Miguel Antônio Pinto Guimarães

político brasileiro

Miguel Antônio Pinto Guimarães, o Barão de Santarém (Santarém, 8 de janeiro de 1808 — Santarém, 16 de agosto de 1882), foi um militar, fazendeiro e político brasileiro. Filiado ao Partido Conservador (Império), ocupou os cargos de Vereador, eleitor de capela, Deputado à Assembleia Legislativa da Província, Presidente da Província do Grão-Pará,[1] e também foi Coronel Comandante Superior da Guarda Nacional.

Começou sua trajetória militar em 1831, aos 23 anos de idade como membro da Guarda Nacional (Brasil), participando de reuniões que decidiram estratégias de defesa da vila de Santarém, que corria riscos de ser invadida pelos correligionários de Cônego Batista Campos. Durante a Cabanagem ganhou espaço como liderança no combate das forças rebeldes que invadiram a cidade; atuou junto às forças legalistas no comando de estratégias para os combates ocorridos no reduto cabano de Ecuipiranga.

A Cabanagem serviu de projeção para que pudesse se destacar na região. Adquiriu diversas propriedades no Baixo Amazonas sendo também o maior detentor de escravos na cidade de Santarém.

Referências

  1. Galvão, Miguel Archanjo (1894). Relação dos cidadãos que tomaram parte no governo do Brazil no periodo de março de 1808 a 15 de novembre de 1889. Rio de Janeiro: Imprensa nacional. p. 91 

Ligações externasEditar

Precedido por
Ângelo Custódio Correia
Presidente da província do Pará
18551856
Sucedido por
Henrique Pedro Carlos de Beaurepaire-Rohan
Precedido por
José Bento da Cunha Figueiredo
Presidente da província do Pará
1869
Sucedido por
Manuel José de Siqueira Mendes
Precedido por
Francisco Bonifácio de Abreu
Presidente da província do Pará
18721873
Sucedido por
Domingos José da Cunha Júnior


  Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.