Midões (Tábua)

freguesia do município de Tábua, Portugal

Midões é uma freguesia portuguesa do município de Tábua, com 19,98 km² de área[1] e 1574 habitantes (censo de 2021)[2]. A sua densidade populacional é 78,8 hab./km².

Portugal Portugal Midões 
  Freguesia  
Pelourinho de Midões
Pelourinho de Midões
Pelourinho de Midões
Gentílico Midonense
Localização
Midões está localizado em: Portugal Continental
Midões
Localização de Midões em Portugal
Coordenadas 40° 23' 07" N 7° 57' 01" O
Região Centro
Sub-região Região de Coimbra
Distrito Coimbra
Município Tábua
Código 061608
Administração
Tipo Junta de freguesia
Características geográficas
Área total 19,98 km²
População total (2021) 1 574 hab.
Densidade 78,8 hab./km²
Código postal 3420
Outras informações
Orago Nossa Senhora das Neves

Foi vila e sede do então concelho de Tábua, com foral novo de 1514. Era constituído até ao início do século XIX pelas freguesias da sede e de Póvoa de Midões. Tinha, em 1801, 2035 habitantes e 29 km². Mais tarde foram-lhe anexadas as freguesias de Candosa, Covas e Vila Nova de Oliveirinha. Em 1849 tinha 6282 habitantes e 63 km². O Concelho foi suprimido em 1853. Em 2 de julho de 1961 aí nasceu o ilustre midonense Luís Filipe Costa Figueiredo

Localização no município de Tábua

Demografia editar

A população registada nos censos foi:[2]

População da freguesia de Midões[3]
AnoPop.±%
1864 2 478—    
1878 2 636+6.4%
1890 2 869+8.8%
1900 3 051+6.3%
1911 2 910−4.6%
1920 2 447−15.9%
1930 2 814+15.0%
1940 2 955+5.0%
1950 2 862−3.1%
1960 2 431−15.1%
1970 2 202−9.4%
1981 2 115−4.0%
1991 2 083−1.5%
2001 1 757−15.7%
2011 1 725−1.8%
2021 1 574−8.8%
Distribuição da População por Grupos Etários[4]
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 243 222 836 456
2011 190 186 876 473
2021 183 110 770 511

História editar

Figuras Históricas editar

Cronologia editar

  • 955 - D. Muna doa as terras de Midões ao mosteiro de Lorvão
  • 1133 - D. Afonso Henriques couta Midões a favor do mosteiro de Lorvão
  • 1169 - D. Afonso Henriques doa parte de Midões a favor da Sé de Coimbra
  • 1257 - D. Marinha Gomes, abadessa do Lorvão, dá foral à sua parte de Midões (atual Coito)[5]
  • 1514, 12 Setembro - D. Manuel I outorga foral novo a Midões[6][7]
  • 1855, 31 de dezembro - o concelho de Midões é extinto e a vila integrada no concelho te Tábua[6]

Património editar

 
Também conhecido como Palácio das Quatro Estações

É muito vasto o património da freguesia de Midões, no qual devemos destacar:

Em relação ao património natural devemos ainda salientar o outeiro de São Miguel, o rio de Cavalos, o rio Seia e o rio Mondego.

Folclore e Tradições editar

O rancho folclórico do Grupo Cultural da Freguesia de Midões é o principal embaixador do folclore da freguesia, levando o nome e as tradições folclóricas da freguesia aos mais diversos locais do país.

Referências

  1. «Carta Administrativa Oficial de Portugal CAOP 2013». descarrega ficheiro zip/Excel. IGP Instituto Geográfico Português. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2013 
  2. a b Instituto Nacional de Estatística (23 de novembro de 2022). «Censos 2021 - resultados definitivos» 
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  4. INE. «Censos 2011». Consultado em 11 de dezembro de 2022 
  5. Pelourinho de Couto / Pelourinho de Coito de Midões na base de dados SIPA da Direção-Geral do Património Cultural
  6. a b Pelourinho de Midões na base de dados Ulysses da Direção-Geral do Património Cultural
  7. Pelourinho de Midões na base de dados SIPA da Direção-Geral do Património Cultural

Bibliografia editar

Sobre a vila e a freguesia de Midões consulte-se:

  • DUARTE, Marco Daniel, Tábua: história, arte e memória, Tábua, Câmara Municipal de Tábua, 2009.
  • FERREIRA, Luís Pedro, Tábua: um passado com futuro, Tábua, Câmara Municipal de Tábua, 2007.
  • SARAIVA, José da Costa, Monografia de Midões, Cucujães, Edição do Autor, 1986.
  • VEIGA, António Duarte de Almeida, Midões e o seu velho Município, Lisboa, Livraria Editora, 1911.

Ligações externas editar

  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.