles N.V.
Empresa de capital aberto
Cotação Borsa Italiana: FCA
NYSE: FCAU
Atividade Automotiva
Sistemas de produção
Mídia impressa
Fundação 12 de outubro de 2014 (6 anos)
Sede Amsterdã,
 Países Baixos[1]

Auburn Hills, Michigan, Estados Unidos EUA
Turim,  Itália

Proprietário(s) Exor S.p.A. (30.78%)
Pessoas-chave John Elkann (Presidente)
Mike Manley (CEO)
Empregados Aumento225,587 (2014)

Baixa199.000 (2018)

Subsidiárias
Ativos Aumento $121.6 bilhões (2015)
Lucro Baixa €632.0 milhões (2014)

Baixa €110.0 milhões (2018)

LAJIR Aumento €3.223 bilhões (2014)
Faturamento Aumento €96.090 bilhões(2014)
Aumento €110.595 bilhões(2015)
Antecessora(s) Grupo Fiat
Website oficial www.fcagroup.com/

Focado no setor automotivo, o grupo projeta e produz automóveis, caminhões, tratores, máquinas agrícolas, motores, transmissões, peças fundidas, autopeças e sistemas de automação industrial, entre outros. No setor de automóveis, a Fiat desenvolve suas atividades industriais e de serviços por meio de sociedades localizadas em 50 países e mantém relações comerciais com clientes em mais de 190 países.

Do ponto de vista operacional, o CEO é apoiado pelo Group Executive Council (GEC: Conselho Executivo do Grupo, em português), um órgão de decisão liderado pelo CEO e composto por 4 principais grupos: operações regionais, marcas, processos industriais e funções de suporte/corporativo.

Em 31 de outubro de 2019, a empresa anunciou um acordo de fusão com o grupo PSA, dono das marcas Peugeot e Citroen,[3] originando a Stellantis.[4]

Group Executive CouncilEditar

O primeiro consiste em 4 Grupos de Operações Regionais, além de Componentes Automotivos (Magneti Marelli) e Sistemas e Fundidos (Comau e Teksid). Um Chief Operating Officer (COO) em cada uma das quatro regiões é responsável pelos lucros e perdas da região e gestão de recursos regionais, incluindo atividades industriais e comerciais.

  • Mark Stewart [NAFTA]
  • Antonio Filosa [LATAM]
  • Pietro Gorlier [EMEA]
  • Paul Alcala [APAC excluindo a China]
  • Daphne Zheng [CHINA]
  • Ermanno Ferrari [Magneti Marelli]

2. O segundo agrupamento reflete o foco e a ênfase do Grupo em suas marcas. Cada uma das marcas é representada dentro do GEC através dos Líderes de Marca, que são responsáveis pela identidade da marca, pelo desenvolvimento dos portfólios de produtos da marca, bem como pela implementação de estratégias comerciais e de marketing em cada região operacional.

  • Olivier François [Fiat]
  • Timothy Kuniskis [Alfa Romeo]
  • Harald Wester [Maserati]
  • Pietro Gorlier [Peças e Serviço (MOPAR)]
  • Olivier François [Diretor de marketing]
  • Reid Bigland [Chefe de vendas nos EUA]

3. O terceiro grupo é composto por Líderes Industriais, que são responsáveis ​​por gerenciar e coordenar processos industriais entre regiões operacionais, bem como padronizar métodos e ferramentas industriais, quando apropriado.

  • Harald Wester [Diretor Técnico]
  • Ralph Gilles [desenhar]
  • Scott Garberding [Chief Manufacturing Officer]
  • Carl Smiley [Chief Purchasing & Supply Chain Officer]
  • Richard Schwarzwald [Qualidade]
  • Bob Lee [Coordenador de Powertrain]
  • Mark Chernoby [Chief Technical Compliance Officer]

4. O agrupamento final é composto por Líderes de Suporte e Processo Corporativo.

  • Richard Palmer [Diretor Financeiro e Desenvolvimento de Negócios]
  • Linda Knoll [Chefe de Recursos Humanos]
  • Alessandro Baldi [Diretor de Auditoria e Sustentabilidade]
  • Niel Golightly [Chief Communications Officer]
  • Michael J. Keegan [Coordenador GEC]

Marcas do GrupoEditar

Após o anúncio da aquisição total do Grupo Chrysler pela Fiat[5], no dia 01 de janeiro de 2014, a FCA passou a controlar as seguintes marcas de automóveis de passeio:

Marcas europeiasEditar

Marcas americanasEditar

Além disso, o grupo também é proprietário das seguintes marcas: Case, New Holland para tratores, máquinas de construção e colheitadeiras; Iveco e Irisbus para caminhões e ônibus; Magneti Marelli, Teksid, FPT Powertrain e COMAU para componentes e serviços automotivos. Além da Innocenti que se especializou na fabricação de lambretas e produziu alguns veículos. A Ferrari pertenceu ao grupo até o início de 2016, quando, por meio de uma cisão, separou-se para fazer um IPO de suas ações na Bolsa de Valores.[6]

Os números da FCA no mundo:

  • 102 Plantas
  • 114 centros de Pesquisa e Desenvolvimento
  • 199 mil empregados
  • 2,3 milhões de automóveis e veículos comerciais vendidos

BrasilEditar

No Brasil, as seguintes empresas compõem o Grupo: Fiat Automóveis, Jeep, Iveco, Case, New Holland como montadoras; Magneti Marelli, CMA Componentes de módulos automotivos,Teksid, FPT Powertrain e COMAU para componentes; Banco Fidis, CNH Capital e Fiat Finanças para serviços financeiros; Fiat Services, FIDES Corretagem de Seguros, Isvor e Fundação Fiat para serviços; Casa Fiat de Cultura e Fundação Torino para cultura e educação.

A FCA possui duas plantas industriais no Brasil:

Referências

  1. Fiat Chrysler builds office in Netherlands
  2. Reuters (13 de outubro de 2014). «Fiat e Chrysler consolidam fusão com estreia em Wall Street». Folha de S.Paulo. Consultado em 22 de outubro de 2014 
  3. «Fiat e Peugeot fecham acordo para formar 4ª maior montadora do mundo». economia.uol.com.br. Consultado em 31 de outubro de 2019 
  4. «Fusão da FCA e PSA já tem nome: Stellantis». Revista Auto Esporte. Editora Globo. 16 de julho de 2020. Consultado em 19 de agosto de 2020 
  5. http://exame.abril.com.br/mer cados/noticias/fiat-compra-fatia-restante-na-chrysler-e-acao-sobe-16-2
  6. «Ferrari confirma cisão da Fiat Chrysler e prepara chegada à Bolsa de Milão.». Folha de S.Paulo. 3 de Janeiro de 2016 

Ligações externasEditar