Mebarsapes

Mebarsapes foi, provavelmente, o último rei de Adiabena, governando como sátrapa dos partas.[1] Ele se aliou a Orsoes I da Pártia [Nota 1] contra os romanos e foi derrotado por estes.[2]

A campanha de Trajano contra os partas começou, em 114, com a tomada de Nísibis, possivelmente então fazendo parte de Adiabena.[1] Nísibis era um importante centro comercial, fazia parte da Armênia, mas havia sido transferida para Adiabene durante o reinado de Izates II, pelo Artabano II, como agradecimento por Izates ter acolhido Artabano durante seu exílio.[3]

Mebarsapes prendeu o embaixador romano, mas no ano seguinte Mebarsapes foi derrotado.[1] O embaixador, chamado Sentius, um centurião romano, conseguiu escapar da prisão com seus companheiros, matou os guardas, e abriu os portões para o exército romano.[4]

Os romanos anexaram Adiabena, e renomearam a região como a província romana da Assíria, um nome que era evitado desde a queda de Nínive, em 612 a.C., por causa das lembranças das políticas genocidas dos assírios.[1]

Mebarsapes fugiu para a Arábia e, possivelmente, fez um acordo de paz e pode ter retornado para seu reino.[2]

Notas e referências

Notas

  1. Escrito, no texto de James Phillips Fletcher, como Cosroes.

Referências

  1. a b c d Encyclopedia Iranica, Adiabene [em linha]
  2. a b James Phillips Fletcher, Narrative of a two years' residence at Nineveh, and travels in Mesopotamia, Assyria, and Syria (1850) [google books]
  3. Jona Lendering, Nísibis [em linha]
  4. Dião Cássio, Epítome do Livro LXVIII, 22.3 [em linha]