Abrir menu principal
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2019). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Miami Bass
Origens estilísticas Hip hop, electro, breakbeat, bass
Contexto cultural Início da década de 1980 e década de 1990 Sul da Flórida
Instrumentos típicos Proeminente Caixa de ritmos - Toca-Discos - Rap - Sampler - Sintetizador - Beatbox
Formas derivadas Southern hip hop - funk carioca, freestyle
Subgêneros
Audio Bass, bounce

Miami bass (também conhecido como som de Miami) é um subgênero do electro que tornou-se popular nos EUA e países da América Latina nos anos 80 e 90. Ele é conhecido por usar a batida continuada da caixa de ritmos Roland TR-808, e dança sincopada. O foco do miami bass era mais na proficiência dos DJs em manipular batidas e vinhetas do que na melodia romântica como era no Freestyle. Recebeu este nome quando o freestyle começou ficar popular nos bairros negros de Miami, tornando o freestyle com batidas mais grave, rápida e intensa; com linguagem das ruas, e conteúdo sexualmente explicito. Diferente do gangsta rap, o miami bass não falava de problemas sociais, críticas ao sistema,criminalidade e discriminação racial e social, era essencialmente um gênero de diversão e uma contra-resposta ao rap que estava muito politizado e polêmico na época, ocasionando mortes de mc's, policiais e instigando ainda mais as gangs rivais.

O miami bass não teve muita popularização como rap/hip-hop, embora tenha tido um impacto profundo no desenvolvimento do West Coast Hip-Hop.

Junto com o freestyle foi a base principal do funk carioca.

ReferênciasEditar

Notas


Bibliografia

Unterberger, Richie (1999). Music USA: The Rough Guide. The Rough Guides. pp. 144–145. ISBN 1-85828-421-X.

  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.